Home

Produção mundial vai perder cerca de 40% de volume devido à falta de semicondutores

Era uma espécie de elefante na sala que todos iam ignorando até agora quando a falta de semicondutores é real e vai cortar cerca de 40% de produção automóvel.

São muitos os grupos que estão a anunciar dificuldades para os próximos meses. A Stellantis vai fechar as fábricas de Rennes e de Sochaux na próxima semana devido à falta de semicondutores.

A Ford vai parar a produção em Colónia do Fiesta, o que faz temer pelos 15 mil empregos de Colónia, 5 mil deles ligados ao utilitário da casa da oval azul. O Focus não será atingido, pelo menos por agora.

No caso da Toyota, anunciou que a produção no Japão, Estados Unidos da América, China e Europa serão reduzidas, com um valor total, global, de menos 40% de produção. Aqui a dificuldade é provocada pelos semicondutores e pela pandemia de Covid-19 cuja variante Delta atingiu de forma violenta a Ásia.

Contas feitas, a Toyota espera perder 360 mil unidades de produção no mês de setembro, juntando mais 140 mil no Japão no mesmo mês, juntando os 20 mil perdidos em agosto.

O grupo VW também espera dificuldades com a falta de semicondutores e com a Covid-19 e não andará longe dos 40% de perda de produção.

Quer isto dizer que o segundo semestre de 2021 será complicado para todos e haverá muitos modelos a serem vendidos sem a maior parte dos desenvolvimentos tecnológicos e isso já se vê em Portugal, por exemplo.