Desporto

Dakar 2021 – Etapa 9: Peterhansel apanhou Al-Attiyah de surpresa e reforça liderança

O “senhor Dakar” escolheu a nona etapa nas margens do Mar Vermelho para dar, quem sabe, a estocada final na peleja pela vitória no Dakar 2021.

A ronda 9 que ligava Neom a Neom, num total de 465 km contra o cronómetro, foi também palco para a recordação de Paulo Gonçalves. 

Caíram doze folhas de calendário desde que neste preciso dia, Paulo Gonçalves tombou nas areias do deserto saudita, uma morte absolutamente injusta que foi assinalada pelos seus pares. 

Os pilotos da Honda fizeram sentida homenagem ao português que foi herói no Dakar. Toby Price tinha o seu capacete especial a lembrar o “Speedy”.

A imprensa recordou o homem bom e o bom homem que faleceu nas areias da Arábia Saudita de uma forma perfeitamente injusta. Com lágrimas nos olhos, aqui deixamos um abraço para o Paulo Gonçalves e, particularmente, para a sua família.

Motos: Cornejo reforça liderança

Como dissemos, o dia foi madrasto para os homens das motos. Toby Price deu valente trambolhão ao km 155 que o atirou para um hospital em Tabuk com lesões num braço e no ombro. Fim de uma prova que nem sempre sorriu ao homem da KTM.

Ross Branch, o piloto da Yamaha, já estava atraso, mas mantinha o espírito de missão – ele que não deveria estar a disputar o Dakar não fosse o convite da Yamaha – até que a mecânica lhe tirou o tapete e o condenou ao abandono. O natural do Botswana e piloto de aviação comercial ainda tentou uma sessão de mecânica. Debalde, já que o motor tinha, mesmo, entregue a alma ao criador.

Quem também não chegou ao “bivouac” de Neom foi Luciano Benavides. O piloto da Husqvarna também caiu e abandonou a prova. Ricky Brabec (Honda) e Sam Sunderland (KTM) perderam mais de 12 minutos, mas a organização devolveu-lhes o tempo gasto na ajuda a Price.

Contas feitas, José Cornejo (Honda) está na frente com 11m24s para Kevin Benavides (Honda), o vencedor da especial. No terceiro lugar está Sam Sunderland (KTM) a 14m34s, seguido de Ricky Brabec (Honda) a 17m26s. 

Daniel Sanders (KTM)

O “rookie” Daniel Sanders (KTM) está no 6º lugar a 38m23s, com Lorenzo Santolin (Sherco) no sétimo posto com uma diferença de 42m08s. O Top 10 fecha-se com Adrian van Beveren (Yamaha) a 1h02m48s e Pablo Quintanilla (Husqvarna), a 1h25m40s.

Joaquim Rodrigues (Hero) chegou ao 12º lugar da geral a 1h48m03s, enquanto que Sebastien Buhler (Hero) é 16º a 3h03m12s. Apesar de dorido pela queda que deu ontem, Rui Gonçalves (Sherco) continua a fazer uma bela prova, seguindo no 22º lugar a 5h45m14s.

Entre os Quad, Giovanni Enrico ganhou a especial com 1m30s de vantagem para Alexandre Giroud e 1m45s sobre Manuel Andujar. Na frente continua Manuel Andujar com 19m28s sobre Alexandre Giroud e 24m15s para Giovanni Enrico. Fecham o Top 5, Pablo Copetti (a 2h57m13s) e Italo Pedemonte (a 3h04m34s).

Carros: Stephane Peterhansel deu estocada (quase) final

Ocupava a liderança da prova há vários dias sem ganhar uma especial. Mas, “raposa velha”, Stephane Petehansel, vencedor da prova por 13 vezes em motos e carros, esperou a melhor altura para dar a estocada (quase) final na peleja pela vitória.

O francês levou o Mini JCW Buggy à primeira vitória em especiais na edição de 2021, num misto de rapidez e de problemas alheios. Peterhansel rodou de forma consistente, sem erros e evitando as armadilhas, ao passo que Nasser Al-Attiyah forçou o ritmo para anular os cerca de seis minutos de atraso para o Mini.

