Desporto

Audi abandona Fórmula E, vai ao Dakar 2022 com um carro elétrico e regressa ao WEC

Teaser Dakar 2022

A presença na Fórmula E acaba no final da temporada e em 2022 os esforços vão para o Dakar e para o regresso ao WEC.

A temporada de 2021 será a última da Audi na Fórmula E, preparando-se para enfrentar a edição de 2022 do Dakar com um modelo elétrico ao mesmo tempo que pavimenta o caminho para o regresso a Le Mans e ao WEC com a nova regulamentação LMDh.

A Audi não levantou o véu do carro nem das características técnicas. Sabe-se, apenas, que será motorizado por uma unidade elétrica alimentada por uma bateria de alta capacidade. Mas terá um motor de combustão interna alimentado a gasolina com sobrealimentação, que funcionará como gerador. Ou como um extensor de autonomia, recarregando a bateria sempre que necessário ao longo da prova.

O ano de 2022 marca o ano em que a Audi regressa a provas fora de estrada, desde que a casa dos anéis venceu, em 1987, a subida às nuvens em Pikes Peak. Venceu com um Audi Quattro S1 E2 pilotado por Walter Rohrl.

Para este regresso, a Audi coloca um ponto final à participação na Fórmula E, onde estava desde 2014 e ganhou em 2018. Junta ao palmarés 12 vitórias e 43 pódios.

Segundo Markus Duesmann, CEO da Audi, o Dakar representa “o próximo passo no desporto automóvel eletrificado, oferecendo um excelente laboratório devido aos terrenos e as condições atmosféricas que vamos enfrentar.”

Lembramos que esta saída não impedirá que a Audi Sport não esteja interessada em ganhar, pois o carro da FE foi revelado há dias e tem um motor feito em casa, pela primeira vez. Descarta, assim, o motor desenvolvido em parceria com a Schaeffler. Empresa que vai, agora, desenvolver o carro do DTM para 2023. O motor que a Audi desenvolveu não durará, apenas, uma época, pois a Audi Sport vai colocar a unidade motriz à venda para qualquer equipa.

Paralelamente ao projeto Dakar Rally, a Audi estará concentrada no desenvolvimento do projeto para o Mundial de Endurance (WEC) segundo a nova regulamentação Le Mans Daytona Hybrid (LMDh). Não se sabe quando é que a Audi entrará em jogo, mas a Toyota e a Peugeot já estão confirmadas em 2022 e fala-se que haverá mais construtores interessados.

Aliás, num gesto de enorme classe, a Toyota Gazoo Racing já deu os parabéns à Audi, dizendo que estão ansiosos que a competição regresse.

O patrão da Audi Sport, Julius Seebach, referiu que “damos muita atenção aos desejos dos nossos clientes, tanto como à definição da estratégia para o futuro, claramente apontada à eletrificação e à neutralidade carbónica. A nossa mensagem para os adeptos é que a competição continuará a ter um papel muito importante na Audi!”

De referir que a Audi abandonou o DTM no final deste ano, depois de lá ter estado desde 2020, mas declarou apoio à ITR para o futuro do DTM. Que nos próximos anos será com carros GT e em 2023 terá uma competição elétrica com um carro que terá mais de 1200 CV.