Desporto

Dakar 2021 – Etapa 6: Carlos Sainz venceu nos carros e nas motos Toby Price é o primeiro

As motos continuam em permanente ebulição e depois de alguns dias, Toby Price voltou ao comando da classificação, no final da sexta etapa entre Al Qaisumah e Ha’il, encurtada em 100 km (ficou com 348 km). Nos carros, Carlos Sainz deu um murro na mesa e venceu etapa.

Carros: Sainz ganha, Peterhansel continua na frente

Pode ter sido uma vitória de Pirro, mas Carlos Sainz ganhou de forma enfática a sexta etapa entre Al Qaisumah e Ha’il, atrasada 1h30m devido ao facto de muitos concorrentes terem chegado muito tarde ao “bivouac”, e encurtada em 100 km para 348 km de prova especial de classificação.

O espanhol andava irritado com a prova, com Lucas Cruz (devido aos erros de navegação) e consigo próprio, mas o campeão do Mundo de Ralis em 1990 e 1992 focou-se naquilo que faz melhor e aos 58 anos venceu mais uma etapa, a 43ª da sua carreira no Dakar.

Foi, também, a segunda vitória de Carlos Sainz na edição 2020, após o sucesso na especial entre Jeddah e Bisha. Foi também o fim de uma sequência de quatro vitórias da Toyota.

Stephane Peterhansel (Mini JCW)

Os líderes da prova, Stephane Peterhansel (Mini JCW) e Nasser Al-Attiyah (Toyota Hilux), envolveram-se numa luta sem quartel. A vantagem esteve de mãos dadas com o 13 vezes vencedor do Dakar, mas sempre resiliente e arriscando muito, o Qatari transformou uma desvantagem de 55 segundos nos primeiros quilómetros para uma vantagem de 18 segundos na linha de meta. 

Apenas um arranhão na robusta liderança de Peterhansel, cifrada em quase 6 minutos. Pela primeira vezem 2021, o francês ficou fora do pódio de uma etapa. Isto porque Yazeed Al Rajhi consegui ser segundo classificado na etapa com a sua Toyota Hilux, perdendo 4m03s para Sainz. 

O ex-piloto de motos e vice-campeão polaco de Drift, Jakub Przygonski foi o quinto classificado na etapa, na frente de Baragwanath e de Nani Roma. O vencedor de ontem, voltou ao registo habitual. Giniel de Villiers terminou em 8º a 22m20s de Sainz.

Destaque para o 11º lugar de Benediktas Vanagas e Filipe Palmeiro e o 28º lugar de Ricardo Porém/Jorge Monteiro (Borgward) a 55m22s.

Sebastien Loeb (BRX Hunter)

Azarado esteve Sebastien Loeb. O piloto do novo BRX Hunter by Prodrive, depois dos problemas com furos, erros de navegação e penalizações, viu um braço de suspensão partir e deixá-lo parado em pista à espera do camião de assistência, perdendo várias horas, mas com a esperança de conseguir chegar ao “bivouac” para reparar o carro no dia de descanso, amanhã, sábado.

O top 10 da especial foi completado com o cinco vezes vencedor do Dakar, em moto, Cyril Despres e Vladimir Vasilyev.

Na geral, Nani Roma continua a subir na classificação, estando já em 5º, mesmo que a 1h36m55s de Peterhansel. Porém, está a menos de uma hora do pódio e a 25 minutos do 4º lugar.

Nani Roma (BRX Hunter)

A fechar o Top 10 após seis etapas estão Brian Baragwanath (Century), Vladimir Vasilyev, Khalid Al Qassimi, Giniel de Villiers e Martin Prokop.

Nos SSV ou Lightweight Veihcle, grande reviravolta na classificação. A etapa foi madrasta para Francisco “Chaçeco” Lopez, que perdeu 53m28s para o vencedor da etapa, o teenager norte americano Seth Quinbtero. 

O irmão de Nasser Al-Attiyah, Khalifa Al-Attiyah, voltou a falhar a vitória numa especial ao perder 23 segundos para Quintero.

Manuel Andujar (154), Nicolas Cavigliasso (150) e David Knight (101)

Mas o grande vencedor desta sexta tirada foi Aron Domzala. O polaco foi apenas 4º na especial, perdeu 7m46s para Quintero, mas viu o comando da corrida aterrar-lhe no colo. Vai passar o dia de descanso no comando, mas com apenas 40 segundos para Austin Jones. O norte americano, acompanhado do brasileiro Gustavo Gugelmin, foi terceiro na etapa e está perto do primeiro lugar.

