Clássicos

Ferrari 250 GT SWB Breadvan tem sucessor moderno com base num 550 Maranello

A empresa de desenho e fabrico de carroçarias Niels van Roji Design pegaram num Ferrari 550 Maranello e criaram uma moderna “Carrinha do Pão”.

O Ferrari 250 GT SWB Breadvan é um carro único feito em 1962 com base num Ferrari 250 GT SWB. O chassis 2819 GT (Tipo 539) com distância entre eixos de 2400 mm, foi trabalhado por Giotto Bizzarrini, que foi contratado pelo Conde Giovanni Volpi, o dono da Scuderia Serenissima, para melhorar o seu 250 GT SWB para ser tão competitivo como o novo 250 GTO lançado pela Ferrari.

Isto porque Enzo Ferrari recusou-se a vender um GTO ao Conde Volpi. O 250 GT SWB Competition disputou o Tour de France e tinha o número de chassis 2819 GT. Foi vendido por Oliver Gendebien a Volpi. 

Tinha um chassis aligeirado, carroçaria ligeira, interior minimalista e o motor Tipo 168 com cabeças Testarossa e “apenas” 270 CV.

O que fez Bizzarrini? Aplicou as ideias que tinha desenvolvido para o GTO e criou a carroçaria aerodinâmica, com o tejadilho prolongado até á traseira, dando-lhe uma aparência de “Shooting Brake”. 

Graças a esta aparência, ganhou o nome de “La Camionnette” na imprensa francesa e “Breadvan” para os jornalistas ingleses. Além disso, puxou o motor e os radiadores mais para o centro do carro e aplicou um carter seco ao motor. Os três carburadores  Weber 46 DCN foram substituídos por seis duplos Weber 38 DCN. 

Com todas as alterações, a “carrinha do pão” passou a pesar ligeiros 935 kgs. UM GTO pesava 1000 kgs. E a verdade é que o “Breadvan” foi mais rápido que os 250 GTO nas 24 Horas de Le Mans 1962, mas a fiabilidade deitou tudo a perder.

Ora, perante toda esta história, os responsáveis pela Niels van Roij Design decidiram criar o seu “Breadvan”, um projeto que demorou algum tempo desde que foi apresentado em 2019, apenas em desenho.

O carro chama-se Breadvan Hommage, também é um exemplar único, encomendado por um cliente que ficou entusiasmado por ver o modelo original em Goodwood. 

O carro foi desenhado pelo patrão Niels van Roji, ele que já fez carros como o Tesla Model S Shooting Brake, o Range Rover Adventum Coupe e Rolls Royce Silver Spectre Shooting Brake.

A escolha do 550 Maranello tem a ver com a vontade de manter como base um carro GT como no original “Breadvan”, com um motor V12 como o original e montado em posição central dianteira. 

A partir daqui tudo é diferente, pois o original era um carro de competição e este é um mero exercício de estudo encomendado por um apaixonado pelo Breadvan e com os recursos necessários, pois não deverá ter sido barato fazer o carro.

O 550 Maranello é facilmente reconhecido, mas exceção feita ao para brisas, tudo o esto foi mexido, claro, com destaque para o tejadilho e para a traseira.

As guelras laterais lembram o original, a bolha sobre o motor, a traseira direita, enfim, tudo remete para o Breadvan. Toda a traseira foi feita em alumínio numa peça única, pelo que não há cortes ou ajustes para fazer a parte de trás do carro.

O Breadvan Hommage está equipado com amortecedores Koni de competição, sistema de escape feito por medida a imitar o original e o motor ficou inalterado. O V12 atmosférico debita 485 CV e 568 Nm de binário.

O interior foi remexido com bancos diferentes e têm no encosto de cabeça integrado nos bancos o desenho do carro.