Desporto

Dakar 2021 – Etapa 2: Nasser Al-Attiyah vence etapa e Peterhansel reclama liderança

Após um dia complicado, Al-Attiyah fez os 457 km do segundo troço do Dakar 2021 a fundo e reclamou a vitória na especial, com Peterhansel a passar por Sainz na liderança da corrida.

Carros: Al-Attiyah ganha etapa, Peterhansel lidera

Abrir a pista está a ser um pesadelo e depois de ontem Nasser Al-Attiyah ter perdido muito tempo devido a isso, desta feita foi Carlos Sainz a conhecer dificuldades. Stephane Peterhansel, matreiro, apanhou rapidamente o espanhol e começou a ganhar tempo.

Mais atrás, era dia de espetáculo Al-Attiyah que fazia voar a Toyota Hilux V8 pelas pistas sauditas. De tal maneira que acabou por ganhar a especial com 2m35s de avanço para Stephane Peterhansel.

Este, por sua vez, bateu Carlos Sainz por quase 7 minutos. O espanhol acabou em terceiro a 9m07s do Qatari. Os 12 minutos que perdeu ontem só lhe permitem estar no terceiro lugar a 9m14s de Peterhansel que, por sua vez, tem 6m37s de avanço sobre Carlos Sainz.

A Toyota esteve bem melhor no segundo dia de prova, com Yazeed Al Rajhi a terminar no quarto lugar, seguido do Century de Mathieu Serradori. 

Sebastien Loeb, depois de três furos e alguns erros de navegação de Daniel Elena, perdeu muito tempo na primeira etapa. Nesta segunda tirada, o francês foi o sexto mais veloz, mas o BRX Hunter perdeu mais 16m53s, ou seja, começa a deixar de ser um concorrente á vitória. Ainda assim, o francês de 46 anos trepou na classificação até ao 7º lugar, mas já a mais de meia hora do seu compatriota Peterhansel.

Ainda no Top 10 da etapa ficaram Brian Baragwanath (Century), o sul africano que fez uma bela exibição no prólogo, Jakub Przygonski (Toyota Hilux), Vladimir Vasilyev (Mini) e Bernhard Tem Brinke.

Nani Roma (BRX Hunter) foi apenas 16º a 35m18s de Al-Attiyah e Giniel de Villiers (Toyota Hilux) volta a ficar fora da luta pela vitória com um 25º posto na especial a 45m22s de Al-Attiyah.

Na geral, o Top 10 a seguir a Peterhansel, Sainz e Al-Attiyah, temos Serradori (a 14m21s), Przygonski (a 24m27s), Al Rajhi (a 27m32s), Loeb (a 36m40s), Baragwanath (a 37m51s), Tem Brinke (a 41m49s) e Nani Roma a 41m55s.

Paulo Fiuza, navegador de Vaidotas Zala, está no 38º a 24h38m33s, depois de uma penalização de 12 horas recebida ontem. 

Ricardo Porém e Jorge Monteiro, ao volante do Borgward, foram 41ºs na etapa, a 1h10m28s, apºos mais um dia difícil para o piloto português. Na classificação geral, a dupla portuguesa está afundada no 38º lugar a 1h56m25s.

Filipe Palmeiro, navegador de Benediktas Vanagas (Toyota Hilux), está na 25º posição da geral, a 1h13m12s do líder Peterhansel.

Nos “Lightweight Veihcle”, Cristina Herrero perdeu quase 13 minutos para o vencedor da especial, Saleh Alsaif. O terceiro lugar na etapa permitiu que Francisco Lopez Contardo seja aghora o líder com 39s de vantagem para Aron Domzala e 1m01s para Gerrard Farres Guell. A líder no final do dia de ontem é agora 4ª a 2m47s do líder.

Motos: Barreda ganha num mau dia para a KTM

Está a ser uma verdadeira caixinha de surpresas o Dakar 2021. O espanhol Joan Barreda Bort ganhou pela 25ª vez no Dakar e reclamou a liderança da prova, abandonada por Toby Price.

Ricky Brabec, depois de um dia para esquecer, foi segundo na especial de 457 km a 3m55s. Barreda liderou todos os parciais e depois de ter ficado a 14m21s de Price no dia de ontem, o espanhol da Honda está agora com 6m23s de vantagem para Brabec.

Outro piloto que sofreu na primeira etapa, Pablo Quintanilla (Husqvarna), também recuperou e fechou a etapa em terceiro lugar a 6m02 de Barreda, seguido de Ross Branch (Yamaha) e José Ignácio Cornejo (Honda).

Contas feitas, Barreda lidera na frente de Brabec, seguido de Ross Branch, um estreante na equipa Yamaha, a 14 segundos do americano da Honda, enquanto Quintanilla é agora o 4º classificado na frente de Xavier de Soutrait, também ao volante de uma Husqvarna.

Fica evidente que a KTM conheceu um dia difícil. Mathias Walkner conheceu um problema mecânico na moto que lhe custou 2h15m. Toby Price esteve a etapa toda a perder tempo para Barreda e quando cruzou a linha de meta da etapa tinham voado 32 minutos (!). Na classificação geral é agora 28º a 17m39s de Barreda.

Sam Sunderland, outro “KTM Boy”, fez um pouco melhor, mas é apenas 12º a quase 13 minutos do espanhol da Honda. O estreante Daniel Sanders foi uma sombra de Barreda até que a navegação fez a diferença e perdeu 16 minutos para o espanhol.

Andrew Short foi o primeiro abandono entre os homens das equipas oficiais, deixando a sua Yamaha no deserto e regressando ao “bivouac” de helicóptero.

Joaquim Rodrigues (Hero) foi 12º na etapa e segue no 17ºlugar da geral a 20m21s de Barreda. Já Rui Gonçalves foi 21º na tirada e reclama o 25º lugar da geral, atrás de Sebastian Buhler que é 24º. Alexandre Azinhais foi 63º nesta segunda etapa, sendo mo 61º na geral.

Pablo Copetti ganhou nos Quad na frente de Giovanni Enrico e de Alexandre Giroud, com o francês a manter a liderança por pouco mais de um minuto.

Camiões: Kamaz como sempre…

Sotnikov (Kamaz) venceu a etapa na frente de Mardeev (Kamaz) e de Viazovich (MAZ). Shibalov (Kamaz) foi sexto da geral na etapa de hoje, com o maior perdedor a ser Ales Loprais, cujo Praga terminou a etapa no 10º lugar – na frente de um azarado Andrey Karginov – a mais de 22 minutos do vencedor da tirada.

Contas feitas, Dimitry Sotnikov está na liderança com 17m14s de vantagem para Siarhei Viazovich e 22m04s para Anton Shibalov. 

O Iveco de Martin Macik está no 4º lugar já a 24m36s, seguido de Mardeev (Kamaz) a quase meia hora de Sotnikov. Ales Loprais caiu para 6º e está, agora, a 30m33s.