Com a vitória na etapa, Seth Quintero, tendo a seu lado o alemão Dennis Zenz, está agora no 3º lugar a 8m26s da liderança. O chileno Lopez deu um trambolhão de primeiro para quarto a 35m51s de Domzala.

Destaque para Lourenço Rosa e Joaquim Dias, que nesta etapa de 348 km conseguiram um excelente 9º lugar a 25m50s do vencedor à geral, já que nos SSV, foi o oitavo classificado. Na geral, o português subiu ao 12º lugar a 2h45m03s, mas a menos de meia hora do Top 10.

Toby Price (KTM)

Motos: Toby Price regressa ao comando

Juan Barreda Bort venceu mais uma etapa, a 27º da sua carreira no Dakar, sendo agora o 3º mais vitorioso em etapas do Dakar, na companhia de Jordi Arcarons, classificação liderada por Stephane Peterhansel e Cyril Despres. 

Joan Barreda Bort (Honda)

Ross Branch deu muito boa conta de si com a Yamaha oficial, ficando a meros 13 segundos do veloz espanhol, enquanto Daniel Sanders, o estreante da KTM, fechou o pódio a 53s do homem da Honda.

Mas com um cinzento sétimo lugar na etapa, a 3m54s de Barreda, Toby Price voltou ao comando da prova, que tinha sido seu no primeiro dia de competição.

Recordamos que tivemos cinco lideres diferentes em cinco etapas: Toby Price (KTM), Juan Barreda Bort (Honda), Skyler Howes (KTM), Xavier de Soultrait (Husqvarna) e Kevin Benavides (Honda).

Ricky Brabec (Honda) finalmente conheceu uma etapa mais tranquila, mas um erro de navegação castigou-o com mais 3 minutos perdidos, reclamando o 4º lugar a 2m24s do seu colega de equipa na HRC. 

Sem qualquer chance de uma boa classificação, Matthias Walkner (KTM) foi 5º na etapa, seguido de Adrien van Beveren (Yamaha), Toby Price (KTM) e o português Joaquim Rodrigues.

O homem da equipa oficial da Hero voltou a realizar uma excelente etapa, sem problemas, entrando no Top 10 da etapa e perdendo, apenas, 4m35s para Barreda.

Sam Sunderland (KTM) e Pablo Quintanilla (Husqvarna) fecharam os 10 mais velozes da etapa de hoje.

Kevin Benavides (Honda)

Kevin Benavides não foi feliz. Além de ter de abrir a pista com os naturais pequenos erros de navegação acumulados, sofreu com os ferimentos provocados pela queda de ontem. Os quase 10 minutos perdidos traduzem essas dificuldades e fizeram-no perder a liderança, caindo para segundo a 2m16s de Price.

Referência, ainda, para Sebastian Buhler, 21º na etapa e Rui Gonçalves, que terminou no 36º lugar no final da etapa antes do dia de descanso.

Sebastien Buhler (Hero)

Na geral, Joaquim Rodrigues (Hero) está no 17º lugar a 45m01s do líder, Buhler é 21º a 1h26m45s de Price e Rui Gonçalves (Sherco) está no 28º lugar a 2h43m47s.

Nos quad, Alexandre Giroud venceu a etapa antes do dia de descanso com 34 segundos de vantagem para Giovanni Enrico e 2m01s para Nicolas Cavigliasso, com Manuel Andujar a perder 11m31s para Giroud, enquanto Pablo Copetti deixou ficar na pista 30m11s.

Alexandre Giroud (Yamaha)

Contas feitas, Nicolas Cavigliasso manteve a liderança na frente de Manuel Andujar, agora com 33m18s de vantagem. O terceiro lugar é de Alexandre Giroud, já a 45m22s. Giovanni Enrico (a 50m19s) e Pablo Copetti (a 2h24m39s) fecham o Top 5 da geral dos Quad.

Anton Shibalov (Kamaz)

Camiões: Kamaz esmaga concorrência

Airat Mardeev liderou uma horda de Kamaz que dominou a etapa de hoje, com três camiões da marca russa a preencher o pódio. Depois de Mardeev ficaram Sotnikov a 1m08s e Shibalov a 4m49s. O melhor dos outros foi Ales Loprais (Praga) a terminar a etapa no 4º lugar a 5m43s.

Contas feitas, Dmitry Sotnikov (Kamaz) lidera com uns confortáveis 37m34s para Anton Shibalov e 1h01m43s para Airat Mardeev. Ou seja, um trio de Kamaz na frente. Martin Macik (Iveco) conheceu uma etapa difícil e perdeu 12m30s na etapa e o terceiro lugar da geral, estando a menos de um minuto de Mardeev. O quinto classificado é Ales Loprais (Praga) a 1h07m00s de Sotnikov.