Desporto

WRC: parceria entre Dani Sordo e Carlos Del Barrio acaba após quase 20 anos

Há casamentos que duram menos… a relação entre o piloto Dani Sordo e o navegador Carlos del Barrio acabou com o Rali de Monte Carlo 2021.

A separação esteva marcada para o Rali de Monza, palco da final do Mundial de Ralis de 2020, mas porque Dani Sordo entendeu que estrear-se com um navegador diferente de Carlos del Barrio, em um dos mais difíceis ralis do Mundo. Por isso mesmo, Borja Rozada, o novo navegador de Sordo vai estrear-se mais tarde.

O Rali de Monte Carlo não correu nada bem a Dani Sordo e o ambiente dentro do Hyundai i20 WRC sentia-se tenso e a face dos espanhóis dizia tudo.

Na última etapa, Sordo não tinha oportunidade de fazer nada porque Andrea Adamo queria os pontos para o Campeonato de Construtores. A tristeza permaneceu até porque dali a poucas horas acabaria esta parceria que começou numa manhã de outono de 2003.

BMW de Dani Sordo

Foi em Guadalajara, quando a equipa Citroen Espanha estava a realizar testes para avaliar vários jovens talentos que buscavam uma época de borla com a casa francesa. O carro era o Citroen Saxo S1600 e sentado no banco do lado direito estava… Carlos Del Barrio. Era ele o avaliador dos jovens pilotos, pois trabalhava para a Citroen sendo o co-piloto de Jesus Puras, tendo também andado ao lado de Salvador Canellas Jr..

Del Barrio tinha acabado de ser campeão espanhol com Puras no Xsara T4 e podia ter seguido para a Renault com o seu piloto.  Rejeitou e preferiu ficar com a Citroen e ajudar um jovem piloto a crescer com a equipa francesa. 

Os astros alinharam-se e naquele dia, em Sacedón, um jovem de 20 anos sentou-se atrás do volante. Natural da mesma região onde nasceu há 52 anos, este jovem tinha dado nas vistas ao ganhar o Rali da Cantábria com um Mitsubishi de produção quase de série no ano anterior. Reclamou o recorde do piloto mais jovem a ganhar uma prova do Campeonato Espanhol de Ralis, recorde que ainda hoje se mantém. Quem era o jovem? Isso… Dani Sordo!

Passagem de Dani Sordo pela Mini

Carlos del Barrio só tem palavras elogiosas para Dani Sordo. “Desde o primeiro momento” disse em entrevista ao jornal Marca “que nos surpreendeu a todos pela sua facilidade como dominou um carro que não tinha nada a ver com o que pilotava. Apesar de jovem, tudo lhe saía natural. Nunca tive dúvidas… era rapidíssimo, um diamante em bruto. Foi fazer o teste e integrou-se com naturalidade numa equipa oficial. Ficamos todos alertas perante o que tínhamos à nossa frente. Tinha um potencial imenso!” 

A exibição nesse teste levou o piloto nascido em Puente San Miguel a sentar-se no Saxo S1600 oficial no Rali Costa do Sol. Conseguiu um 5º lugar face a todas as “trutas” do campeonato espanhol.

Uma atuação que levou Carlos Del Barrio a dizer que “tínhamos de o contratar. Sabia que não nos tínhamos enganado, estava ali um grande piloto!”

A decisão levou algum tempo a ser tomada, mas os responsáveis da Citroen lá aceitaram o conselho de Carlos del Barrio e assinaram o contrato.

Os dois ganharam as duas últimas provas do campeonato de 2004. Entretanto, Marc Marti, ex-navegador de Carlos Sainz, sentou-se ao lado de Sordo.

Os dois andaram no Campeonato de Espanha, foram para o Mundial Júnior e conseguiram um contrato com a Citroen no Mundial de Ralis ao lado de Sebastien Loeb. Sempre com Marc Masrti a seu lado.

Mas uns anos depois, estando ao volante do flop Mini feito pela Prodrive, Carlos del Barrio regressou ao banco do lado direito, onde se manteve até ao Monte Carlo.

Foi com Carlos del Barrio que Dani Sordo conquistou as suas três vitórias no Mundial de Ralis: Alemanha em 2013 com o Citroen DS3 WRC – a marca que deu origem à sua união – e as edições 2019 e 2020 do Rali da Sardenha, ao volante do Hyundai i20 Coupé WRC.

Uma dupla que acaba por vontade de ambas as partes, mas sem zangas ou afastamentos, pois como disse alto e bom som Sordo no final do Rali de Monte Carlo e depois de um abraço emocionado de Carlos del Barrio, “com o Carlos tudo será sempre igual ao primeiro dia!”