Clássicos

Clássicos Mercedes 450 SEL 6.9: imponente!

Foi há 45 anos que a Mercedes lançou o 450 SEL 6.9, aquele que foi considerado como o melhor carro de sempre da casa de Unterturkheim e a berlina de luxo mais veloz do Mundo.

O Mercedes 450 SEL 6.9 era o topo de gama W116 e foi introduzido na Primavera de 1975, tornando-se, rapidamente, num ícone da marca. O motor V8 6.9 litros M100 teve por base o mesmo bloco, mas com 6.3 litros, do 300 SEL 6.3. Um propulsor já muito avançado com cárter seco – embora isso tenha sido uma necessidade para que o capô não tivesse de ser modificado – cabeças em alumínio e injeção mecânica de combustível. O depósito de óleo tinha uma capacidade de 12 litros que tinham de ser mudados a cada 15 mil quilómetros. As válvulas tinham um mecanismo de auto nivelamento que dispensavam a afinação regular e novas juntas da cabeça que evitavam o constante reapertar das cabeças do motor.

Contas feitas, debitava 286 CV às 4250 rpm e 550 Nm de binário às 3000 rpm, estando acoplado a uma caixa automática com três velocidades. Tocava os 225 km/h e acelerava dos 0-100 km/h em 7,4 segundos. Performances perfeitamente atuais e com pneus 215 70 VR 14!

O 450 SEL 6.9 tinha suspensão hidropneumática auto niveladora (com quatro conjuntos mola amortecedor com sistema de óleo pressurizado), barras estabilizadoras mais grossas nos dois eixos e autoblocante. A relação final era longa, permitindo rolar a baixas rotações, permitindo um conforto e uma insonorização brilhante. Era um carro já com ar condicionado, cruise control, fecho central de portas, vidros elétricos, lava faróis e muitas outras coisas que hoje são comuns, mas na época raras. Tinha travões de disco às quatro rodas e chegou a ter ABS da Bosch. Nos opcionais, estavam o teto de abrir elétrico (988 DM, 505 euros) e o muito exclusivo telefone no carro Becker AT160S (15.342 DM, qualquer coisa como 7.900 euros).

O 460 SEL 6.9 era um carro caro e por isso a Mercedes produziu apenas 7380 unidades entre 1975 e 1980, na fábrica de Sindelfingen. Foi considerado, na época, o melhor carro jamais lançado pela Mercedes e que era, sem contestação, a berlina de luxo mais veloz do mundo, sendo que poucos desportivos conseguiam bater o carro da Mercedes. Na época, o carro custava (em janeiro de 1976) 69.930 marcos alemães, qualquer coisa como 36 mil euros. Há 45 anos! Para se perceber como era caro, a versão de entrada na gama W116, o 280 S, custava 28.848 marcos alemães, ou seja, 15 mil euros, e um Mercedes 200 (o antecessor do Classe E) ficava por 18.382 marcos alemães, cerca de 9.400 euros.

O 450 SEL 6.9 nasceu imediatamente após a crise do petróleo entre 1973 e 1974. Por isso, na época, revista “Automobil Revue” dizia que “é gratificante que, nesta altura, surja um carro que ofereça tamanho prazer de condução. O 6.9 não é só um testemunho do otimismo para o futuro dos seus criadores, mas também por se manterem fieis às suas convicções.” A revista britânica “Motor” dizia que “há apenas uma palavra para resumir o Mercedes 450 SEL 6.9: fabuloso!” Já o “Auto Motor und Sport” dizia que “este é o melhor carro do Mundo!”

Hoje, continua a ser um carro imponente e é dos mais cobiçados pelos colecionadores. Para já ainda está a um preço razoável sendo possível encontrar nos mercados europeus alguns modelos entre os 20 e os 40 mil euros, sendo que carros em excelentes condições e com os extras da época, podem ficar acima dos 60 mil euros.