Antevisão

Renault entra na “Nouvelle Vague” e o R5 está, mesmo, de regresso!

Aqui está ele, a reinterpretação moderna do Renault 5, que será totalmente elétrico e promete ser um carro diferenciado.

Foi hoje, durante a apresentação da estratégia “Renaulution” que Luca de Meo revelou a nova era da Renault, a “Nouvelle Vague”.

A ideia é trazer modernidade ao panorama automóvel europeu tornando a marca francesa numa empresa de tecnologia, serviços e energias limpas.

Assim sendo, até 2025, vão ser lançados 14 novos modelos. Destes, sete serão 100% elétricos e sete pertencerão aos segmentos C e D. Todos os novos modelos terão versões eletrificadas, sejam elas 100% elétrica ou híbridas.

Com o Renaulution e a “Nouvelle Vague”, a Renault aceita e abraça as mudanças do mercado automóvel e transforma-se numa marca de tecnologias, de serviços e de energias limpas. 

A Renault conservará a sua liderança na transição energética, através de soluções eletrificadas e de hidrogénio, para oferecer a gama mais “verde” da Europa, até 2025. 

Relativamente à tecnologia, a Renault conta com uma novidade, a “Software République”, um ecossistema aberto dedicado ao software, aos dados, à cibersegurança e à microeletrónica. 

Este sistema irá fornecer os serviços conetados à gama da Renault. A criação de valor advirá de um melhor mix de produtos, favorecendo o segmento C, do desenvolvimento de tecnologias de ponta e de novas oportunidades comerciais ligada ao ciclo de vida dos automóveis.

A inovação esteve sempre presente no coração da Renault ao longo dos seus 120 anos de existência, e a marca tem excelentes argumentos que consubstanciam a sua ambição de ser a ‘Nouvelle Vague’. 

A Renault é líder do mercado europeu de Veículos Elétricos, tem mais de 10 anos de profunda experiência na mobilidade elétrica e nos serviços e conta com mais de 300 mil veículos elétricos vendidos. A Renault inventou a tecnologia E-TECH, uma tecnologia híbrida com mais de 150 patentes e que se baseia na experiência da marca nos veículos elétricos e na F1.

O Software Lab reúne mais de mil engenheiros especializados em software, dados e serviços da “cloud”. E a Renault possui uma unidade industrial única, a Re-Factory de Flins, a primeira fábrica na Europa dedicada à economia circular da mobilidade da Europa. 

Assim sendo, A Renault vai evoluir para uma marca tecnológica, com uma abordagem de ecossistema que visa fazer emergir uma nova geração de fornecedores de equipamentos e de mobilidade. 

Chama-se “Software République”, o ecossistema que vai permitir à Renault, a outros membros fundadores, e a futuros parceiros, desenvolverem competências, reforçar o “know-how” Europeu e defender a sua soberania em tecnologias chave, do “Big Data” à eletrónica. 

Irá ainda permitir à Renault equipar os seus automóveis com os melhores sistemas de inteligência artificial e de cibersegurança.

Além disso, oferece uma marca de serviços, que oferece os melhores serviços conectados e tecnologia de ponta, a bordo dos seus automóveis. 

Em 2022, a Renault vai introduzir o My Link, um novo sistema de info-entretenimento baseado na tecnologia “Google Built-In”. A Renault será o primeiro construtor automóvel a oferecer os serviços da Google nos automóveis de produção em grande escala.

Tornando-se mais inteligentes a cada dia, os nossos automóveis serão cada vez mais valiosos. 

Irão também ser mais duráveis. 

A Renault vai tentar quebrar o ciclo consumista e gerar valor até ao fim do ciclo de vida de um automóvel, tudo graças à sua Re-Factory em Flins (França). 

Esta unidade vai recondicionar mais de 100 mil automóveis usados por ano e converter automóveis diesel em automóveis elétricos ou a biogaz. 

Desta forma, a Renault tem uma clara vantagem no que concerne ao recondicionamento e reciclagem de baterias. O controlo dessa parte da cadeia de valor tem potencial para gerar oportunidades comerciais e valor. 

