Desporto

Entrevista Kevin Magnussen: “o meu pai correu em Le Mans 20 anos e por isso quero ganhar Le Mans!”

Filho de Jan Magnussen, esteve na Fórmula 1 até ao final da temporada de 2020, mas na dança das cadeiras dos lugares na disciplina de topo do desporto automóvel, quando a música parou, ficou sem assento. Vai ser piloto da Peugeot Sport no WEC.

Nascido na Dinamarca no dia 5 de outubro de 1992, Kevin Magnussen começou a dar nas vistas no karting no longínquo ano de 2005, tendo ganho o “Peugeot Super kart ICA junior” em 2006. Ganhou o título Nez Championship ICA Junior nesse mesmo ano, não mais ganhando títulos no Karting até dar o salto para a Fórmula Ford em 2008. Esteve na ADAC Formel Masters em 2008, mas foi em casa que venceu o título dinamarquês de F.Ford, ganhando 11 das 15 corridas disputadas com a equipa Fukamuni Racing e ao volante de um Aquila FD1 Duratec.

Em 2009, andou no Troféu Clio Dinamarca, esteve nos campeonatos de Fórmula Renault 2.0 Eurocup (7º), 2.0 NEC (2º), para em 2010 saltar para a F3 Euroseries onde foi 12º. Mas só fez duas corridas e ganhou uma delas!

Foi 3º no campeonato ATS F3 Cup, 14ºno GP de Macau F3 de 2011, 3º no Masters F3 desse mesmo ano. Ainda em 2011, foi 3º no Campeonato Britânico de F3.

Essas boas exibições, deram-lhe estatuto de piloto de testes e de reserva da McLaren Mercedes F1, tendo disputado a F.Renault 3.5 onde foi 7º.

Voltou a ocupar o lugar de piloto de testes da McLaren Mercedes e voltou à Fórmula Renault 3.5 para ser o campeão com 5 vitórias em 17 corridas.

Com este resultado, Kevin Magnussen chega, finalmente, à Fórmula 1 em 2014 com a McLaren Mercedes. Acaba em 11º com um pódio e 55 pontos em 19 provas disputadas. Dá passo atrás em 2015 ao regressar ao estatuto de piloto de testes da McLaren Honda.

Salta para a equipa Renault F1 em 2016 e termina a temporada com 7 pontos e o 16º lugar. Segue para a Haas F1 Team em 2017 e foi acumulando corridas na F1, mas sem resultados de relevo: 17º em 2017, 9º em 2018, 16º em 2019 e 20º em 2020. A remodelação total da formação de pilotos da Haas F1 Team fê-lo sair da Fórmula 1 e antes de ser confirmado como piloto da Peugeot Sport no projeto Hypercar para o WEC e para Le Mans, disputou as 24 Horas de Daytona já em 2021.

O que é que o motivou a integrar a Peugeot neste regresso à endurance?

Não acho que seja difícil ficar motivado. A Peugeot tem um grande historial em Le Mans. A minha ambição é ter sucesso e vencer. A decisão de integrar a Peugeot não foi difícil de tomar, dado os sucessos alcançados no passado, não só em Le Mans, como também no automobilismo em geral.

Ao longo da sua carreira, que momento mais engraçado partilha com um dos seus companheiros de equipa?

Nunca tive a oportunidade de trabalhar com deles. Claro que os conheço a todos e fiquei muito feliz em ver a composição da equipa. São todos incrivelmente talentosos, pelo que estou certo de que faremos um bom trabalho em conjunto. Corri com o Jean-Eric na Fórmula 1, mas não o conhecia bem até agora. Mal posso esperar para conhecê-los melhor a todos.

Que representa para si o mundo da endurance e as 24 Horas de Le Mans?

O meu pai correu de Le Mans durante mais de 20 anos. Acompanhei sempre as corridas e já lá estive várias vezes. Era um dos meus sonhos participar nesta prova um dia e não poderia pensar numa maneira melhor de o fazer do que com a Peugeot.

Quando digo 24 Horas de Le Mans, responde com…?

Quero ganhar Le Mans, é o meu objetivo e a minha ambição.

Na história da competição da Peugeot, qual foi o momento que mais o marcou?

É difícil escolher entre as vitórias da Peugeot nas 24 Horas de Le Mans. Acho que cada uma delas ilustra o sucesso da Peugeot e as capacidades da equipa. Espero poder contribuir com nova vitória para essa lista.

Que modelo Peugeot de competição sonha poder conduzir?

O 905. Adoraria poder estar ao volante de um carro como esse, sentir as vibrações e a sua sonoridade.

Qual é o seu prato favorito?

Adoro comida indiana, como o frango tikka masala.

Qual o melhor prato para se comer antes de uma corrida?

Decerto que frango tikka masala está fora de questão! Gosto de variar: frango ou salmão ou outros peixes, legumes e massas diversas ou batatas, para obter as calorias necessárias para uma boa energia.

Qual é a sua principal qualidade?

Não gosto muito de falar sobre as minhas qualidades; prefiro ser humilde e demonstrar o que eu posso fazer em pista, mais do que falar sobre o tema.

Veremos o que Magnussen vai conseguir fazer nesta nova fase da sua carreira à beira dos 30 anos e sem lugar na Fórmula 1.