Dicas Úteis

Como deve preparar o seu carro para a primeira viagem do seu rebento?

A SEAT tem uma ideia muito clara daquilo que deve fazer na primeira viagem de automóvel de um recém-nascido.

Um dos melhores conselhos é planear com antecedência tudo para evitar nervos e potenciais erros. Nunca esqueça que a cadeira do bebé deve ser sempre homologada e colocada no banco traseiro do veículo. 

E fique com este número: se usar de forma correta os sistemas de retenção para crianças reduz o risco de morte em 75% e o risco de lesões em 90%.

Aqui ficam sete pontos chave que a SEAT e o AUTOBLOGUE recomendam.

1.Planeamento: O planeamento antecipado é crucial para evitar erros, especialmente para os pais de primeira viagem.  Devemos ler atentamente o manual de instruções da cadeira que escolhemos e aprender a fixá-la ao veículo. A sua instalação costuma ser simples, mas, segundo Javier Luzón, responsável do departamento de Desenvolvimento de Segurança no Veículo da SEAT, “se deixar para o último dia, sem informação e com o nervosismo, pode tornar-se um verdadeiro desafio de engenharia”. E o uso correto do sistema de retenção para crianças é fundamental, pois, segundo a Direção-Geral de Trânsito, reduz o risco de morte em 75% e o de lesões em 90%.

2.A cadeira apropriada: Deve ter sempre homologada. E não é a idade, mas sim a altura e o peso que determinam qual o tipo de cadeira que devemos escolher. No caso de um recém-nascido, deve ser usada uma do grupo 0 ou 0+. As do grupo 0 podem ser usadas ​​até ao bebé pesar 10 quilos e as de 0+ até 13 quilos. As alcofas não são recomendadas e são proibidas na maioria dos países europeus.

3.Sempre na parte de trás: Os bancos traseiros do automóvel são os mais seguros e são onde o recém-nascido deve sempre viajar, por isso “não é uma boa ideia levá-lo no banco do passageiro para poder vigiá-lo melhor”, avisa Javier Luzón. O banco dianteiro pode ser usado em casos extraordinários, como por exemplo quando outras crianças já ocupam os bancos traseiros. Neste caso, deve-se garantir que o airbag está desligado.

4.Virado para trás: Os sistemas de retenção desses grupos são desenhados para serem colocados virados para trás, pois “os músculos do pescoço do bebé ainda não estão desenvolvidos”, explica Javier Luzón.

5. A ancoragem é essencial: De acordo com um estudo realizado por investigadores da Oregon Health and Sciences University (EUA), 95% dos pais cometem algum erro ao instalar uma cadeira infantil, a maioria grave. Os principais referem-se à fixação da cadeirinha e à colocação do cinto. É por isso que é essencial ler atentamente o manual de instruções. O sistema Isofix simplifica e torna a instalação mais confortável. Caso contrário, “temos de nos certificar de que o cinto segue todo o percurso definido pelo fabricante, que costuma ter três pontos, dois na zona da barriga e um terceiro, por onde passa diagonalmente, na parte de trás”, especifica Javier Luzón. E não se deve esquecer que a pega também é um elemento de segurança e deve ser travada na posição correta.

6. Mantenha o cinto esticado: Deve-se evitar que a criança vá com excesso de agasalhos que podem causar folga no cinto. Deve estar o mais apertado possível ao seu corpo. Um truque é tentar apertar o cinto. Se conseguir, significa que temos de apertar um pouco mais.

7.Qualquer objeto pode ser perigoso: a bagagem ou pacotes nos assentos ou no tampo da bagageira podem ser projetados em caso de uma travagem brusca ou colisão e atingir o bebé ou outros ocupantes. Então, tudo deve ir para a bagageira.