Elétricos

Produção de baterias para carros elétricos liberta tanto CO2 como 8 anos de utilização de um carro a gasolina

Já todos sabem que os estudos são como os narizes, todos têm um e dão-lhe o uso que entendem. Neste caso, fazemos eco de um estudo feito na Suécia por reputados cientistas do Instituto Sueco de Pesquisa sobre o Ambiente.

O estudo foi encomendado pala Administração dos Transportes da Suécia e pela Agência Energética da Suécia e tinha como objetivo investigar a poluição libertada pela produção das baterias de iões de lítio e os impactos das mesmas no seu ciclo de vida.

Este estudo abraçou vários tipos de baterias, entre elas baterias para utilização em automóveis. Os autores são Lisbeth Dahllof e Mia Romare, duas reputadas cientistas que realizaram este meta estudo que já foi revisto pelos pares e comparado com outros estudos. 

E afinal o que diz o estudo? Bom, em primeiro lugar que o fabrico de baterias origina um elevado valor de emissões. Contas feitas, cada kWh de capacidade da bateria gera entre 150 a 200 quilogramas de CO2. Isto na fábrica!

Quer isto dizer que uma bateria de 30 kWh emite, na produção, 4500 quilos de CO2. Mas se estivermos a falar de uma bateria de 100 kWh esse valor é quase ofensivo: 15 toneladas de CO2!

Ou seja, ainda antes de utilizar o seu adorável Tesla Model S ou o prático Renault Zoe, o agradável Nissan Leaf ou o irreverente Hyundai Kauai Electric, já foram emitidas entre 4,5 a 20 toneladas de CO2. Consoante o tamanho da bateria! Mas querem ficar anda mais boquiabertos? 

Segundo cálculo da ICAO, agência especializada das Nações Unidas para a aviação, uma viagem de avião ida e volta entre Estocolmo e Nova Iorque para uma pessoa liberta 600 quilogramas de CO2.

Outra conclusão do estudo sueco diz que metade das emissões vem da produção de matérias primas e da produção de baterias, enquanto a mineração representa entre 10 a 20%. Isto partindo do pressuposto que a energia utilizada no fabrico das baterias utiliza mais de 50% de combustíveis fósseis.

Evidentemente que no estudo é referido que as emissões crescem praticamente na mesma proporção do tamanho das baterias. E para grande surpresa dos cientistas, um Tesla Model S com uma bateria gigante para oferecer mais autonomia gera o dobro das emissões de um Nissan Leaf ou ainda mais do dobro de um Renault Zoe.

Portanto, quando falamos de mobilidade sustentável e dizemos que os carros elétricos emitem zero gramas de CO2, não podemos esquecer este facto: a produção das baterias liberta tanto CO2 como um carro a gasolina durante 8 anos de utilização!

1 reply »