Elétricos

Ensaio Citroen e-C4: conforto elétrico!

Ensaio à versão elétrica que utiliza a mesma cadeia cinemática que os outros modelos da Stellantis, nomeadamente, Peugeot, Opel e Citroen. O mega conforto do C4 servido com mobilidade elétrica.

Rating: 3 out of 5.
  • A Favor – Estilo original e sedutor, habitabilidade, conforto
  • Contra – Comportamento menos dinâmico, altura do banco traseiro ao tejadilho

A Citroen está ousada e quando há três anos explicou-nos como é que ia mudar não ajoelhando à ditadura dos SUV, estávamos todos longe de pensar no… C4! Pegando na sua herança, a casa francesa deu as mãos ao GS do passado e caminhou para o futuro com este C4 que cruza SUV, berlinas e carrinhas.

E cruza muito bem! Com 4,4 metros de comprimento, 1,50 metros de altura e 1,80 de largura, o C4 está entre segmentos, pertencendo ao segmento D até pela distância entre eixos de 2,7 metros.

Mas quando nem mesmo a Citroen sabe onde encaixar o C4, podemos dizer com toda a propriedade que o modelo é um verdadeiro “crossover”.

E o estilo do C4 é propositado para causar disrupção e para tentar ter rabo para duas cadeiras: a dos SUV e as berlinas de cinco portas que, quer se queira, quer não, valem 76% das vendas do segmento C.

Poderá o C4 chocar alguns num segmento hiperconservador, mas a Citroen dá uma prova de carácter ao apostar no C4 com este estilo que, digo uma vez mais, é bom e é sedutor. É a minha opinião!

UM INTERIOR MAIS CONVENCIONAL

Se o exterior é audacioso, o interior é mais convencional. Este é o segmento das famílias pelo que prezam a habitabilidade e os aspetos práticos. Ora, o caderno de encargos da Citroen para o C4 tinha exatamente como principais premissas estas duas áreas. 

Por isso a Citroen diz que reforçou o espaço para arrumar as pernas no banco traseiro e posso dizê-lo que a habitabilidade é, mesmo, um dos pontos fortes do C4. Mesmo que esteja um “calmeirão” no banco do condutor, quem segue atrás numa estará constrangido.

Menos conseguido é o espaço entre o banco e o tejadilho e os moços e moças de maior altura podem bater com a cabeça no tejadilho. A forma da carroçaria – que oferece um coeficiente de arrasto favorável – cobra essa fatura. Não aconselhado a quem tenha perto de 2 metros de altura… Enfim, constrangimentos deste carro que é um SUV, um coupé e uma berlina de 5 portas.

A bagageira tem dois patamares de utilização com 340 litros de capacidade com o fundo na parte superior, 380 litros com este colocado no fundo. Rebatendo as costas do banco traseiro, pode chegar aos 1250 litros. Valores que estão na mediana do segmento.

A posição de condução é muito boa, com tudo perto da mão e com apenas a informação necessária, sem fogo de artifício. E mais que isso, a Citroen não colocou os comandos da climatização no ecrã sensível ao toque. Por isso, regular a climatização é uma brincadeira de crianças sem a confusão de andar por menus para regular a temperatura.

O mais curioso é que o sistema de info entretenimento do C4 é o mesmo do C5 Aircross, modelo que tem o comando da climatização dentro do ecrã sensível ao toque. Por isso o C4 tem dupla regulação, redundante, mas os comandos físicos são bem mais agradáveis. Obviamente que se gostar de controlar tudo pela ponta dos dedos… pode fazê-lo.

E COMO É O C4 EM UTILIZAÇÃO?

Numa lógica de poupança de escala, a Citroen fez o C4 com aquilo que está disponível na Stellantis, pelo que a plataforma CMF é a base.

Porém, a Citroen decidiu seguir o seu próprio caminho no que toca às suspensões e não hesitou em deitar mão aos já famosos e bem-sucedidos limitadores de curso dos amortecedores hidráulicos. 

E a verdade é que o C4 é um carro absolutamente suave e confortável. Aliás, não me lembro de um carro tao confortável como este Citroen.

Por outro lado, o C4 não tem nenhuma capacidade para entusiasmar quem está ao volante e no que toca ao comportamento, a Citroen decidiu seguir um caminho alternativo.

E COMO É A VERSÃO ELÉTRICA DO C4?

O sistema elétrico do C4 é sobejamente conhecido: bateria de 50 kWh debaixo do piso, tração dianteira com um motor elétrico com 136 CV e uma autonomia de 350 km. Para ficar perto dos 300 km de autonomia, terá de evitar arrancar com a bateria fria e fugir da autoestrada ou andar muito tempo acima dos 100 km/h. A bateria pode ser carregada até ao ritmo máximo de 100 kW.

Ora, o C4 100% elétrico é muito semelhante pois a posição de condução é, apenas, ligeiramente mais elevada. Diferenças estão nos dois pedais e na posição B da alavanca da caixa que oferece uma regeneração mais forte. Mas aqui não há forma de ter um “e-pedal” como sucede em carros 100% elétricos como o Nissan Leaf. 

O conforto é igual e a forma como o carro se comporta é semelhante, notando-se, apenas, o peso extra das baterias.

A direção continua leve e o C4 não é um carro emocionante na condução e este não é um carro para quem tem paixão pela condução. É um carro para a família extremamente confortável. Ainda assim, o sistema elétrico permite uma aceleração 0-100 km/h em menos de 10 segundos. E a disponibilidade imediata do binário até faz as rodas patinar e por vezes sente-se o binário nas rodas dianteiras.

O QUE É QUE EU PENSO DO C4?

Coko referi no ensaio da versão a gasolina, eu adoro o C4. E esta versão elétrica tem tudo o que é bom do carro normal com as vantagens dos modelos a gasolina. Posso situá-lo entre um Nissan Leaf e um VW ID.3, no que toca ao estilo, qualidade e eficiência. Mas no que toca à condução, o C4 não chega para nenhum. Porém, o e-C4 não é apenas o comportamento e por isso este Citroen acaba por ter exatamente o mesmo interesse e qualidade dos carros japonês e alemão.

Ficha técnica

Motor: elétrico síncrono de íman permanente; Potência máxima (CV): 136; Binário máximo (Nm: 260; Transmissão: dianteira, caixa de velocidade única; Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente; Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/eixo de torção; Travões (fr/tr): Discos ventilados/discos; Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 9,7; Velocidade máxima (km/h): 150; Consumos (kWh/100 km): 16,6; Dimensões e pesos Comp./Lar./Alt. (mm): 4355/1800/1525; Distância entre eixos (mm): 2670; Largura de vias (fr/tr mm): 1545/1545; Peso (kg): 1541; Capacidade da bagageira (l):380/1250; Bateria (kWh): 50; Autonomia (km): 350 km; Pneus (fr/tr): 195/60 R18; Preço da versão ensaiada: 38.257€