Home

Vendas na Europa caíram 7% em outubro com a pandemia a acelerar

O Mundo continua de joelhos perante a pandemia de Covid-19. E com uma segunda vaga maior que a primeira, o mercado ressentiu-se e voltou às perdas.

As vendas na União Europeia, Reino Unido e países do espaço económico europeu foram de 1,13 milhões de veículos, em outubro. Em setembro, o valor tinha sido de 1.22 milhões de unidades, segundo contas da ACEA. Ou seja, o mercado encolheu 7%.

Pegando nestes números, olhemos para o que fizeram as marcas. A Audi viu as vendas crescerem 19%. A Jeep também conheceu crescimento, 6,7%, tal como sucedeu com a Fiat, que ganhou 5,5%. A Opel subiu 3% as vendas. No caso da Renault e Kia, o ganho foi, respetivamente, de 1,2 e 1,1%. As vendas da Dacia não conheceram oscilação.

Curiosamente, o grupo VW foi duramente atingido. Se a Audi ganhou vendas, a Porsche deu um trambolhão de 26% e a Volkswagen perdeu 17%! A Seat juntou-se à festa com um recuo de 12%, com a Skoda a perder 1,5%, Contas feitas, o grupo VW perdeu 7,5% em outubro.

Antes da fusão já acertada, o grupo PSA viu as vendas recuarem 5,3%, empurrada pelo resultado da DS (menos 18%) e da Citroen (menos 12%), com a Peugeot a amparar a queda, perdendo “apenas” 5%.

Mas houve mais marcas a terem um mês horrível. A Jaguar deslizou 33%, a Ford caiu 21% e a Nissan perdeu 14%. Os coreanos da Hyundai viram as suas vendas recuarem 15%. Já a Toyota teve um resultado negativo de 6,1%.

Se os generalistas perderam vendas, os Premium não ficaram a rir. A BMW recuou 14%, com a Mercedes a ter feito um melhor trabalho com uma perda de 3,3%.

Tudo isto junta-se a um ano em que, exceção feita a um pequeno ganho em setembro, todos os meses registaram perdas e, contas feitas, o mercado comercializou em 10 meses um total de 9,69 milhões de unidades. Ou seja, uma perda de 27% face a igual período de 2019.

Perante estes números, os Governos europeus têm tentado encontrar formas de ajudar o setor automóvel. Na Alemanha, o Estado quer despejar milhares de milhões de euros para fomentar o desenvolvimento e a produção de carros amigos do ambiente. A França vai prolongar os incentivos á compra de carros novos.

Em Itália, estão a ser reservados milhares de milhões de euros para ajudar a indústria automóvel.

Tudo isto numa altura em que novos confinamentos já existem e podem ser alargados a outras regiões. Por essa mesma razão, os cinco maiores mercados europeus sofreram muito. Espanha perdeu 21% das vendas, a França recuou 9.5%, Itália, Alemanha e Reino Unido perderam, respetivamente, 0,2, 3,6 e 1.6 por cento. E em Portugal?

Vendas em Portugal

O mês de outubro voltou a ser desapontante com um recuo nos automóveis ligeiros de 13%. Ou seja, foram vendidas 16.156 unidades em 2020, enquanto que mês de outubro de 2019 foram comercializados 18.566 veículos. Traduzindo isso para os 10 primeiros meses de 2020, temos um total de 120.443 unidades vendidas, menos 36,4% que em igual período de 2019 (220.746). Juntando os pesados, o recuo em outubro foi de 13% e no acumulado de 36,3%, num total de 143.733 veículos vendidos.

Categories: Home, Notícias

Tagged as: , , , ,