A Renault deseja ser uma marca de Energias Limpas, tornando-se líder da transição energética. 

Ao mesmo tempo que tentará impor a tecnologia E-Tech, a Renault quer manter a liderança no mercado de veículos elétricos, com uma nova família de produtos baseados nas duas plataformas elétricas dedicadas, a CMF-EV e CMF-B EV. 

Oferecerá, ainda, soluções a hidrogénio, prontas a serem comercializadas, para os mercados dos Comerciais Ligeiros. O objetivo é o de ter a oferta mais “verde” do mercado Europeu. 

O reposicionamento da oferta vai ajudar a marca a recuperar a sua posição na linha da frente do segmento C, ao mesmo tempo que reforça a liderança no segmento B. Até 2025, serão lançados 14 modelos (sete elétricos e sete dos segmentos C/D), com a ambição que os segmentos superiores representem 45% das vendas até ao final desse ano.

Renault 5 Prototype: O renascimento de um automóvel de culto

A alma de uma marca está nas suas raízes, diz a Renault. Sem cair disparatadamente no passado, a Renault foi buscar a inspiração para reencontrar o espírito dos tempos gloriosos. 

É assim que a Renault caracteriza o R5 Prototype. A marca francesa quer mostrar a democratização do automóvel elétrico na Europa, com uma abordagem moderna de um automóvel popular. O Renault 5 Prototype é um automóvel citadino e compacto.

A ideia expressa por Luca de Meo, é catapultar para o futuro um ícone intemporal da Renault, com um toque moderno e 100% elétrico. 

O Renault 5 Prototype inspira-se, claramente, no design original, com uma abordagem moderna que é também evidente nos acabamentos e nos materiais escolhidos, inspirados nos universos da eletrónica, do mobiliário e do desporto.

O R5 é imediatamente reconhecido, mas graças ao tratamento moderno das linhas e superfícies, e aos detalhes futuristas (luzes, dianteira). 

O resultado faz lembrar, claramente, o modelo original. Os elementos estilísticos retirados do design original escondem algumas funções modernas: a entrada de ar no capô esconde o terminal de carga, as luzes traseiras incluem defletores aerodinâmicos, e os faróis de nevoeiro no pára-choques são agora luzes de condução diurna. Na grelha lateral, jantes e logo traseiro, há ainda um aceno ao “5” original. Os logos frontal e traseiro acendem-se, trazendo o R5 “à vida”. A bandeira francesa nos retrovisores sublinha o “French touch”. Diz a Renault.

“O design do Renault 5 Prototype baseia-se no R5, que é um modelo de culto da nossa história. Este protótipo incorpora simplesmente a modernidade dos nossos tempos: urbano, elétrico, atraente” disse Gilles Vidal, Diretor do design Renault

Quanto à nova orientação da Renault e sobre a “Nouvelle Vague”, Luca de Meo lembrou que “Na Renault, acolhemos todas as evoluções do setor para criarmos a nossa própria ‘Nouvelle Vague’. Trata-se de fazer entrar a indústria automóvel na modernidade. Seremos uma marca com energia, reforçando a nossa liderança no mercado dos Veículos Elétricos com o Projeto Electro Pole, e investindo no hidrogénio, com o objetivo de termos o mix mais “verde” da Europa, em 2025. Seremos, também, uma marca de tecnologia, através da inovação ‘dentro de portas’ e através da ‘Software Republic’, um ecossistema aberto dedicado ao desenvolvimento de áreas chave como os dados ou a cibersegurança. Tudo isto dar-nos-á uma vantagem competitiva como uma marca de serviços, com tecnologias de ponta em serviços conectados, a bordo dos automóveis e não só. Esta visão de modernidade vai ser ancorado em França, porque como marca, sabemos que a nossa alma e força provêem das nossas raízes. O Novo R5 incarna a “Nouvelle Vague”: está fortemente ligado à nossa história e simboliza o nosso futuro, tornando os automóveis elétricos populares e acessíveis a todos.”