Desporto

Adrien Formaux ganhou Rali Ilhas Canarias, título europeu foi para Alexey Lukyanuk

O piloto da M-Sport no WRC2 levou até as Canárias um Fiesta R5 da equipa de Malcolm Wilson equipado com pneus Michelin e ganhou a derradeira priva do Campeonato Europeu de Ralis.

Alexey Lukyanuk (Cittoen C3 R5), campeão europeu

Não foi uma vitória fácil, até porque Yoann Bonato ao volante de um Citroen C5 R5 tentou dar luta ao seu compatriota. Quedou-se pelo segundo lugar, numa prova que começou dominada pelos espanhóis.

Ivan Ares num Hyundai i20 R5 e Nil Solans num Skoda Fabia Evo R5, dominaram num primeiro momento, mas o azar tocou á porta dos espanhóis e na super especial de sexta feira, Fourmaux fê-la com piso seco. Ares e Solans toveram de se haver com a estrada molhada.

Porém, tudo mudou de forma definitiva na 12ª prova especial de classificação. Fourmaux escolheu este troço para atacar, Ivan Ares perdeu 25 segundos e Solans qualquer coisa como 1m25s. O piloto do Fabia esgotou os pneus suplentes e terminou a especial com uma roda furada.

Com tudo isto, Formaux viu-se na frente seguido de Yoann Bonato e de Ivan Ares, que conseguiu limitar os estragos e colocar o Hyundai i20 R5 no degrau mais baixo do pódio.

Olivier Solberg (VW Polo GTI R5)

Fora destas discussões estavam os candidatos ao título europeu de ralis. Oliver Solberg não se entendeu com as escolhas de pneus e andou a jogar roleta russa. Pneus de seco quando chovia, pneus de chuva quando estava a ficar o piso seco, traduziram-se num 4º lugar final. O filho de Petter Solberg, ao volante do VW Polo GTI R5, ficou a 1m17s do vencedor – ele que no WRC3 anda mais depressa que o francês no WRC2.

Uma classificação que era insuficiente para evitar que o título do Campeonato da Europa de Ralis caísse no colo de Alexey Lukyanuk. O russo de 40 anos, com um sétimo lugar ao volante do Citroen C3 R5, reclamou o segundo título europeu, o primeiro para a equipa Saintéloc Junior Team.

O russo, depois de falhar o título de 2019 na última prova especial de classificação do decisivo Rali da Hungria, conquistou assim a segunda coroa europeia. No final da prova, Lukyanuk mostrou-se “desapontado” com a sua performance. “Poderia ter sido muito melhor” referiu o piloto do Citroen C3 R5. “Cometi dois erros, mas este foi um rali muito duro. Tentei controlar a diferença para o Solberg. Para ser totalmente honesto, esperei ansiosamente o fim desta luta, ganhasse ou perdesse. Não importava, pois, a pressão ao longo da temporada foi imensa e precisava de respirar, relaxar e olhar em redor!”

Contas feitas, Alexey Lukyanuk ganhou com 116 pts, seguido de Oliver Solberg com 89 pts e Gregoire Munster foi o terceiro com 86 pts. No ERC1 a vitória foi para Oliver Solberg (VW Polo GTI R5), enquanto que no ERC2 o melhor foi Erdi Tibor Jr. (Mitsubishi Lancer Evo X) e na Copa Abarth, o melhor foi Dariusz Polonski. Nas senhoras, Emma Falcon ganhou com o seu Citroen C3 R5.

This slideshow requires JavaScript.