Home

Mercedes AMG One: mais um episódio de um carro que vai chegar em 2021. Será?

O pesadelo para os homens da AMG continua e colocar num carro de estrada, mesmo um híper carro, a mecânica de um Fórmula 1 tem sido um desafio e tanto.

O carro foi anunciado em 2017 com um protótipo que a Mercedes classificou de híper carro com tecnologia vinda diretamente da F1. Desenhado o exterior por Gorden Wagener e o interior por Hartmut Sinkwitz, o Mercedes AMG One é feito entre Affalterbach (sede da Mercedes AMG), Brixworth (sede da Mercedes AMG High Performance Powertrains) e Brackley (sede da Mercedes AMG F1) onde o carro será montado.

O problema tem sido desenvolver a mecânica vinda da F1 para uma utilização em estrada. O AMG One utiliza o bloco 1.6 litros V6 a gasolina auxiliado por quarto motores elétricos. São mais de 1000 CV que permitem chegar aos 350 km/h e acelerar dos 0-100 km/h em menos de 2,2 segundos, dos 0-200 km/h abaixo dos 6 segundos e dos 0-300 km/h num tempo inferior aos 11 segundos. 

A unidade de potência está localizada a meio do carro, o motor chega ás 11 mil rotações por minuto, isto por questões de fiabilidade. 

Muito complicado tem sido fazer com que o motor consiga fazer “ralenti”, algo que é obrigatório para que possa ser homologado. Um motor pensado para estar sempre “no grito” não é fácil obrigá-lo a funcionar a 1280 rpm. E depois há outro problema… o motor só dura 50 mil quilómetros, findos os quais os clientes vão ter de enviar o carro para Brixworth para o motor ser recondicionado.

O bloco V6 de 1.6 litros debita 759 CV! Depois tem o MGU-K com 153 CV acoplado à cambota, um MGU-H com 122 CV, ligado ao turbo e dois motores elétricos se 161 CV cada, localizados nas rodas da frente. Os MGU-K e MGU-H são responsáveis pela recolha de energia e funcionam como na F1. Os motores elétricos à frente servem para oferecer tração integral ao carro.

Contas feitas, estes motores elétricos adicionam mais 612 CV ao total que supera os 1000 CV, com a AMG a referir um calor entre 1043 e 1231 CV. Quanto à transmissão é uma unidade manual de 8 velocidades com comando automatizado muito semelhante à da Fórmula 1.

Para propósitos promocionais, Lewis Hamilton foi chamado ao serviço para dar umas voltas com um carro que Philipp Schiemer, presidente da AMG, diz ser “instrumental no desenvolvimento e promoção da nossa nova tecnologia conhecida como ‘E Performance’.”

Hamilton, fresco de ganhar o seu sétimo título mundial de Fórmula 1, juntou-se à onda de otimismo em redor do carro, sublinhando que “eu ainda tenho dificuldades em acreditar que dentro em breve haverá um híper carro com um motor de Fórmula 1! Ganhamos o título em 2015 com este motor e estive envolvido no desenvolvimento do carro durante muito tempo. Conduzi o Project One durante as filmagens para uma nova campanha e estou muito orgulhoso do extraordinário esforço que a Mercedes AMG investiu neste projeto. É um carro absolutamente único!”