Home

General Motors redesenhou o seu logótipo após mais de 50 anos

O redesenhado logótipo da General Motors (GM) foi revelado na passada sexta feira.

A justificação para esta remodelação, a primeira em 50 anos, é a mudança de orientação para a mobilidade elétrica. 

Antes as letras GM surgiam em letras maiúsculas numa fonte sem contornos arredondados. Agora, passam a ser minúsculas e a letra M, por exemplo, é arredondada e parece a ficha (americana) de ligar à corrente. As cores azuladas querem invocar “céus limpos”.

O novo logótipo foi criado pelos designers da General Motors e a finte foi desenhada em casa, conforme a GM disse em comunicado. E, como dissemos, é a primeira vez que há uma mudança tão radical desde 1964.

O novo logótipo será introduzido com uma campanha intitulada “Everybody In”. Será a forma de promover o avanço do grupo rumo a eletrificação.

Os anúncios vão mostrar uma variedade de pessoas a falar sobre a tecnologia elétrica da GM. Uma das figuras centrais será Malcolm Gladwell, um autor que escreveu livros sobre mudanças culturais.

Recordamos que a companhia norte americana prometeu lançar 30 novos modelos elétricos em vários mercados até ao final de 2025, sendo que muitos deles serão acessíveis.

Recordamos que a General Motors foi fundada em 1908 com um modelo de negócio em redor da venda de veículos com grande variedade de preços e marcas entre a Chevrolet e a Cadillac. Aliás, a GM chegou a ter como lema “A car for every purse and purpose” (um carro para todas as bolsas e propósitos).

Na hora da mudança rumo à mobilidade elétrica, a GM vai manter essa estratégia de negócio.

Curiosamente, a GM não vai usar o novo símbolo nos carros e nos camiões, mas apenas a nível corporativo, edifícios, estacionário da empresa, cartões de visita e no site de internet (www.gm.com).

Lembramos que outros construtores mudaram o seu logótipo a propósito da mudança rumo à mobilidade elétrica. A VW foi a primeira a mudar ligeiramente o seu símbolo em setembro de 2019. No mês de julho passado, foi a vez da Nissan, na mesma altura que revelou o Ariya, modelo 100% elétrico.