Home

A VW vai colocar à venda o ID.6 em 2023 com autonomia próxima dos 700 km

O quinto modelo 100% elétrico da gama ID feito a partir do protótipo Vizzion será o ID.6, prometendo uma autonomia até 700 km!

O modelo está em desenvolvimento e chegará ao mercado no último trimestre de 2023 para rivalizar com o BMW i4 e com o Mercedes EQE. Deverá chamar-se ID.6 (internamente é conhecido como Aero-B) e será disponibilizado nas versões berlina de quatro portas e carrinha. 

Acredita-se que a carrinha do ID.6 terá proporções muito semelhantes às do Passat Variant, enquanto o interior terá uma habitabilidade ao nível do descontinuado Phaeton. Cortesia da motorização elétrica.

A plataforma do ID.6 será, claro, a MEB especifica para os veículos elétricos. Terá várias especificações: um motor e tração traseira ou dois motores e tração integral. Este último será parte da gama GTX, os modelos mais desportivos em versão elétrica, sendo capaz de chegar dos 0-100 km/h em menos de seis segundos. A versão com apenas um motor faz o mesmo exercício em 8,5 segundos.

Haverá, igualmente, uma ampla escolha de tamanhos de bateria, sendo que a maior terá 84 kWh de capacidade e oferecerá quase 700 km de autonomia. Esta autonomia será possível com as novas baterias de iões de lítio com maior eficiência e com uma aerodinâmica mais refinada e com menor arrasto e resistência ao rolamento. 

Outra novidade será a capacidade de carregar até 200 kW, ou seja, 10 minutos chegam para conseguir 230 km de autonomia. Isto num carregador rápido, claro!

O carro vai ser produzido na Alemanha na mesma fábrica onde hoje são feitos o Passat e o Arteon. Fábrica de Emden que está a ser alvo de uma profunda remodelação e expansão que lhe permitirá produzir até 300 mil carros 100% elétricos em 2023. Sim, daqui a três anos a VW quer estar a vender um milhão de EV, contando com isso produzir o ID.4 e ID.5 em Emden e o ID.6 igualmente na China, com os parceiros SAIC e FAW. 

Mas há mais novidades na gama ID: o ID.3 receberá uma atualização da capacidade de carregamento para 130 kW em julho de 2021 e uma opção de 170 kW a partir de dezembro. O que quer dizer que em 10 minutos se recupera 150 km de autonomia. Ou seja, a Volkswagen a trabalhar afincadamente para que a nova resistência à mobilidade elétrica – depois de afastada o medo da menor autonomia, agora é o tempo de carregamento a criar náuseas aos utilizadores – vá desaparecendo.