Desporto

Dakar 2021 – Etapa 11: Al Attiyah vence etapa, Peterhansel mais perto da 14º vitória na prova

A penúltima etapa do Dakar 2021 foi encurtada em cerca de 50 km e os 500 km de especial não produziram alterações de fundo nas classificações, com Stephane Peterhansel e Kevin Benavides a caminho da vitória.

A 11ª etapa ligou Al Ula a Yanbu num total de 464 km contra o cronómetro. Oferecia muitas dificuldades de navegação e algumas baixas.

Joan Barreda Bort caiu há dois dias e bateu forte com a cabeça. Apesar de ter perdido a consciência, desvalorizou e, dois dias depois, veio a fatura: o espanhol foi parar a hospital depois de ter falhado uma zona de reabastecimento, já com alguns sintomas de traumatismo craniano. Ficou parado no deserto e acabou por pedir ajuda médica. Final de prova, uma vez mais, para o rápido piloto espanhol da Honda.

Carros: Peterhansel cada vez mais perto da vitória

O francês não evitou a quinta vitória em especiais de Nasser Al-Attiyah, mas controlou a etapa e terminou os 464 km de troço com mão e meia no troféu de vencedor, alargando o recorde de vitórias para 14. Curiosamente, 20 anos depois do seu primeiro sucesso, na época aos comandos de uma moto.

Stephane Peterhansel andou muito tempo no comando das operações, com alguns quilómetros a serem liderados à vez por Carlos Sainz e Khaled Al-Qassimi. Os derradeiros 26 km foram complicados para Peterhansel que de uma vantagem de 29 segundos para Al-Attiyah, cruzou a linha de meta com um atraso de 1m56s. 

Carlos Sainz fechou o pódio a 30 segundos do seu colega de equipa, perdendo, uma vez mais por furos, uma mão cheia de minutos a meio da especial. Lá voltou a recuperar, mas Lucas Cruz deve ter ficado com os ouvidos a arder com a fúria de Sainz. 

Se Yazeed Al-Rahji ficou no quarto lugar a mais de 4 minutos do vencedor, Cyril Despres igualou o seu melhor resultado de 2021 com o 5º lugar na tirada.

Brian Baragwanath (Century)

Ao volante da Toyota Hilux V8 livre de problemas e de furos, Giniel de Villiers foi o 6º na frente de Vladimir Vassilyev. Al Qassimi perdeu-se e ficou apenas com o 8º lugar, fechando o Top 10 o Century de Yasir Seaidan e o Ford Ranger de Martin Prokop. 

Benedilktas Vanagas e Filipe Palmeiro foram 14ºs na etapa, enquanto que Gintas Petrus e José Marques ficaram no 33º lugar.

Ricardo Porém andou muito bem até que o piloto de Leiria acompanhado por Jorge Monteiro, apanhou dois valentes sustos que poderiam ter destruído o carro e preferiu levantar o pé e chegar ao final. Apesar do 36º lugar na etapa a 1h04m13s, o piloto da Borgward subiu uma posição e entrou, uma vez mais, no Top 20. Filipe Palmeiro caiu para 12º atrás de Christian Lavieille, que saiu do Top 10 por troca com Cyril Depres. José Marques está no 31º lugar a 37 minutos do Top 30.

Stephane Peterhansel tem 15m05s de vantagem para Nasser Al-Attiyah e 1h04m14s para Carlos Sainz. Está quase, quase, com a mão no troféu.

Nos Lightweight Vehicle, Seth Quintero, já fora da classificação da prova andando em “Dakar Experience”, venceu a etapa na frente de Francisco “Chaleco” Lopez, com 12m13s de vantagem. Austin Jones foi apenas 6º a 20m24s do teenager norte americano, Aron Domzala ficou mais atrás com um atraso de 23m48s.

Na geral, “Chaleco” Lopez tem 18m24s de vantagem para Austin Jones e 54m16s para Aron Domzala.

Lourenço Rosa conheceu uma etapa terrível, medonha, e perdeu 2h16m para o vencedor da tirada. Rui Carneiro foi 29º a 1h02m08s do vencedor da etapa. Na geral, Lourenço Rosa caiu para 15º da geral a 6h45m44s, enquanto Rui Carneiro segue em 26º a 11h09m49s.

Motos: Sunderland vence, Benavides segura a liderança

Sam Sunderland deu uma alegria à KTM com a vitória na etapa, na frente de Pablo Quintanilha (Husqvarna) e de Kevin Benavides (Honda). Ricky Brabec (Honda) perdeu tempo para Benavides e para Sunderland.

Com os seis minutos ganhos na especial, Sunderland está, agora, a 4m12s de Benavides quando falta, apenas, uma etapa. Brabec caiu para terceiro a 7m13s, fechando o Top 5 o estreante Daniel Sanders (KTM) e o americano Skyler Howes (KTM).

Sebastian Buhler (Hero) foi 12º na etapa, com Rui Gonçalves (Sherco) a realizar o 14º tempo na especial e Joaquim Rodrigues (Hero), apenas 24º na tirada. Joaquim Rodrigues segue no 12º lugar, agora mais longe do Top 10, enquanto Buhler está no 15º posto e Rui Gonçalves no 20º lugar.

Nos Quad, Giovanni Enrico venceu a etapa na frente de Manuel Andujar e Pablo Copetti. Na classificação geral, Manuel Andujar continua na frente com 25m52s de vantagem para Giovanni Enrico, com pablo Copetti no terceiro lugar a 3h01m34s.

Camiões: Kamaz como sempre

A vitória na especial foi para Shibalov, com 4m13s para Mardeev e 4m53s para Vishneuski (MAZ). Sotnikov foi o quarto na especial a 7m24s do vencedor. Martin Macik não foi além de 5º. 

Sotnikov tem a coroa de vencedor à sua espera em Jeddah, pois à entrada da última etapa, tem 39m58s, seguido de Shibalov a 1h11m30s e de Mardeev a 1h11m30s. O Top 5 fica fechado com Martin Macik (Iveco) a 1h47m48s e Ales Loprais (Praga) a 1h54m08s.

Etapa 12 – Yanbu – Jeddah

Para fecho de festa, o Dakar 2021 reserva uma etapa com 225 km e 227 km de ligação, entre Yanbu e Jeddah. Ao contrário do habitual, a derradeira prova especial de classificação não será uma… pêra doce! Todos os resistentes e os que estiverem na luta pela vitória vão enfrentar cadeias de dunas onde é fácil ficar atascado. E isso pode ser a diferença entre um final de prova em beleza e um final amargo. Mas quem passar por tudo isto e tenha participado no Dakar original, recordar-se-á do final no Lago Rosa da capital do Senegal. Na Arábia Saudita, será um final nas margens do Mar Vermelho.