Home

Redução dos incentivos aos híbridos é bomba que abre cratera no setor automóvel

A reboque de um estudo europeu absolutamente enviesado e assim vazio de conclusões práticas, o Parlamento decidiu reduzir os incentivos á compra de veículos híbridos e híbridos Plug In.

Vamos falar do estudo. Várias coisas estão erradas. Desde a escolha dos modelos até às condições dos testes, desalinhados com a norma do WLTP. Finalmente, dizer que os híbridos Plug In gastam mais e são mais poluentes quando funcionam sem a bateria carregada, é uma conclusão de… “La Palisse”.

Mas fica a pergunta: quem faz mais de 50 km por dia? Serão poucos e sabemos que as deslocações pendulares não excedem os 30 km. Nas viagens, se deixarmos o sistema híbrido funcionar, as emissões são maiores, claro, mas inferiores às de um veículos exclusivamente com motor de combustão interna,

Todos sabemos que a resistência à mudança é um dos problemas da humanidade. E no que toca á utilização de novas tecnologias, o problema está no utilizador e não na tecnologia.

Diria que ensinar os condutores a utilizarem um híbrido Plug In é mais honesto que diabolizar a tecnologia como foi feito com o diesel. A farsa é enorme e percebe-se o jeito que este estudo feito pela agência “European Federation for Transport and Environment” faz aos políticos que cavalgam o ambiente como meio de chegar ao poder, usando populismo.

É, também, a forma da União Europeia forçar o caminho da mobilidade elétrica e empurrando o mercado para carros 100% elétricos que as pessoas não querem. Porque são mais caros. Porque desconfiam da tecnologia. Porque… querem ter oportunidade de escolha.

Curiosamente, este estudo foi feito para quebrar o impulso que as vendas dos modelos híbridos Plug In estavam a conhecer, por contraponto ao crescimento menos acelerado dos modelos elétricos.
Os investimentos pornográficos feitos por alguns construtores não podiam cair em saco roto. Por isso mesmo, a União Europeia decidiu colocar-se desse lado. Com redução drástica das emissões de CO2 aplicando multas pesadíssimas. E com estudos como o que foi agora lançado. Ou seja, é o empurrão final para os braços da mobilidade 100% elétrica.

No entanto, a nossa boca abriu-se de espanto quando em Portugal, um partido que diz defender as pessoas, os animais e o ambiente, pegou no estudo entregue pela Associação Zero e generalizou. O PAN decidiu brandir a sua bandeira de amigo do ambiente e, zás!, qual justiceiro obriga um fragilizado Governo a aceitar uma lei ridícula que funciona como o tiro de Sal Gema: quando disparado, acerta em tudo o que está à volta.

Claro que a Associação Zero viu a janela do protagonismo abrir-se e arrotou postas de prosa envenenada dizendo inverdades e pegando no estudo, não pelos cornos, mas de cernelha. Porque o estudo é sobre híbridos Plug In e não híbridos. Mas para a Zero isso não interessa!!! Vamos acabar com os carros… vamos salvar os ursos polares! Mas deixar de fazer algumas coisas que são muito mais poluentes, não deixam… pois, não lhes dá jeito.

O PAN viu a mesma janela – ainda gostava de saber se André Silva anda num carro de bois, toma banho com água da chuva e veste roupa feita de folhas de bananeira… – e aproveitando a genuflexão do Governo para aprovar o Orçamento de 2021, fez-se de Dom Quixote de La Mancha, duelando com monstros imaginários.

Então não viu que o estudo era só para os Plug In? Como é que pode dizer alguma coisa sobre os híbridos… se eles não estão lá mencionados no estudo?! Como é que consegue ser intelectualmente desonesto? Por ideologia, por sede de poder ou por favor a clientela? Afinal… igualzinho aos outros.

E o que foi parido desta negociação? A redução dos incentivos à compra de híbridos e híbridos Plug In, colocando a fasquia num nível que deixa de fora praticamente tudo.

Fica a pergunta: sabe o senhor deputado André Silva e os outros deputados do hemiciclo que nenhum híbrido consegue fazer menos de 50 gr/km de CO2 e mais de 80 km de autonomia elétrica? Um Plug In ainda pode aproximar-se, mas um híbrido?! Os senhores sabem qual é a autonomia de um híbrido suave ou de um híbrido?! Claro que não sabem! Demagogia pura, nada mais!

Sabe o senhor deputado André Silva e os restantes deputados o que separa um híbrido de um híbrido Plug In?

Enfim, sabe o senhor deputado André Silva e os restantes senhores pagos pelo erário público, o sismo que esta estúpida e absurda peça legislativa vai provocar no setor automóvel? Sabem estes doutos senhores o que pode provocar esta profundamente injusta e idiota legislação?

Infelizmente o desnorte e o famoso instinto de sobrevivência dos políticos são iguais aqui e em todo o Mundo. Talvez por isso é que se chamam políticos…

José Manuel Costa