Elétricos

CUPRA celebrou o terceiro aniversário, quer acelerar a eletrificação e vai lançar um elétrico acessível em 2025

O lançamento do Formentor VZ5 foi a prenda pelo aniversário, mas mais importante será o lançamento do El Born – carro que terá como base o ID.3 da VW.

O primeiro modelo totalmente elétrico será lançado ao mesmo tempo que a CUPRA irá revelar uma rede de vendas virtuais e uma estratégia arrojada para aumentar as vendas.

Quem o disse foi Wayne Griffiths, o CEO da CUPRA durante a apresentação do Formentor VZ5. O responsável pela marca que nasceu como sublinhado para versões desportivas de modelos SEAT, evoluiu para nível de equipamento e, agora, é uma marca desportiva e de luxo da casa de Barcelona, acredita numa aceleração das vendas já em 2021 e uma transição rápida para a eletrificação.

Tudo isto energizado pelo facto de 2020 ter sido um ano excelente para a CUPRA com um crescimento de 11% nas vendas e o primeiro mês de 2021 ter revelado que a marca espanhola foi a que mais cresceu em vendas.

Alias, o próprio Wayne Griffiths não o escondeu dizendo que “o excelente início de 2021 fez sentir muito otimista para acelerar em 2021. É por isso que somos ambiciosos e queremos duplicar o volume de vendas de 2020!”

Vamos a contas. A CUPRA vendeu, em três anos, 65 mil unidades globalmente e entra 2021 com três modelos: CUPRA Ateca, CUORA Leon e o CUPRA Formentor. Este tem sido a locomotiva das vendas, com uma procura inesperada. A caminho está o El Born, que será mais uma ajuda para tentar chegar ao objetivo de vendas declarado por Griffiths, passando de uma quota de 5% para 10% das vendas da SEAT.

“Quando tivermos a gama de motores completa, esperamos chegar ao nosso objetivo inicial de mil milhões de euros de lucro” referiu o CEO da CUPRA. “Fomos muito claros” sublinhou Griffiths, “a CUPRA veio para ficar e estou, pessoalmente, orgulhoso pela forma como os nossos clientes e a imprensa, abraçou a marca CUPRA.”

Obviamente que o sucesso da CUPRA vai passar pela transição para a eletrificação e o El Born será instrumental. O carro será um clone do ID.4, com uma autonomia de 500 km e clara inclinação para as performances, vista na arrumação do exterior do carro, nas jantes e na aceleração 0-50 km/h abaixo dos 3 segundos.

Para o CEO da CUPRA “é uma questão de responder aos desejos de uma nova geração de clientes e assegurar a sustentabilidade de vendas para a marca e para os investidores no futuro.”

A CUPRA deseja ter 800 pontos de vendas abertos no final de 2020, abrindo a terceira CUPRA Garage em Munique no final de 2021 e depois, em 2022, no México e em Hamburgo.

Wayne Griffiths deixou claro que os canais digitais serão muito importantes para o futuro, fez regressar o protótipo Tavascan e prometeu que tudo vai fazer para que ele seja uma realidade. Porém, isso não deverá acontecer antes de 2024. Mas disse mais.

“Um EV compacto será mais que um carro para nós: é o futuro da indústria automóvel em Espanha! A CUPRA irá fazer carros elétricos acessíveis às massas com um modelo urbano elétrico, um projeto em que estamos a trabalhar com o Grupo VW.”

Mais claro que isto, Wayne Griffith não podia ser! A CUPRA vai ter um modelo acessível de acesso á gama eletrificada a partir de 2025. Situar-se-á abaixo do El Born e deverá ser apresentado já este ano como protótipo, antecipando aquilo que poderá ser o modelo a usar por todo o grupo VW.