Ensaios

Ensaio Teste Volvo XC40 T2: sueco com estilo, muito “cool” e por menos de 30.000€

É o XC40 mais barato à venda em Portugal e com a promoção que a Volvo está a fazer fica por menos de 30 mil euros. Uma “pechincha” que vale a pena, até porque o carro merece o destaque que tem recebido. Fique a saber tudo neste ensaio AUTOBLOGUE e comprove por si mesmo se vale a pena investir neste SUV.

Rating: 3.5 out of 5.
  • A Favor – Mecânica suave, interior confortável, refinamento,
  • Contra – Consumos, performances, 

Cada vez que me sento num XC40 não consigo deixar de recuar até 2014 quando fui conhecer a “nova” Volvo e o imponente XC90. Nessa altura, o ceticismo era grande, mas ficou evidente que na cabeça dos homens da casa sueca, tudo estava muito bem “desenhado”.

Ficou conhecida a minha incursão pelo sueco e pelo conceito “jantelagen” que, na essência significa não desvalorizar o diferente ou o sucesso dos outros sem afirmar que se é melhor. Enfim, ser humilde. A Volvo quis desafiar os poderosos alemães, mas não cometeu o erro de os enfrentar no seu quintal, mas cercando aos poucos e poucos e assumindo caminhar em pistas diferentes.

O XC40 é, agora, o acesso à gama Volvo depois do fim do V40 e mostra-se minimalista, equilibrado no estilo e com uma qualidade acima de suspeita. Ou seja, não pretende dizer que é melhor, mas sim diferente, seguindo a via que a Volvo tem seguido com a sua gama, tentando rivalizar com os alemães, como disse, sem pisar os mesmos terrenos. 

O XC40 é um carro giro que surge aqui na sua versão de entrada na gama com motor a gasolina e um preço promocional abaixo do 30 mil euros.

Como é o estilo do XC40?

Confesso que gosto do estilo do XC40 que, não perdendo a ligação familiar á gama SUV da Volvo, encara o mercado com um estilo próprio que lembra, por exemplo, o antigo XC60, embora o XC40 tenha o seu estilo inspirado… nos robots que o diretor de estilo da Volvo, Ian Kettle, viu quando era jovem. 

Os farolins traseiros, o recorte da porta traseira, a inclinação para a frente do carro, enfim, são muitos detalhes que tornam o XC40 um carro giro, fresco e divertido. 

O resultado é este número de linhas simples, mas com toques de sofisticação, com uma frente robusta onde está um par de faróis que exibe uma evolução do conceito “Martelo de Thor” que rimam perfeitamente com a grelha vertical e os nichos dos faróis de nevoeiro. É um SUV, com espaço, funcionalidade e versatilidade semelhante aos de um carro de cinco portas. 

E por dentro, tem qualidade?

A Volvo afastou, deliberadamente, o XC40 da auréola mais luxuosa do XC60 e do XC90, o que não quer dizer que o carro sueco esteja despido de toques de classe e de tecnologia. O interior não se afasta daquilo que são os habitáculos da Volvo e tive de pegar na fita métrica para não estar aqui a dizer que o XC40 tem uma habitabilidade recordista. É que os detalhes de estilo minimalistas deixam a ideia que o espaço é maior do que na realidade. 

Essa realidade que nos diz estar o XC40 na média do segmento neste particular, com espaço perfeitamente suficiente para quatro adultos e local para arrumar as pernas e os pés. 

Apesar do afastamento dos irmãos mais velhos, não deixou de lhe dar a mão ao colocar no meio do tabliê o mesmo “tablet” de 9 polegadas e o mesmo painel de instrumentos digital do XC60 e XC90. Um toque de classe e qualidade que fica muito bem no XC40.

Para lá de tudo isto, a Volvo decidiu dar alguma praticabilidade ao XC40. As bolsas das portas são generosamente grandes – a saída dos altifalantes dos locais habituais deu uma bela ajuda – há um gancho integrado no porta luvas para que quando for buscar o seu frango assado, o molho não se espalhe pelo tapete, entre os bancos há um porta luvas lavável e há espaço para o opcional carregador sem fios.

A bagageira não é das maiores, também, mas o piso é totalmente plano e há umas divisões que ajudam a manter a carga e os sacos do supermercado mais ou menos no seu lugar, sem ficar tudo espalhado. Contas feitas, são 460 litros de capacidade que podem chegar a 1336 litros com o rebatimento do banco traseiro.

