Home

BMW iX, SUV elétrico com 500 CV, rival do Audi e-tron, com 600 km de autonomia

O conceito já tinha sido apresentado sob o nome iNEXT, materializou-se, agora, como iX, mantendo o formato SUV e uma autonomia de 600 km.

A casa alemã diz que este é a sua montra tecnológica e que estará à venda já em 2021. O formato SUV de generosas dimensões que, como referimos, teve como antevisão o protótipo Vision iNEXT, oferece 5 lugares. A motorização elétrica composta por dois motores, distribui 500 CV pelas quatro rodas, sendo capaz de chegar dos 0-100 km/h em menos de cinco segundos e uma autonomia em redor dos 600 km.

Após a BMW ter lançado, há sete anos, o i3, a casa bávara apresenta, agora, o segundo modelo totalmente elétrico. Sendo o topo da gama elétrica da BNW, recebeu o nome iX para sublinhar o seu papel de montra tecnológica.

Utiliza a quinta geração do sistema de propulsão elétrica da BMW, oferecendo além da cadeia de transmissão elétrica, níveis de autonomia na condução elevados e tecnologia de conectividade de primeira água. Olhando para a volumetria e para as características do iX, este BMW é rival direto do Audi e-tron e do Mercedes EQC, piscando o olho a quem gosta do Tesla Model X ou do Model S.

Tamanho de um X5

A BMW diz que o iX tem o tamanho de um X5, mas com espaço e funcionalidade de um X7, aproveitando, claro, a flexibilidade e dimensões mais compactas da propulsão elétrica. A plataforma é dedicada a este tipo de veículo e utiliza de forma ampla a fibra de carbono. Uma ideia que foi usada no i3 e que ditou, mesmo, a construção de uma fábrica especial para a fabricação de peças neste material. Uma unidade de produção que foi salva pela gama i da BMW, pois os modelos elétricos da casa bávara vão usar de forma abundante a fibra de carbono.

Como referimos, a plataforma será a base de todos os modelos elétricos e utiliza a fibra de carbono reforçada com plástico (CFRP), enquanto na carroçaria é utilizada uma mescla de alumínio, plástico e CFRP. É uma plataforma totalmente nova, porém, a BMW quis fazê-la compatível com a plataforma CLAR, usada, por exemplo, no Série 3 e no X5. Isto quer dizer que a BMW deixou a porta aberta para que futuros modelos da BMW i possam usar componentes dos modelos “normais” da BMW e vice-versa. Esta compatibilidade é fundamental para que a casa alemã possa produzir o iX na mesma linha de montagem de Dingolfing de onde saem os Série 5, 6, 7 e 8.

Estilo… diferente!

Olhando para o estilo… cada um dirá de sua justiça, mas a BMW tentou manter-se fiel ao protótipo original, ou seja, com uma grelha duplo rim de enormes dimensões, uma lateral sem nenhum traço, portas de generosas dimensões sem molduras, pilares B fixos e uma superfície vidrada que vai estreitando até uma reinterpretação do “hoffmeister kink” tradicional na BMW.

Pela primeira vez, a BMW tem um capô dianteiro em forma de concha… fixo! Pois é, a dianteira do iX não se abre, pois não há motor nem uma bagageira dianteira e o acesso ao depósito de água para os lava vidros faz-se pelo… símbolo da BMW! Como não há nada para refrigerar, a enorme grelha duplo rim serve para alojar todas as câmaras, sensores, radares e lasers necessários para os diversos sistemas de ajuda á condução. Os faróis passaram a exibir um quarteto de pequenas luzes full LED num conjunto fino que contrasta com as enormes narinas do carro. As jantes são de 22 polegadas com desenho otimizado em termos aerodinâmicos, com pneus 275/40.

Não há mais noticias sobre futuros desenvolvimentos, embora o responsável pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento, Frank Weber, tenha referido que cada eixo foi desenvolvido para encaixar entre 125 e 410 CV, pelo que pode haver mais modelos iX com potência, hipoteticamente, entre 250 e 810 CV.

Tração integral

O iX tem tração integral com prioridade ao eixo traseiro, a velocidade máxima é de 200 km/h e uma alargada oferta de baterias, sendo que este topo de gama está equipado com uma bateria de 100 kWh. Reclamando a BMW que o iX gasta 21 kWh por cada 100 quilómetros, a autonomia chega perto dos 600 km. Isto apesar do iX pesar mais de 2,5 toneladas, mesmo com o uso intensivo de alumínio e fibra de carbono. O sistema de carregamento do carro tem opção de carregamento rápido até 20 kW, permitindo, assim, que a bateria seja recarregada entre 10 e 80% em menos de 40 minutos. Já o carregador normal funciona a 11 kW, o que faz com que os mesmos 10 a 80% de carga sejam feitos em 11 horas numa “wallbox”.

Espaço a rodos

O interior é espaçoso com um piso plano e sem opção de terceira fila de bancos para ter uma lotação de sete passageiros, pois a BMW tem nas mãos um estudo que diz serem menos de 3% os utilizadores dos X5 e X7 que utilizam a terceira fila de bancos. A bagageira tem 650 litros. A consola central desapareceu, migrando os controlos todos para uma nova versão do iDrive colocado no apoio de braços entre os bancos dianteiros. Outros comandos passaram para os forros das portas e, conforme confessou Domagoj Dukic, o iX tem muito menos botões que os atuais BMW. O estilo aproxima-se mais do i3 do que dos atuais modelos da casa alemã.

Quanto a preços, não há nenhuma indicação, mas sendo o topo de gama elétrico da BMW, não será barato, certamente…

This slideshow requires JavaScript.

Categories: Home, Notícias

Tagged as: , ,