Home

“Com estes regulamentos… não obrigado!” diz Nasser Al-Attiyah

A digestão de mais uma derrota face aos Mini JCW Buggy da X-Raid não está a ser fácil para Nasser Al-Attiyah, claramente o mais rápido em prova, mas dos que mais sofreu com os furos.

E por tudo isso, o qatari é bem claro “espero que se mudem as regras, porque assim, não me interessa regressar à prova.”

Mas Nasser Al-Attytiah, um desportista que todos reconhecemos, não está em modo Calimero. O piloto da Toyota Gazoo Racing explicou esta sua posição, depois de perceber que os buggy venceram 5 das últimas 6 edições do Dakar, com a Peugeot e com a Mini. A Toyota e o árabe venceram apenas uma vez, em 2019.

Em declarações ao sítio motorsport.com, Nasser Al-Attiyah referiu que “estou feliz com o trabalho que fizemos. Trabalhámos muito, não cometi erros, o meu navegador não cometeu erros e a equipa esteve perfeita. Mas, o que é que podemos fazer? Este é o segundo ano em que lutamos muito e acabamos a perder para os buggy. Precisamos de regras justas!”

Para Al-Attiyah, “a questão não está em saber se os buggy são melhores que os 4×4 ou onde é que os 4×4 são melhores que os buggy! As regras não são justas, apenas isso! E não estou a falar só das rodas, há muitas outras coisas. Não sou eu que tenho de mudar as coisas, mas é evidente que há que mudar! A Peugeot venceu três vezes, agoara a Mini venceu duas, pelo que alguma coisa está verdadeiramente errada. Nós lutamos com um 4×4 e sofremos muitos furos. Os buggy… são protótipos não são carros de um construtor.”

O piloto da Toyota não deixa de ter alguma razão, mesmo que a FIA tenha limitado a velocidade dos carros T1 para o 180 km/h, depois de muita pressão da Toyota. Mas há vantagem para os buggy, pois têm rodas maiores e mais largas e desfrutam do sistema de enchimento/esvaziamento controlado de dentro do carro, além de um curso de suspensão maior.

Mas o maior problema foram mesmo os furos e nessa medida, Al-Attiyah lembrou que “entre os nossos três carros tivemos 106 furos! Este dado fala por si. Olhem para a dimensão dos pneus e comparem: 810 mm para nós, 940 mm para eles! A vantagem é evidente: a maior parede lateral e mais ar interior, tornam-nos menos vulneráveis às zonas rochosas.”

Jutta Kleinschmidt, a responsável da FIA para o Todo o Terreno, reconhece esta vantagem dos buggy e afirmou que vai haver mudanças para 2022. “Estamos bem apercebidos das diferenças entre os buggy e os 4×4 e, claro, também queremos regras mais justas e estamos a trabalhar afincadamente nisso.”

Do lado da Toyota, Jean Marc Fortin, responsável da Overdrive, “claro que estas desigualdades colocam em causa a motivação para regressar a cada ano. Esta não era a posição em que gostaríamos de estar.”

Mas há a certeza que haverá novidades para 2022, pois Fortin referiu que “à conversas entre a FIA e a ASO e a BF Goodrich já veio pedir pedir para aumentar o tamanho dos pneus, pois há limitações em termos de capacidade de ar.”

Veremos que alterações a FIA vai fazer ao regulamento e o que David Castera e o ASO vão propor para o futuro do Dakar.