Elétricos

Kia vai revelar sete novos produtos elétricos até 2027

Tempo de mudanças profundas na Kia: novo logótipo, novo lema, nova razão social e sete novos modelos até 2027… todos elétricos!

Uma a um, os construtores começam a apresentar os seus planos de futuro e, todos!, estão a orientar-se para a mobilidade elétrica. Depois da Renault, a Kia mostra o jogo.

Além de ter renovado o logótipo, mudado o seu lema de “Power to Surprise” para “Movement that Inspires” e alterado a razão social, descartando o “Motors” do nome oficial, a Kia vai entrar a fundo no “S Plan” o plano estratégico da casa coreana.

Tudo aquilo que referimos tem a ver com a vontade da Kia de deixar de ser vista como uma marca que produz automóveis. Quer ser mais que isso e dai as mudanças operadas.

A Kia tem como grande objetivo ser um “player” na mobilidade do futuro e dai os fortíssimos investimentos em empresas de aluguer de soluções de mobilidade, seja com condutor, como a GRAB na Ásia ou de partilha de veículos como a WiBLE, em parceria com a gasolineira Repsol em Espanha.

Ou o serviço KiaMobility que fez a marca entrar no negócio do aluguer de curta duração. Embora, por enquanto, só exista em Itália e na Rússia. Mas os planos para expansão a outros países europeus ainda em 2021 existem e poderá chegar, mesmo, a Portugal.

Como referimos, a Kia está a orientar-se para a mobilidade elétrica e anunciou pelo menos 5 modelos 100% elétricos até 2027.

A plataforma será a mesma usada pela Hyundai, a e-GMP, e verá nascer modelos para os segmentos C, D e E, com as respetivas versões SUV.

O primeiro será um crossover, cuja base será o protótipo Imagine, apresentado no Salão de Genebra de 2019. E a sua revelação será feita dentro de poucas semanas, pois o carro deverá surgir em 2022. 

Sabe-se que a Kia tem trabalhado muito na autonomia e por isso o veículo deverá ter 500 km de autonomia (com uma bateria de 90 kWh) que terá carregamento rápido, com 80% da carga feita em menos de 20 minutos.

Sabemos, também, que os Kia com motorização 100% elétrica não vão ter nomes, mas sim números. Ou seja, serão denominados de EV1 a EV9. Quanto aos modelos, claro, haverá SUV – vários tamanhos com correspondência aos modelos e-Soul, Sorento e o americano Telluride – o dito crossover e uma berlina de topo. Nçao está descartado um desportivo, embora essa não seja a prioridade.

Além de tudo isto, a Kia não vai deixar de lado o negócio dos comerciais para os profissionais do transporte e da logística. E a ambição é oferecer desde o mini veículo autónomo para entregas de curta distância ao furgão de distribuição, passando pelas camionetas ligeiras de caixa aberta. A mobilidade urbana de pequenos grupos não será esquecida. 

A Kia tem como objetivo conquistar 6,6% de quota de mercado até 2025 e vender meio milhão de unidades 100% elétricas até 2026. A Kia não vai renunciar aos motores de combustão interna e manterá a aposta nos híbridos. 

Outras incertezas rodeiam modelos como o Sportage, em fim de vida. Será a sua renovação feita com motores térmicos, híbridos ou elétricos?