Desporto

Lewis Hamilton venceu GP da Turquia e sagrou-se campeão do Mundo!

Será que temos de mudar o adágio para “corrida molhada, campeonato abençoado”?! Lewis Hamilton venceu um molhado e louco GP da Turquia e sagrou-se campeão do Mundo.

Depois da surpresa de ontem com a “pole position” de Lance Stroll e da péssima posição na grelha de Lewis Hamilton, o GP da Turquia continuou a ser uma caixinha de surpresas. O piloto da Racing Point esteve na frente da corrida durante muito tempo e parecia encaminhar-se para a sua primeira vitória.

Porém, decidiu fazer uma segunda paragem para trocar para os Pirelli Cinturauto intermédios perdeu a liderança e a vitória começou a fugir-lhe entre os dedos. Mas esta decisão tinha como pano de fundo a estratégia usada por Charles Leclerc (Ferrari) para recuperar das profundezas da classificação.

O monegasco subiu até o terceiro lugar, mas Sebastian Vettel seguiu de perto o seu colega e esperou a sua oportunidade. Que apareceu quando Leclerc atacou o segundo lugar de Sergio Perez, falhou e Vettel aproveitou.

Com todas estas tropelias, Lewis Hamilton fez apenas uma paragem e ganhou apesar de muitos erros cometidos ao longo da corrida.

Hamilton sete vezes campeão do Mundo!

Contas feitas, Lewis Hamilton ganhou o título de 2020 e alcançou Michael Schumacher com sete títulos conquistados. Um feito assinalável, depois de se ter apossado do recorde de “pole positions” (na posse de Ayrton Senna) e de vitória (nas mãos de Michael Schumacher). Ou seja, começa a ser construído um palmarés que dificilmente poderá ser igualado. Isto apesar de se dizer o mesmo de Schumacher.

Corrida atribulada!

A Red Bull vai sair da Turquia com uma tremenda… azia! Na largada, tanto Verstappen como Albon foram, literalmente, engolidos pelo pelotão. Foram passados pelos Renault e pelos Mercedes e nunca mais recuperaram, com o holandês a terminar em sexto e o tailandês em sétimo.

Esteban Ocon tentou seguir com os Racing Point, mas foi prejudicado pelo susto que Daniel Ricciardo apanhou quando viu, a seu lado, Lewis Hamilton. A saída larga do australiano levou o francês a fazer um pião. Recuperar foi complicado e Esteban Ocon ficou no 11º lugar, fora dos pontos. Atrás de Daniel Ricciardo que ficou com o último lugar dos pontos.

Bottas aos piões

Estes acontecimentos tiveram o efeito dominó e Valteri Bottas foi apanhado. Sem opções, o finlandês fez um pião sincronizado com Ocon para evitar o francês. Porém, ironia das ironias, o piloto da Mercedes acabaria por levar o piloto da Renault a fazer segundo pião. Bottas deu-lhe um toque que além do pião provocou um furo na roda traseira esquerda do Renault de Ocon. Tudo porque Valteri Bottas perdeu a traseira do Mercedes.

Contas feitas, Lance Stroll e Sergio Perez estavam na frente com Lewis Hamilton em terceiro. Mas por pouco tempo. Hamilton alargou a trajetória e foi passado por Vettel e por Verstappen.

Ferrari marca o compasso

Mais a frente, a Ferrari deu o mote com a paragem de Charles Leclerc para trocar os pneus de chuva para os intermédios, quando seguia em 14º lugar. Logo de seguida, pararam Sebastian Vettel e Lewis Hamilton. O alemão era 3º, o britânico era 5º.

Verstappen cometeu um erro de avaliação. Insistiu em ficar em pista com pneus de chuva e só cedeu á 11ª, quando já tinha perdido demasiado tempo. Na frente, tudo estava tranquilo para Lance Stroll – até porque Sergio Perez tinha tido uma má paragem – até que chegou um “safety car” virtual. Antonio Giovinazzi (Sauber) foi o culpado. Ele que, tal como Lando Norris (McLaren), saiu de pista a caminho da grelha de partida. O carro calou-se e ficou parado a caminho da veloz curva 8.

Verstappen ainda deu um ar da sua graça no recomeço da corrida, passando por Vettel e aproveitando mais um erro de Hamilton (uma travagem falhada), encetando a perseguição aos Racing Point.

Muitas convulsões

Perez cometeu, também ele, um erro, quando estava na peugada de Stroll e quase perdeu a posição para Verstappen. Mas o holandês foi demasiado sôfrego e depois de quase passar Perez na curva 11, subiu os corretores, molhados, fez um pião a alta velocidade e caiu várias posições. Com os pneus destruídos, Verstappen teve de fazer segunda paragem e acabava aqui a corrida do holandês.

Abriu-se o palco para Alex Albon! Conseguindo manter-se perto de Perez, os dois foram encurtando distâncias para Lance Stroll. Mas os Pirelli intermédios estavam muito deteriorados e o tailandês começou a perder terreno. Até que Leclerc veio fazer a segunda paragem e espoletou a vitória de Hamilton.

O monegasco parou e o seu ritmo serviu de fio de prumo para outros, como Vettel e Albon. Que antes de parar ainda teve tempo para fazer o terceiro pião da corrida. Na frente, Perez ameaçava Stroll, mais atrás eram os Ferrari que voavam com os pneus intermédios novos. Já Hamilton perdia tempo. Mas, tudo se recompôs: Stroll parou e saiu em 4º atrás de Verstappen e Hamilton pediu à Mercedes para ficar em pista.

Como estava perto de Perez, usou o DRS e passou pelo mexicano, assumindo a liderança.

Muitos piões numa pista dificil

Com pneus já com muitas voltas, a superioridade do Mercedes face á cópia, perdão, ao Racing Point, era evidente e Hamilton fez um esforço extra. Em 10 voltas, ganhou-lhe quase 20 segundos. Estava decidido o GP da Turquia! Mais atrás, os Ferrari passavam pelo desapontado Lance Stroll e Leclerc esteve mesmo perto de passar por Perez, depois de usar o DRS para ficar na frente de Vettel.

Mas o monegasco acabaria por errar já nas voltas finais, perdeu o pódio para Vettel, ficando Perez tranquilo no segundo lugar a mais de 30 segundos de Hamilton. A chuva caiu, novamente, na parte final. Porém, não veio incomodar a caminhada de Hamilton rumo à vitória e ao sétimo título mundial.

Até final, Lance Stroll ainda perdeu uma posição para Lando Norris, depois de sair de pista. O piloto da McLaren ainda esteve em luta com Ricciardo. Mas o australiano fez um pião nessa escaramuça e fechou no décimo lugar.

Valteri Bottas não esteve muito feliz e não se entendeu com a pista, fazendo mais três piões até á bandeira de xadrez. Não pontuou e acabou dobrado pelo seu companheiro de equipa. Ele que tinha de ganhar 8 pontos a Hamilton…

This slideshow requires JavaScript.