Home

Ford quer aumentar a segurança e partilha dados de automóveis conectados

A ideia da casa da oval azul é partilhar a informação dos seus veículos sobre potenciais incidentes de segurança rodoviária para avisar os utentes da estrada.

E esta informação sobre perigos que se avizinham, pode ser entregue a condutores de carros da Ford como de outros construtores.

A tecnologia de partilha de dados já avisa condutores da Ford de incidentes de segurança, passando a partir de agora mais condutores a beneficiar dos avisos de segurança rodoviária.

Este acordo recíproco faz parte de um regulamento europeu para a segurança rodoviária, onde estão parceiros como a BMW, Volvo, mercedes, TomTom, Here Technologies e diversos centros de gestão de tráfego da União Europeia.

A Informação de Perigo na Via, introduzida com o Ford Puma no início de 2020 e agora ativada nos Ford recentemente construídos, incluindo o Kuga, já pode alertar os condutores para os perigos de segurança rodoviária,

Com o novo acordo, os veículos de outros fabricantes poderão agora identificar e partilhar informações sobre os perigos que encontram, ajudando em conjunto a melhorar a segurança rodoviária ao permitir que mais condutores se preparem para os perigos que se avizinham.

“Os veículos conectados ajudam os condutores a antecipar os perigos que possam estar à espreita na próxima curva”, disse Peter Geffers, diretor de veículos conectados da Ford Europa. “Os ecossistemas de partilha de dados de segurança rodoviária são mais eficazes quanto mais veículos e fontes telemáticas incluírem; alargar os benefícios desta tecnologia àqueles que não conduzem carros Ford representa um significativo passo em frente”.

O acordo surge depois de uma prova de conceito de 16 meses durante a qual dezenas de milhões de mensagens de informação de segurança rodoviária (SRTI), tais como veículos avariados, estradas escorregadias ou visibilidade reduzida, foram trocadas entre diferentes veículos. 

Dados anónimos do veículo, como a utilização de luzes de nevoeiro, travagem de emergência ou ativação de airbag, são computados a bordo para determinar a presença e localização de potenciais perigos. 

Estas mensagens de aviso são enviadas, utilizando o modem “FordPass Connect”, para um servidor seguro da Ford a partir do qual os dados são distribuídos aos parceiros SRTI que recolhem as mensagens de perigo de várias fontes e depois partilham com várias marcas de veículos.

Quaisquer mensagens SRTI relevantes são imediatamente enviadas – mais uma vez, utilizando comunicações celulares – para os veículos na proximidade do perigo potencial e aparecem no visor do painel de instrumentos do condutor. Para além de avisar outros condutores, a informação pode ser utilizada para alertar os serviços de emergência, fornecendo em segundos os dados precisos de localização para ajudar a acelerar a assistência.

“O ecossistema de Dados para a Segurança Rodoviária é uma parceria público-privada que fornece dados atualizados para melhorar a segurança rodoviária de uma forma muito concreta, pelo que é uma situação vantajosa para toda a sociedade”, considerou Joost Vantomme, presidente do novo ecossistema SRTI. “Os fabricantes de veículos que participam no projeto estão dispostos a partilhar dados diariamente, e continuarão os seus esforços para contribuir para o ecossistema de dados SRTI, juntamente com todos os parceiros”.