Home

Mercado Nacional 2021: ano arranca com recuo de 28,7% e Peugeot na liderança

Um dado diz tudo sobre o mercado nacional: apenas três marcas tiveram números de vendas na ordem dos milhares! O recuo foi de 30,7% nos ligeiros de passageiros e de 28,7% nos ligeiros (passageiros e comerciais).

A pandemia está a acelerar de uma forma que obriga a confinamento mais serôdio que aquele imposto em 2020 e isso acaba por ter impacto tremendo no mercado e no setor.

Contas feitas, foram vendidos 10.029 veículos ligeiros de passageiros, menos 30,5% que em janeiro de 2020. Nos ligeiros de mercadorias, as vendas chegaram às 2.098 unidades, uma quebra de 19,2%. Juntando os dois, foram vendidos em Portugal 12.127 veículos ligeiros, menos 28,7% que em igual período de 2020.

A Peugeot assumiu o liderança do mercado com 1.354 unidades de ligeiros de passageiros vendidas, menos 15,6%, mas crescendo na quota de mercado para sensíveis 13,5% (um crescimento superior a 2%).

A Mercedes ocupou o segundo lugar das vendas em janeiro com 1.223 unidades, menos 16,2% que em janeiro de 2020, na frente da BMW, a terceira marca mais vendida em Portugal em janeiro de 2021 com 1.129 unidades comercializadas. Um crescimento de 5% e um assinalável ganho de quota de mercado. A mercedes subiu para 12,19%, a BMW conquistou 11,26% (quando tinha no mesmo período de 2020 tinha 7,44%).

A fechar o Top 5 ficaram a Toyota com 723 unidades (um ganho de 12,8% face a 2020) e a Renault que não conseguiu melhor que 565 unidades, um massivo recuo de 57,5% face a janeiro do ano passado.

Logo depois ficou a Hyundai com um ganho de 1,1% para 539 unidades, a Volkswagen perdeu 40,4% (421 unidades), a Seat (402 unidades, um recuo de 51,2%), a Citroen (400 carros, menos 54,9%) e a Nissan, a 10ª marca mais vendida com 329 unidades, menos 62,7% que em janeiro de 2020.

Várias marcas perderam vendas em janeiro: Ford (menos 43,5%), Fiat (menos 41,1%), Volvo (menos 13,3%), Opel (menos 53,0%), Kia (menos 21,1%), Audi (menos 19,1%), Dacia (menos 47,6%) e Mini (menos 19,1%).

A Honda está no top 20 e ganhou vendas (28,8%) e foi a derradeira marca a conseguir vendas na ordem das centenas de unidades.

A 20ª marca mais vendida foi a Mazda e não foi além das dezenas de unidades com 98 carros vendidos, menos 25,8%. 

Destaques, ainda, para a Lexus que ganhou 120,9% face a janeiro de 2020 e para a Bentley que 50%, embora com números residuais: 3 unidades.

A Mitsubishi perdeu 77,7% de vendas, a Land Rover recuou 57,1%, a Jaguar caminhou na mesma vereda com 68,3% de recuo, a Alfa Romeo perdeu 83,3% de vendas (de 18 para 3 carros em janeiro), a Porsche recuou 38,9% (vendeu 58 carros) e a Alpine recuou 66,7% vendendo um carro.

Nos ligeiros de mercadorias, a Citroen dominou com 361 unidades, ou seja, um recuo de 8,8%, na frente da Peugeot que recuou 43,5%. Já a Renault ganhou 7,7% de vendas e a Ford perdeu 9,4%. A Toyota mais que duplicou as vendas (ganhou 108,5%).

Nos pesados, a Mercedes liderou janeiro com um recuo de 38,4% para 69 unidades, na frente da Volvo (menos 6,9%) e da MAN (recuo de 36,7%). A DAF (42,9%) e a Scania (4,5%) conheceram ganho de vendas, enquanto a Ford foi a sexta marca mais vendida no mercado, na frente da Iveco. Nos autocarros, a Mercedes manteve a liderança, mas aqui temos de dizer que o recuo do mercado foi de 58,4%, tendo sido vendidos 42 unidades apenas. A Mercedes vendeu 12 autocarros, seguiu-se a MAN (11), Volvo (6), Iveco (5) e Atomic (3). Nenhuma marca conheceu evolução positiva.

Contas feitas, foram vendidos 10.029 unidades de ligeiros de passageiros, 2.098 veículos ligeiros de mercadorias, 343 pesados de mercadorias e 42 pesados de passageiros. Um total de 12.512 unidades em janeiro, menos 28,5% que em igual período de 2020 onde foram comercializados 17.504 veículos.