Elétricos

Citroen AMI chega a Portugal no segundo trimestre e pode custar 7.000 euros

O preço ainda não é oficial, embora sendo considerado como quadriciclo, possa ficar ao mesmo preço que é comercializado em França, cerca de 7.000 euros.

O AMI não precisa de carta de condução, tem espaço para apenas duas pessoas, motorização 100% elétrica, não anda mais depressa que os 50 km/h e com uma autonomia de 70 km, pode ser carregado em apenas 3 horas ligado a uma tomada doméstica.

Sendo mais pequeno que smart por via dos 2,41 metros de comprimento, o AMI é pura diversão.

Uma filosofia que teve em conta áreas como o conforto para dois ocupantes, as prestações, quer para uso urbano, quer para o ambiente rural, a sustentabilidade e a necessidade de garantir um preço acessível para o maior número possível de pessoas. A simetria foi a chave para dar uma solução atrativa a todas estas necessidades. Além de ser um elemento que define a estética e a personalidade deste novo objeto de mobilidade, chamado a revolucionar as ruas dos grandes centros urbanos e periurbanos, também facilita e torna mais acessível a eventual troca de peças.

As portas são iguais de um lado e do outro e por isso abrem em sentidos diferentes: a do condutor tem abertura antagónica, a do pendura no sentido da marcha. Os vidros abrem como uma escotilha, os para choques da frente e da traseira são exatamente iguais. 

Enfim, é um “brinquedo” muito interessante para a mobilidade urbana e para que os jovens fiquem “agarrados” ao modelo, o AMI só será vendido online. Eesta saber se a Citroen o vai oferecer na Fnac ou numa grande superfície como sucede em França e se haverá unidades para usar no esquema “pay per use”.