Desporto

Dakar 2021 – Etapa 8: Al-Attiyah ganha etapa e cerca Peterhansel e nas motos, líder repetido é novidade

Cada vez mais fica evidente que a discussão da vitória nesta edição 2021 do Dakar será assunto entre “velhotes”… 

Isto porque de um lado está Stephane Peterhansel com 55 anos e 13 vitórias no Dakar ao volante de um Mini JCW Buggy. Do outro está Nasser Al-Attiyah, 50 anos, ganhador de três Dakar. Nas motos, uma enorme novidade: um líder igual após duas etapas! Honra do feito todinha para Jose Cornejo (Honda).

Carros: Al-Attiyah aperta o cerco a Peterhansel

A etapa de ontem, primeira metade de duas tiradas Maratona, deixou algumas marcas, nomeadamente, no Mini JCW Buggy de Stephane Peterhansel e no BRX Hunter de Sebastien Loeb.

O primeiro acabou por resolver o problema com o que tinha a bordo do carro e do camião de assistência que cumpre o percurso. Ou seja, dormiu pouco tal como o seu navegador e o carro foi coxo para a especial.

O nove vezes campeão do Mundo de Ralis foi mais azarado. Um rolamento partiu e acabou por destruir o cubo de uma roda, ficando Loeb parado na pista. Esperou… esperou… e esperou pelo camião de assistência inscrito como concorrente na prova.

Porém, este não chegou porque avariou (!) na especial e Loebe e Elena tiveram de se desenrascar. Conseguiram, mas o dia de hoje seria um castigo demasiado penoso para Loeb e Elena: arrancaram muito bem, estavam entre os mais rápidos, mas 43 km de pois da partida… ficaram parados com mais um problema mecânico e face a face com mais uma sessão de mecânica. Depois, foram os furos e a falta de rodas a pararem o Hunter de Loeb.

Peterhansel andu muito em durante grande parte da especial, mas o problema com o triângulo de suspensão do Mini JCW Buggy deverá ter-se agravado e o francês levantou o pé.

A fundo seguiam Al-Attiyah e Carlos Sainz, duelando quilómetro após quilómetro pela vitória na especial, que acabaria no colo do qatari por 52 segundos. Foi a 50ª vitória do piloto da Toyota Gazoo Racing no Dakar. Contas feitas, ganhou 3m03s a Peterhansel, pelo que o dia foi excelente para Al-Attyah.

Apesar da vitória de ontem, Yazeed Al-Rajhi seguia muito atrasado na classificação geral e na tirada de hoje afundou-se, definitivamente, ao perder quase uma hora para Nasser Al-Attiyah. Um problema mecânico foi a causa desta perda de tempo que o atirou para o 21º lugar da geral a mais de 5h55m do líder Peterhansel.

O ex-piloto da Citroen no WRC, Khalid Al Qassimi, levou o Peugeot 308 DKR até um excelente 4º lugar na etapa, ficando na frente do seu colega de equipa Cyril Despres. O francês conseguiu a sua melhor classificação em etapas do Dakar em 2021.

Cyril Despres (Peugeot PH Sport)

A fechar o Top 10 da etapa ficaram Jakub Przygonski (Toyota), Shameer Variawa (Toyota), Vladimir Vasilyev (Mini 4×4), Martin Prokop (Ford) e Christian Laveille (Optimum).

Destacar que o sul africano Variawa (com origens na India), piloto oficial da Toyota Gazoo Racing South Africa, conseguiu a sua melhor classificação em etapas do Dakar. Piloto de todo o terreno e empresário de sucesso com uma equipa própria no TT sul africano, Shameer Variawa tem a seu lado Dennis Murphy, um estreante como navegador no Dakar. Porém, o Dakar não é solo virgem, pois Murphy é um reconhecido co-piloto que já ajudou Giniel de Villiers nas corridas da África do Sul e tem feito parte da equipa técnica da Toyota Gazoo Racing nos últimos anos.

Lavielle conseguiu manter o Optimus dentro do Top 10, perdendo tempo para Cyril Despres, mas ganhando minutos preciosos a Giniel de Villiers, uma vez mais abaixo daquilo que se exige de um vencedor do Dakar. O sul africano venceu em 2009 com o VW Touareg TDI e tem 14 vitórias em etapas na prova criada por Thierry Sabine.

Com um excelente 13º tempo na tirada de hoje, Ricardo Porém e Jorge Monteiro tiveram, finalmente, uma etapa limpa e perderam 25m19s.

Esta excelente prestação fê-los subir até ao 20º lugar à geral, tendo o 15º lugar a 42 minutos de distância.

Filipe Palmeiro está, juntamente com Benediktas Vanagas, no 12º lugar da geral a menos de meia hora da 10ª posição, depois de um 16º lugar na especial de hoje. 

