Desporto

Dakar 2021 – Etapa 3: Al-Attiyah ganhou tempo a Peterhansel, Sainz deu trambolhão

Apesar de manter a liderança da prova, Stephane Peterhansel está muito pressionado por Nasser Al-Attiyah que venceu a terceira tirada e está, agora, a apenas 5 minutos do francês.

Já venceu o Dakar por três vezes e parece que quer dar à Toyota a vitória em 2021, apesar de ter entrado na prova com o pé esquerdo na primeira etapa do Dakar. Nasser Al-Attiyah venceu pela segunda vez este ano uma etapa e com isso está a apertar o cerco ao piloto do Mini JCW Buggy, Stephane Peterhansel. 

Os 406 km de especial não foram problema para o Qatari que voltou a dar espetáculo, particularmente na fase final da tirada de hoje, um loop entre Wadi Al-Dawasir e Wadi Al-Dewasir. 

Contas feitas, Nasser Al-Attiyah venceu com 2m27s de vantagem para a Toyota Hiliux de Henk Lategan enquanto que Stephane Peterhansel ficou a 4m05. 

O saudita Yasir Seaidan levou o buggy Century ao quarto lugar, na frente de Khalid Al Qassimi, finalmente a dar um ar da sua graça com o Peugeot 3008 DKR. Com esta classificação na etapa, ambos os pilotos entraram no Top 10 da prova.

A recuperar, Sebastien Loeb levou o BRX Hunter ao sexto lugar na tirada, mas perdendo mais 13m14s para Al Attiyah. Ocupa o mesmo lugar da geral, mas segue ao fim de três etapas a 45m49s, ou seja, já está demasiado longe. E o Hunter não parece ser tão competitivo como se esperava.

Seja como for, o francês está, agora, a apenas um minuto de Jakub Przygonski (ex-piloto de motos).

Carlos Sainz voltou a perder muito tempo depois de mais uma valente perdidela de Lucas Cruz que levou o Mini JCW Buggy a andar fora de estrada provocando um furo. Um dia para esquecer que se traduziu em 31m perdidos para Al Attiyah, escorregando para a 4ª posição à geral, atrás do Century G6 de Mathieu Serradori.

Martin Prokop manteve o seu Benzina Ford dentro do Top 10, mas segue já a mais de 56 minutos. 

Destaque, ainda, para o violento capotanço da Toyota Hilux V8 de Bernhard Ten Brinke. Felizmente, nenhum deles sofreu problemas físicos, já o mesmo não se pode dizer da Hilux.

No que toca aos portugueses, Ricardo Porém e Jorge Monteiro (Borgward) foram 29ºs na etapa a 39m43s e na classificação geral seguem no 33º lugar a 2h38m03s. 

Paulo Fiúza não teve sorte e o motor do Mini JCW pilotado por Zala Vaidotas acabou por abandonar no final do dia de ontem. 

Hoje, José Marques, navegador do lituano Gintas Petrus no buggy Optimus Chevrolet, foram 41ºs na especial e seguem no 42º lugar a 3h49m29s do 1º lugar. Filipe Palmeiro, ao lado de outro lituano, Benediktas Vanagas, ajudou a levar a Toyota Hilux ao 15º lugar da geral a 26m22s do líder da prova.

Entre os Lightweight Veihcle, “Chaleco” Lopez ganhou a terceira etapa com 23 segundos de vantagem para Autin Jones e 24 segundos para Michal Goczal.

Seth Quintero, o teenager norte americano, foi o quarto mais rápido enquanto que a ex-líder da prova, Cristina Herrero, ficou no 13º lugar a 11 minutos do vencedor.

Lourenço RTosa foi um excelente 12º classificado a pouco mais de 10 minutos de Lopez, estando, agora, no 15º lugar a 1h20m52s. Rui Carneiro e Filipe Serra são os 34º classificados a 6h34m32s do líder.

Corrida louca nas motos!

A cada dia que passa, a classificação nas motos conhece verdadeiro abalo telúrico! Ontem foi Juan Barreda Bort (Honda) quem subiu ao primeiro lugar depois de Toby Price ter perdido muito tempo. 

Hoje, Toby Price venceu pela segunda vez em 2021, mas a liderança da prova passou para as mãos de um privado, neste caso a KTM de Skyler Howes!

Largando lá para trás, Toby Price, Kevin Benavides e Matthias Walkner (que chegou ao final da etapa de ontem muito atrasado), tiveram um dia muito mais fácil que ontem.

Price e Benavides envolveram-se numa luta intensa que acabou com o australiano a ganhar a especial com 3m16s de vantagem para o argentino. 

Com um quarto lugar na tirada de hoje, o norte americano Howes (KTM) chegou á liderança da prova com meros 33 segundos de vantagem para Benavides (Honda) e 1m28s para Xavier de Soultrait (Husqvarna). Toby Price subiu ao 4º lugar a 1m52s, depois de ver Juan Barreda Bort (Honda) mostrar como abrir a pista pode ser duríssimo. 

O espanhol e Ricky Brabec perderam muito tempo, com o americano a terminar a etapa no 25º lugar a 21m39s e Barreda a deixar na pista 24m49s com um 30º lugar na etapa.

Contas feitas, Juan Barreda Bort caiu para o 8º lugar a 8m02s, Brabec ficou no 13º lugar a 11m15s. Pablo Quintanilla (Husqvarna) voltou a ter um dia complicado e está agora no 12º lugar da geral com 9m44s de atraso.

Ainda assim, a classificação das motos está ao rubro com os cinco primeiro a caberem em menos de 5 minutos e os dez melhores em menos de 9 minutos!

Destaque para o excelente 9º lugar na etapa para Rui Gonçalves aos comandos da Sherco oficial, o que lhe permite estar no 22º lugar da geral a 35m41s do primeiro classificado, três lugares abaixo de Joaquim Rodrigues com a Hero oficial. O piloto foi 20º na geral e segue no 19º lugar a 21m02s do líder. Alexandre Azinhais prossegue a prova, estando no 67º lugar da geral a 5h30m55s de Skyler Howes.

Nos quad, o francês Alexandre Giroud voltou a perder tempo para os homens da frente ao ser 4º na etapa a 6m15s de Nicolas Cavagliasso, o vencedor da tirada. Mas ganhou uma posição na geral. Isto porque o líder da categoria é, agora, Giovanni Enrico, com 4m06s de vantagem para Giroud, enquanto que o homem que dormiu na liderança, Pablo Copetti, foi apenas 5º na especial e caiu para o 4º lugar a 7m50s de Enrico.

Camiões: MAZ ganha à Kamaz

Viazovich conseguiu bater a Kamaz e o líder da prova no final da terceira etapa. O piloto bielorusso da MAZ ofereceu 18 segundos a Dmitry Sotnikov apºos mais de 3h45m de prova!

Anton Shabalov (Kamaz) ficou no terceiro lugar a 1m16s, Martin Macik (Iveco) foi o quarto classificado e Andrey Karginov fechou o Top 5 com o Kamaz. 

Contas feitas á classificação da corrida, Sotnikov lidera com 16,56s de vantagem para Viazovich, seguindo-se Shibalov a 23m01s, Macik a 26m00s e no quinto lugar está Ales Loprais (Praga) a 36m34s.