Ensaios

Ensaio Toyota Corolla Touring Sports Trek: uma carrinha diferente!

A Toyota está sentada num enorme sucesso chamado Corolla que voltou a ganhar vendas em 2020 com 136.095 unidades comercializadas em 2020. Esta versão Trek da carrinha, adiciona um aspeto mais robusto e a ideia de que a grande evasão está ali ao virar da esquina. Não está, porém, esta versão Trek é muito interessante. 

Rating: 3 out of 5.
  • A Favor – Fiabilidade, conforto, habitabilidade, eficiência
  • Contra – caixa CVT, resposta a altos regimes

Quando à qualidade da carrinha Toyota Corolla Touring Sports se somam coisas como 20 mm na altura ao solo e uma grelha dianteira redesenhada. Mais proteção inferior das cavas das rodas em plástico preto e luzes LED. 

E ainda faróis de nevoeiro, vidros traseiros escurecidos e o logótipo Trek. 

O resultado desta soma é uma versão de um Corolla familiar, uma carrinha que ganha argumentos visuais ao nível exterior, mas também no habitáculo, para um resultado final positivo. Junta-se a esta conjunto o construtor norte americano de bicicletas Trek.

Que fique claro: o nome Trek não adiciona uma grama de qualidades aventureiras à Corolla Touring Sports. 

O que oferece essa ideia são as alterações introduzidas pela Toyota e mesmo essas não mudam muito a carrinha face ao modelo “normal”.

Mas, inequivocamente, fica na ideia do utilizador a convicção de que esta é proposta um pouco mais “verde”, num veículo cuja motorização híbrida é, desde logo, um primeiro argumento a favor para quem se preocupa com o ambiente. 

E então quais são as diferenças?

Ora bem, a grelha dianteira ganha um novo desenho. As proteções inferiores e das cavas das rodas em plástico preto, talvez mais discretas do que se poderia esperar, oferecem uma imagem de alguma robustez num modelo em que os vidros traseiros escurecidos resultam numa imagem global mais distinta. Estes acessórios melhoram o aspeto geral, muito positivo, do estilo da carrinha Corolla. 

E o que muda no interior?

Pouco. Há o pormenor da decoração em dois tons, alguma madeira, enfim, quase o mesmo que podemos encontrar em qualquer Corolla, mas com um desenho muito melhor que o do Aurus e com uma arrumação muito mais lógica e ergonómica.

No resto, tudo igual: espaço suficiente no banco traseiro (mais 5,8 cm de distância entre eixos face ao Aurus ajudam muito), conforto melhorado e uma bagageira de 598 litros, um excelente valor.

E o que é que a versão Trek oferece?

Logo à partida é-lhe oferecido um desconto de 30% no caso de querer comprar a bicicleta Trek Dual Sport + que custa… 3.399 euros. Mas é uma bicicleta elétrica, ok? Clique aqui se quiser saber mais.

Depois, não há mais nada de destaque para além das soleiras com a palavra Trek. Depois temos o ecrã de 7 polegadas como painel de instrumentos a par de um segundo ecrã com oito polegadas de série em todos os modelos, onde está o Toyota Touch 2.

O sistema Toyota Safety Sense é oferecido de série, com máximos automáticos, reconhecimento de sinais de trânsito, manutenção na faixa de rodagem, alerta de pré-colisão com deteção diurna e noturna de peões e ciclistas e cruise control adaptativo com sistema stop/start.

Porta USB para a carregamento de periféricos , integração com os smartphones, seis colunas de som e consola central em “Piano Black”, são de série.

Um sistema híbrido conhecido e comprovado

Mantendo a filosofia de proteção do ambiente, esta variante de 1.8 litros está focada nos baixos consumos e baixas emissões. É um sistema comprovado que privilegia a eficácia à performance. Os 20 mm mais longe do chão e algum peso adicionado pelas mudanças nas proteções, não afeta o carro.

No que toca aos consumos, a Toyota promete cifras baixas e o Corolla faz isso mesmo, mas não perdoa excessos. 

E mesmo sem esses excessos, nunca consegui chegar aos consumos anunciados (4,5 l/100 km). Mas a verdade é que fiquei agradado com os 5,0 l/100 km que registei. 

Naturalmente que quando o ritmo mudou para “allegro vivacci” o computador de bordo fez cara feia e mostrou 6,9 l/100 km. Mesmo assim… mas estes valores só mesmo quando puxamos pelo motor – o que não aconselho pois a caixa CVT continua desafinada – para velocidades que não recomendamos. É que as multas andam caras…

E como é o Corolla Trek em estrada?

Como carro de família é excelente com conforto, espaço para todos e para as tralhas e com um comportamento seguro. Não se pode chamar um carro pronto para grandes aventuras em estrada – não tem mecânica para isso nem está pensado para isso – ou fora dela (os 20 mm a mais na distância ao solo não permitem mais que andar em estradões de razoável piso) e em curva comporta-se de forma segura.  

A caixa CVT surge agora melhorada para um funcionamento mais suave, mas continua desafinada e ainda há muito “vrummmmmm” e pouco andamento. Digamos que não é defeito, é mesmo feitio e a Toyota não vai mudar pois investiu muito nesta caixa para melhorar e agora que já recuperou o dinheiro não vai desperdiçar este “mealheiro”.

O que é que eu penso do Corolla Trek?

Eu gosto muito do Corolla e desde que fui á sua apresentação mundial que entendo ser um dos melhores carros da Toyota. Não é aborrecido como o Aurus é mais excitante que o Aurus – que era tão excitante como uma máquina de lavar – enfim, é um muito melhor carro. Tem muita qualidade, é confortável, espaçoso e tem bom aspeto, custando menos de 34 mil euros com um equipamento muito completo. A bicicleta é um detalhe de 30% num “bicla” que custa quase 4 mil euros. Pode não estar interessando na bicicleta, mas com os adereços que o Corollla Touring Sports Trek oferece, vale a pena. 

Ficha técnica

Motor: 4 cilindros com ciclo Atkinson e motor elétrico acoplado; Cilindrada (cc): 1798; Potência máxima combinada (CV/rpm): 122/5200; Binário máximo (Nm/rpm): 142/3600; Transmissão: dianteira, caixa CVT de variação contínua; Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente; Suspensão (ft/tr):independente tipo McPherson/Independente multibraços; Travões (fr/tr): Discos ventilados/discos; Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 11,1; Velocidade máxima (km/h): 180; Consumos (l/100 km): 4,5; Emissões CO2 (gr/km): 102; Dimensões e pesos Comp./Lar./Alt. (mm): 4650/1790/1435; Distância entre eixos (mm): 2700; Largura de vias (fr/tr mm): 1530/1530; Peso (kg): 1400; Capacidade da bagageira (l): 598; Deposito de combustível (l): 43; Pneus (fr/tr): 205/45 R17; Capacidade da bagageira (l): 391; Preço da versão ensaiada (Euros): 33.854