Nasser Al-Attiyah (Toyota)

Pagou uma fatura elevada com dois furos que o fizeram perder 12 minutos redondos para Peterhansel. Contas feitas, o piloto da Toyota ficou a 17m50s do seu rival francês.

Pior esteve Carlos Sainz. O espanhol teve de parar para resolver um problema na travagem do Mini JCW Buggy e perdeu 22m30s para o seu colega de equipa. 

Agora está a 1h02m25s e só um enorme azar de Peterhansel e Al-Attiyah lhe poderá oferecer a vitória em 2021.

Giniel de Villiers conseguiu uma etapa sem problemas e, descontando a vitória na 5ª etapa, conseguiu o melhor resultado com um 3º lugar a 19 segundos de Al-Attiyah.

Giniel de Villiers (Toyota)

Ontem abandonou Sebastien Loeb e Daniel Elena (BRX Hunter) depois de muitos (demasiados!) problemas e dois furos que não foi possível reparar. Até porque o camião de assistência tinha ficado avariado na primeira metade da etapa maratona.

Destaque, ainda, para o sexto lugar na geral de Martin Prokop com o Ford Ranger e o 9º lugar de Benediktas Vanagas, navegado por Filipe Palmeiro.

Na geral, Stephane Peterhansel tem 17m50s de vantagem para Nasser Al-Attiyah, com Carlos Sainz em terceiro. No quarto lugar manteve-se Jakub Przygonski (Toyota Hilux V8) a 2h16m30s, seguido de Nani Roma (BRX Hunter) a 2h42m38s e Khalid Al Qassimi (Peugeot 3008 DKR) a 3h01m13s.

Fecham o Top 10, Vladimir Vasilyev (Mini JCW 4×4) a 3h10m17s, Martin Prokop (Ford) a 3h36m01s, Giniel de Villiers (Toyota Hilux V8) a 3h40m09s e Christian Lavieille (Optimus Buggy) a 4h10m32s.

Ricardo Porém (Borgward) está no 20º lugar da geral a 6h12m50s. Gintas Petrus e José Marques (Optimus Buggy) segue no 32º lugar, enquanto Benediktas Vanagas e Filipe Palmeiro estão no 12º lugar da geral.

Nos Lightweight Vehicle, Francisco “Chaleco” Lopez venceu a especial na frente de Khalifa Al-Attiyah, com Austin Jones a perder mais de 33 minutos para o chileno. 

Com este atraso de Jones, “Chaleco” Lopez regressou ao comando da categoria com 12m25s de vantagem para o norte americano, sendo terceiro Aron Domzala a 38m03s.

Apesar de um 29º lugar na especial (na frente de Rui Carneiro), Lorenço Rosa subiu ao 11ºlugar da geral. Beneficiou do abandono de Seth Quintero. Rui Carneiro está no 22º lugar. Dizer que Lourenço Rosa está a menos de um minuto do 10º lugar de Eric Abel. 

Camiões: Kamaz a queimar calendário

Martin Macik (Iveco) deu um grito de revolta e sem problemas na especial, levou o “Charlie” à vitória na especial. Ganhou pouco, mas deixou claro que poderia ter dado mais luta pelos primeiros lugares.

Airat Mardeev foi segundo, Sotnikov reclamou o terceiro lugar, perdendo, apenas, 2m37s. Ales Loprais ficou em 4º com Shibalov a fechar o Top 5 com o Kamaz.

Aliaksei Vishneuski levou a MAZ à luta pela vitória na especial, mas acabou por se atrasar e terminou em oitavo com mais 25m35s perdidos. 

Dmitry Sotnikov continua destacado na liderança com 45m03s para Shibalov e 1h13m05s para Mardeev. Loprais (Praga) está em 4º, a 1h30m15s. Fecha o Top 5 o Iveco de Martin Macik, com Vishneuski no sexto lugar com o MAZ.