Antevisão

Lotus vai renovar a sua gama acabando com o Elise, Exige e Evora

O ano de 2021 vai assinalar uma viragem de 180 graus para a Lotus. Parte do império Geely, aproximou-se do grupo Renault via Alpine e vão colaborar para realizar os desportivos elétricos do futuro.

Descontando o facto de ter na mesma frase “elétrico” com “desportivo” soar a rima improvável, a verdade é que Laurent Rossi, o novo CEO da Alpine, deixou claro que o futuro da marca de Dieppe é elétrico e que tinham estabelecido uma associação com a Lotus para criar novos modelos.

Ora, esta parceria funciona nos dois sentidos e a Lotus acaba de anunciar que vai acabar com toda a sua gama de produto atual – que inclui o Elise, o Exige e o Evora – e antes de colocar à venda o supercarro elétrico Evija e um inédito SUV, lançará uma gama de produtos desportivos híbridos. Gama que tem como nome de código Totus Type 135.

Apesar de um crescimento de vendas em 2020 (mais 4,4% para 1378 unidades), a Lotus não passa de uma marca moribunda que necessita de forte estímulo para recuperar.

Na foto que publicamos, lá está o Evija – já prometido há tanto tempo… – e uma série de três novos modelos, que Phil Popham, o patrão da marca britânica diz ser o futuro da Lotus.

Segundo o Automotive News, a nova gama Lotus será apresentada este verão com preços entre os 61 e os 118 mil euros, antes de impostos. 

A base de todos os modelos será nova e permitirá usar a mais moderna tecnologia de conectividade e utilização de mecânicas híbridas.

Aqui será a Volvo e a Polestar a oferecer os seus conhecimentos para que a nova gana da Lotus seja uma realidade. Não espantará, por isso, que a plataforma e as mecânicas venham da Volvo. Embora, curiosamente, fontes ligadas ao processo digam que o motor a gasolina será um V6 da Toyota (!).

Teremos de esperar mais uns meses para perceber se os novos modelos serão substitutos diretos do Elise, Exige e Evora, ou totalmente novos.