Ensaios

Ensaio Renault Megane Sport Tourer 1.6 dCi: candidato a líder!

A quarta geração da carrinha Megane não vem revolucionar o segmento, mas destaca-se de forma clara dos adversários no que toca à habitabilidade, pela bagageira e a forma como a podemos utilizar e também pelas novidades que oferece ao segmento. Uma excelente evolução face ao anterior modelo que projeta a Renault para voos mais altos e, provavelmente, à liderança do segmento.

Que diferente está a Renault! Anos a fio a experimentar coisas diferentes, a fazer enorme esforço para vender carros que não tinha estilo sedutor e soluções menos interessantes que a concorrência, deram lugar a uma era diferente. A quarta geração do Megane é o espelho disso mesmo!

O Megane evoluiu tanto que a casa francesa se deu ao luxo de dispensar as carroçarias de três portas e o descapotável. É verdade que pouco se vendem, mas isso acontece desde a primeira geração e não foi por isso que tinham sido eliminadas. Felizmente, apesar do sub-segmento das carrinhas estar a empalidecer a cada ano, a Renault percebeu que não podia renovar o Megane sem lhe oferecer uma carrinha.

“A carrinha Megane teve forte contributo dos concessionários portugueses, dai ser conhecida internamente como a ‘carrinha portuguesa'”

E isso ficou claro desde o primeiro momento, pois ao contrário do que sucedeu anteriormente, este Megane Sport Tourer foi desenvolvido paralelamente à versão berina. E como a Renault decidiu escutar a voz de quem vende os seus carros, ou seja, os homens e mulheres que lidam com os clientes, a carrinha do Megane tem muitas soluções e ideias “oferecidas” pelos concessionários. E aqui há que destacar o forte contributo dos portugueses para a definição final da carrinha Megane, de tal forma que é conhecida internamente como a “carrinha portuguesa”.

Desenho inspirado

Mantendo a linguagem de estilo criada por Laurens van der Acker, a carrinha Megane consegue ter elegância suficiente para nos fazer olhar para ela e gostar. Os pormenores da dianteira são idênticos aos do carro, e tudo é igual até à porta traseira. Dai para trás tudo é diferente e bem feito, elegante e sedutor. A carrinha consegue, mesmo, ser mais sedutora que a berlina de cinco portas, o que é um belo cartão de visita.

megane_sport_tourer_04A face pragmática da Renault não deixou de estar patente na Sport Tourer e porque a necessidade de oferecer um carro bonito, mas funcional, fazia parte do caderno de encargos, a solução foi simples. Alongou-se a distancia entre eixos 40 mm e o tamanho total do carro até aos 4,63 metros, nada menos que 27 cm que a berlina de cinco portas. Os primeiros foram todos oferecidos aos passageiros do banco traseiro, os restantes para a bagageira. Desta forma, o desenho continuou a ser sedutor, mas quem precisa, quer ou apenas sente conforto por dizer que tem uma carrinha grande, não se pode queixar muito da bagageira.

renault-megane_estate-2017-1280-4dContas feitas, são 521 litros que podem chegar aos 1504 litros, valores que não são brilhantes e que colocam a Megane Sport Tourer fica na parte inferior da média do segmento. Mesmo assim, não serão os 80 litros menos que um dos seus maiores rivais, o Peugeot 308 SW (com 660 litros de capacidade) a estragar a opinião positiva sobre o Megane Sport Tourer.

Até porque a bagageira do Megane possui algumas astúcias interessantes. Sendo verdade que o sistema de rebatimento é simples e prático, também é verdade que o plano deixado pelos bancos rebatidos está longe de ser… plano, não tem interrupção a meio, mas o piso ainda fica bastante inclinado. Não é grave e é plenamente olvidado pela praticabilidade da forma como rebatemos os bancos e pelo fundo falso da bagageira. Onde podemos arrumar a chapeleira e mais alguns items. Nas laterais, dois pequenos compartimentos podem albergar documentos ou pequenas coisas.

Os passageiros do banco traseiro são beneficiados face à berlina, pois estão mais à vontade e mais cómodos. No primeiro caso devido ao espaço para arrumar as pernas, maior, no segundo caso porque as costas do banco estão ligeiramente mais inclinadas (não é preciso ganhar mais espaço na mala…) e o assento mais bem desenhado e espaçoso. Um pormenor que faz toda a diferença no que toca às viagens de quem segue atrás. E neste particular, o Megane Sport Tourer é muito confortável.

renault-megane_estate-2017-1280-45O resto do interior é exatamente igual à berlina. Quer isto dizer que partilha os mesmos instrumentos, os mesmos bancos dianteiros e até os mesmos equipamentos, tal como a qualidade de construção e de materiais – com um ou outro plástico menos bem conseguido – até aos bancos traseiros. A partir dai, existem as alterações que acima referimos.

Motor suficiente!

Na casa das máquinas, nenhuma novidade, apenas o motor 1.6 dCI com 130 CV já conhecido da gama Renault. Acoplado a uma caixa de seis velocidades, manteve elevado o plano de suavidade de utilização e conforto, sendo uma carrinha que mais parece pertencer ao segmento superior. Na versão GT line ensaiada, temos direito ao topo de equipamento, pelo que tudo, ou quase é oferecido de série.

Se curioso sobre a gama Renault GT Line, conheça o configurador clicando aqui

É verdade que as versões menos potentes do Megane Sport Tourer não têm direito ao sistema 4Control (só disponível no Megane Sport Tourer GT a gasolina e no modelo diesel biturbo com 160 CV), mas mesmo assim a carrinha mostrou-se muito eficaz. O chassis é excelente e a regulação das suspensões permite um bom equilíbrio entre comportamento e conforto. Graças à distância entre eixos majorada, a estabilidade é ligeiramente melhor que na berlina e permite algumas “aventuras” mesmo que a direção não tenha sensibilidade e nem sempre se perceba o que estão a fazer as rodas dianteiras.

Mesmo assim, um comportamento excelente que vai bem além do necessário para um carro familiar e um ambiente a bordo acolhedor e com conforto assinalável.

Se quiser conhecer outras ofertas da gama Renault Megane, basta clicar aqui!

megane_sport_tourer_20Veredicto

A Renault quis escutar quem melhor conhece os seus clientes e soube renovar o modelo mais vendido da sua gama, apontando aos problemas maiores das anteriores gerações. O resultado é um carro bem acabado, bem concebido, com qualidade acima do habitual na marca, com espaço suficiente e um fator de sedução que, na minha opinião, permite que a Renault não tenha de se esforçar muito para conduzir o Megane Sport Tourer ao topo das vendas e do segmento. Não é uma carrinha perfeita, mas é homogénea e com uma gama bem escalonada, merecendo estar na lista de compras de quem procura uma carrinha deste segmento, especialmente esta GT Line, muitíssimo bem equipada e com um preço nos 30 mil euros (sem extras, claro!).

José Manuel Costa

Renault Megane Sport Tourer dCi 110 GT Line – Preço 29.450€;  Motor 4 cil. em linha turbodiesel; 1598 c.c.; Potência 130 CV/4000 rpm; Binário 320 Nm/1750 rpm; Transmissão Dianteira, caixa manual de 6 vel.; Suspensão Independente McPherson fr/eixo de torçao tr.; Travagem Discos vent. fr/discos tr; Peso 1394 kgs; Mala 521/1504 litros; Depósito 47 litros; Vel. Máx 199 km/h; Acel. 0-100 km/h 10,6 seg.; Consumo médio 4,0 l/100 km; Emissões CO2 103 gr/km

 

Categories: Ensaios, Home, Retrovisor