Equipamento completo

De série, a Volvo oferece o ar condicionado, Clean Zone, fecho centralizado com comando remoto, painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas, volante em couro, faróis de LED, limitador de velocidade, cuise control, sistema de mitigação de embate frontal, ajuda à manutenção na faixa de rodagem, sensores de estacionamento atrás, ajuda ao arranque em declive, sensores de chuva, ajuda á descida em declive, áudio de alta qualidade e ecrã central com 9 polegadas, conexão USB, entre outras coisas. 

A partir daqui o melhor é ir ao sítio da Volvo (clicando aqui) para que possa personalizar o seu XC40, pois os pacotes são muitos e os equipamentos opcionais também.

E o motor é bom?

O bloco que é usado neste XC40 é muito agradável. Falamos de um motor de 1.5 litros tricilindrico com sobrealimentação. É o mesmo do XC40 T3, mas com uma nova cartografia e dai a diferença de potência, 163 CV para o T3 e 129 CV para este T2.

A diferença de binário é mínima, com o T2 a ter 245 Nm, menos de 20 Nm de diferença.

Discreto em termos de ruído, o bloco da Volvo é suave e tem poucas vibrações. Com a caixa automática de 8 velocidades, tudo fica ainda mais simples para o condutor, mesmo que a caixa tenha uma ou outra hesitação. Nada que perturbe o quadro geral de tranquilidade e suavidade que confinam este XC40 T2.

Fica também claro que se a ideia é andar como num desportivo, este XC40 T2 é a escolha totalmente errada. Primeiro, porque o motor não permite mais que tranquilos 12,2 segundos dos 0-100 km/h e nas recuperações de aceleração também não é muito despachado com 10 segundos para ir dos 80 aos 120 km/h. 

Mas o XC40 está longe de ser um carro indigente ou tartaruga. Lançado, consegue velocidades de cruzeiro perfeitamente sustentáveis, com a suavidade e refinamento que fazem parte do carácter deste XC40.

Maior problema está no consumo. O XC40 T2 oferece ao pequeno bloco uma dura tarefa: mexer 1690 kgs. O carro é pesado e isso acaba por se refletir nos consumos. Confesso que depois de ter andado com outros XC40, fiquei surpreendido com uma média de 8,0 l/100 km, com um pico em cidade de 8,7 l/100 km. Não é um bom desempenho, não há como esconder, até face ao T3 que com mais potência gasta o mesmo. Os 150 kgs a mais, em média, que os seus rivais ajudam a explicar esta situação.

E como é ao volante?

Mais confortável que dinâmico, tem um eixo dianteiro com um bom nível de aderência e motricidade, mas não inquebrantável. Não é carro para andarmos a fazer a Serra de Sintra na mecha, mas sim para o levar do ponto A ao ponto B em segurança e conforto e sem que o condutor tenha de ser um ás do volante. E isso é uma enorme vantagem e, do meu ponto de vista, um ponto a favor do XC40. Quer um SUV desportivo terá de se volktar para outro lado. Mas sair-lhe-á bem mais caro!

O que é que eu penso do XC40 T2?

É, claramente, um carro que tem de figurar numa lista de compras de quem quer um SUV moderno, elegante e refinado. Ainda por cima permite poupar muitos euros face aos outros XC40. Mas… nestas coisas há sempre um “mas”, terá de ter em atenção a gulodice do T2 por gasolina e não pode esperar performances que deixem água na boca. Aqui o que pode desequilibrar a balança face ao XC40 T3 é mesmo o preço. Porque excetuando os consumos e as performances, este XC40 T2 é muito desejável e recomendável.

Ficha técnica

Motor: 3 cilindros em linha, injeção direta com turbo e intercooler; Cilindrada (cm3): 1477; Diâmetro x Curso (mm): 82 x 93,2; Taxa de Compressão: 10,5; Potência máxima (CV/rpm): 129/5000; Binário máximo (Nm/rpm): 245/1620 – 3000; Transmissão: dianteira com caixa automática de 8 velocidades; Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente; Suspensão (ft/tr): McPherson/eixo multibraços; Travões (fr/tr): Discos; Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 10,9; Velocidade máxima (km/h): 180; Consumos misto (l/100 km): 7,2 – 7,9; Emissões CO2 (gr/km): 147 – 179; Dimensões e pesos Comprimento/Largura/Altura (mm): 4425/1863/1652; Distância entre eixos (mm): 2702; Largura de vias (fr/tr mm): 1601/1626; Peso (kg): 1690; Capacidade da bagageira (l): 460/1336; Deposito de combustível (l): 54; Pneus (fr/tr): 225/40 R18; Preço da versão Ensaiada (Euros): 29.500