Elétricos

Aqui está o novo Porsche, perdão, Audi e-Tron GT!

Andava há muito tempo no ar em imagens mais ou menos reveladoras e faltava, apenas, a apresentação oficial. Pelo visto já foi feita e aqui está o novo Porsche Taycan. Perdão! O novo Audi e-Tron GT!

Antes de explicar o que quer que seja, temos de dizer que o Audi e-Tron GT é dos mais belos carros que a casa de Ingolstadt já fez e atira a Audi para o topo dos modelos de luxo em termos de tecnologia e preço. E tudo isto com motorização 100% elétrica.

O carro é rival do Tesla Model S e do Porsche Taycan, do qual deriva de forma mais que evidente.

E o e-Tron GT não partilha somente a plataforma J1 Performance, pois a semelhança entre um e outro é evidente, mas em abono do e-Tron GT, o Audi é mais bonito, ou melhor, mais agressivo que o Taycan.

O Audi e-Tron GT é oferecido nas versões normal e RS, mostrando-se como um dos modelos Audi mais potentes de sempre. Tanto o e-Tron GT como o e-Tron RS terão dois motores elétricos com uma caixa de duas velocidades e arquitetura de 800 volts, o que permite cargas rápidas da bateria de 86 kWh que autoriza uma autonomia de 488 km, segundo o protocolo WLTP.

Quem assistiu, diz que a apresentação do Audi e-Tron focou-se, muito, na intenção de prover uma equilibrada mistura entre luxo e performance e sustentabilidade. A Audi dedicou muito tempo e recursos à afinação das suspensões e da direção, para assegurar adaptabilidade de ambos.

Além disso, o Audi e-Tron exibe alguns detalhes que foram ditados por escolhas de materiais diferentes do habitual.

Outro do foco da apresentação do carro esteve na praticabilidade do carro e do facto de este ser um GT, ou seja, um cruzador e não um desportivo puro e duro. Isso fica evidente na utilização de uma bagageira na traseira e outra na frente. Contas feitas, o e-Tron GT tem 405 litros na traseira e 85 litros à frente, iu seja, quase 500 litros de capacidade.

O estilo do carro foi refinado, embora partindo da base do Taycan, com uma frente longa e com muitas semelhanças ao R8, por exemplo. Prolonga-se por um corpo esguio, baixo e largo, com um perfil de tejadilho arredondado que termina numa traseira larga com um arranjo de luzes típico da Audi.

Por dentro, o e-Tron oferece materiais de topo como a pele e a madeira ou a fibra de carbono, mas também materiais sustentáveis feitos a partir de garrafas PET recicladas.

A posição de condução é muito baixa e alongada e o ecrã do sistema de info entretenimento está orientado para o condutor.

A Audi fez questão de dizer durante a apresentação do carro que o exterior foi influenciado pela sinergia entre os designers e os homens da aerodinâmica. Ao que parece, a Aud começou a definir a aerodinâmica e a aeroacústica 38 meses antes do começo da produção.

Contas feitas, a Audi reclama o mais baixo coeficiente de arrasto da sua história com 0,24, utilizando cortinas de ar e refinamento aerodinâmico para conseguir isso. A aerodinâmica ativa é ajudada pelo piso totalmente plano e carenado, um difusor traseiro agressivo. Este dinamismo combina afinações constantes de suspensão, spoiler traseiro e entradas de ar e permite ganhar 30 km de autonomia.

Como dissemos, o e-Tron GT quattro tem dois motores que, combinados, debitam, 476 CV e 630 Nm de binário, enquanto que o e-Tron GT RS oferece 598 CV e 830 Nm. Cada eixo tem o seu motor, sendo que no RS, o motor traseiro é mais potente que o dianteiro.

O carro tem uma caixa de duas velocidades e uma função “overboost” durante 2.5 segundos. O RS, com o “overboost”, chega dos 0-100 km/h em 3,1 segundos, tendo o limite de velocidade nos 225 km/h. O quattro faz o mesmo exercício em 3,9 segundos e tem 245 km/h como velocidade máxima.

O novo modelo emitirá sons para alertar da sua chegada. O sistema será opcional em alguns mercados e tem duas unidades de controlo e amplificadores na bagageira. Haverá sons pata o interior e outros para o exterior, sendo o condutor capaz de controlar o som emitido pelo carro através do Audi drive select. 

O e-Tron RS recebe suspensões adaptativas de série, sendo opcionais no GT quattro. É um sistema de três câmaras da suspensão pneumática com amortecedores eletrónicos que podem ser ajustados para baixar ou levantar o carro, dependendo da situação.

Os amortecedores dinâmicos são de série nos dois modelos e o Audi drive select tem quatro modos (confort, efficiency, dynamic e individual), atuando nas suspensões, motores, transmissão, diferencial traseiro e na forma de regeneração. Há, também, uma opção de direção às quatro rodas que vira as rodas traseiras na direção oposta das rodas dianteiras acima dos 50 km/h. O e-Tron GT quattro tem um diferencial autoblocante mecânico, enquanto o autoblocante eletrónico é opção e de série no e-Tron GT RS.

A bateria tem 86 kWh, tem 33 módulos com 12 células cada um. A bateria está desenhada para ser o mais plana possível, baixando o centro de gravidade e criando espaço para os passageiros.

Utilizando carregadores rápidos de 270 kW, permite carregar a bateria de 5 a 80% em apenas 22,5 minutos, ou seja, cada 100 km de autonomia leva 5 minutos a carregar. O carro tem tomadas de carregamento de cada lado do carro, atrás das rodas dianteiras, mas se as duas têm carregamento AC, só a do lado do passageiro assegura carregamento rápido DC. Na garagem, pode carregar o e-Tron com uma tomada de 11 kW ou um opcional “Wallbox” de 22 kW.

O carro tem 4,99 metros de comprimento, 1,41 metros de altura e 1,96 metros de largura. A distância entre eixos é de 2,9 metros.