Home

Dacia Sandero é o carro mais vendido na Europa

Segundo dados da Jato Dynamics, o Dacia Sandero é o carro mais vendido na Europa, analisando os números de julho. 

Num mercado que contraiu 24%, o Dacia Sandero foi o automóvel mais vendido com 20.446 unidades, mais 6% que em igual período de 2020 e menos 2% que em 2019. O Golf foi destronado, com o modelo da VW a vender 19.425 veículos, menos 37% que em julho de 2020 e menos 39% que em julho de 2019. Ainda assim, ficou em segundo a pouco mais de mil carros.

O pódio é completado pelo Toyota Yaris (18.858 unidades, mais 3% que em 2020 e 14% mais que em 2019) seguindo-se o VW Polo (17.858 carros, menos 8% que em 2020 e menos 17% que em 2019) e o “nosso” VW T-Roc com 16.496 unidades vendidas, menos 17% que em 2020 e menos 6% que em 2019.

A fechar os 10 modelos mais vendidos em julho, encontramos o Hyundai Tucson (14.883 veículos, mais 39% que em 2020 e mais 21% que em 2019), VW T-Cross (14.1709 unidades, mais 12% que em 2020 e mais 14% face a 2019.

O Dacia Duster (13.329 carros, menos 19% que em 2020 3 menos 24% que em 2019), Ford Puma (13.283 unidades, mais 2% face a 2020) e o Peugeot 2008 (13.134 carros, menos 34% face a 2020 e mais 3% que em 2021.

Entretanto, em julho, o híbrido Plug In mais vendido foi o Ford Kuga (4-247 unidades, menos 33% face a 2020), seguido do Peugeot 3008 (3.039 unidades, mais 62%) e do Volvo XC40 (2.931 unidades, menos 12%). 

Quanto aos elétricos, liderança para o VW ID.3 (5.433 unidades), seguido do Renault Zoe (3.976 unidades, menos 57%) e do Kia Niro.

Destaque para a redução da quota de mercado dos modelos a gasóleo que é, agora, de 22% face aos 30% de igual período de 2020 e 32% em julho de 2019. A quota de mercado dos modelos a gasolina foi de 59% face a 60% em julho de 2020 e 63% no mesmo período de 2019.

Por sua vez, os veículos eletrificados representaram 17% do mercado, um forte crescimento face a julho de 2020 (eram 9%) e julho de 2019 (3%). Foi o melhor julho para os veículos elétricos com 160.646 unidades vendidas

As vendas em julho na Europa ficaram em 1,27 milhões de unidades quando em julho de 2019 foi de 1,32 milhões de unidades, ou seja, ainda abaixo do período antes da pandemia. Mas no acumulado dos primeiros sete meses o aumento é de 24 por cento para 7.38 milhões de euros.