Nani Roma conheceu algumas dificuldades nesta segunda metade da dupla etapa Maratona, perdendo 34 minutos para Al-Attiyah. Não perdeu o quinto lugar da geral, mas ficou com Vladimir Vasilyev a apenas 11m30s. 

Lightweight Vehicle: mecânica promove nova reviravolta na classificação

A vantagem pode ser enorme e levar-nos a pensar que… “está feito!” Mas a mecânica tem as suas próprias ideias e o dia de hoje, nos Lightweight Vehicle, evidenciou isso mesmo: Aron Domzala tinha herdado o comando devido a um problema mecânico grave no veículo de Nicolas Cavigliasso, o polaco acaba de perder essa liderança… por um problema mecânico!

Francisco “Chaleco” Lopez ganhou a etapa com 52 segundos de vantagem para Sergei Kariakin e 1m31s para Reinaldo Varela. O novo líder da classificação dos Quad foi apenas 5º classificado na tirada com 2m30s de atraso para Lopez, ficando na frente de Seth Quintero que terminou a especial a 6m20s do chileno.

Contas feitas, Austin Jones é, agora, o comandante da classe com 9m22s de vantagem para Seth Quintero e 19m42s para Francisco “Chaleco” Lopez. Aron Domzala caiu para o 4º lugar a 30m22s. Fecha o Top 5 o russo Sergei Kariakin, a 47m15s de Jones.

Lourenço Rosa (Can Am)

Destaque para o 9º lugar à geral de Lourenço Rosa, a 23m08s do vencedor da tirada, estando a um degrau do Top 10. É 11º da geral e está a menos de 5 minutos de Kees Koolen, o 10º classificado dos Lightweight Vehicle. 

Motos: “Nacho” Cornejo vence etapa e consolida liderança

Finalmente, um líder que conserva a cadeira do poder dois dias seguidos! Esse feito pertence ao chileno Jose Ignacio Cornejo Florimo, piloto da Honda.

Venceu a oitava etapa na frente de Toby Price. O australiano cumpriu a especial com um pneu em estado menos próprio, mas chegou ao final da dupla etapa Maratona com um segundo tempo a 1m05s do vencedor.

Como o piloto da KTM estava a um segundo do homem da Honda, agora está a 1m06s e continua tudo em aberto na luta pela vitória no Dakar 2021.

Ricky Brabec confirmou que está de regresso às boas exibições com um terceiro lugar a 2m50s, deixando para trás Sam Sunderland (KTM) e Kevin Benavides (Honda).

Quem não vai cruzar a meta em Jeddah é Xavier de Soultrait. O piloto da equipa oficial da Husqvarna deu um valente trambolhão ao km 267 que o atirou para a cama de um hospital em Tabuk para fazer um diagnóstico radiológico completo para determinar as lesões do piloto. Que esteve sempre consciente.

A Yamaha voltou a conhecer má fortuna no Dakar 2021. Depois da queda de Ross Branch que o atrasou bastante, hoje foi a vez de Franco Caimi ver o motor da sua WR450F partir sem possibilidade de reparação.

Entre os portugueses, Joaquim Rodrigues não foi feliz. O piloto da Hero perdeu 31m57s para Cornejo e travou a sua recuperação na geral. Quanto a Sebastien Buhler, outro piloto da Hero, acabou o dia no 10º lugar a tirada de hoje, subindo a 19º da geral, onde Joaquim Rodrigues segue em 16º.

Joaquim Rodrigues (Hero)

Rui Gonçalves continua a levar a sua Sherco até ao final das etapas. Desta feita foi 41º a 51m19s, sendo agora 25º da geral a 4h00m50s.

Entre os Quad, Alexandre Giroud ganhou a etapa e escovou mais 1m12s à vantagem detida por Manuel Andujar, segundo na tirada e líder da classificação geral, agora com 19m43s. O terceiro é Giovanni Enrico, a 26 minutos do primeiro lugar, seguindo-se Pablo Copetti (a 2h41m27s) e Italo Pedemente (a 2h50m19s). 

Camiões: Kamaz segue tranquila rumo à vitória

Ao ser terceiro na especial, Dmitry Sotnikov perdeu 2m28s para Anton Shibalov, o vencedor da tirada e 9 segundos para Andrey Karginov. Num assunto entre os pilotos da Kamaz, a geral é liderada por Sotnikov com 43m28s de vantagem para Shibalov e 1h13m15s para Airat Mardeev. Todos, claro, aos comandos dos Kamaz.

Ales Loprais ganhou tempo a Mardeev – foi 6º na etapa enquanto o russo ficou em 7º – mas tão pouco que nada alterou na classificação, sendo o homem do camião Praga o melhor… dos outros!

Destaque para a 5º marca na etapa para Ignacio Casale, o homem que ganhou a classificação dos Quad em 2020 e que em 2021 se encontra aos comandos de um camião Tatra. Segue em nono da geral a 2h43m41s.