Elétricos

Mercedes revela o rival do Tesla Model S: chama-se EQE e tem 660 km de autonomia

Trata-se de uma berlina de quatro portas que tem como objetivo ser rival do Tesla Model S, chegando a um segmento crucial antes da Audi e da BMW.

O estilo é o mesmo dos modelos EQ, ou seja, silhueta de coupe e afastando-se do Classe E com motor de combustão interna.

Olhando para as fotos, percebem-se as semelhanças com o EQS, o topo de gama EQ. Na traseira há uma faixa LED que vai de um lado ao outro do carro, enquanto na frente lá está a enorme “grelha” com a estrela de três pontas e o padrão em diamante que esconde a miríade de sensores e câmaras.

À distância, distinguir o EQE do EQS será complicado. Se tiver olho clínico verá que o EQE é mais curto que o EQS: o primeiro tem 4934 mm, o segundo tem 5265 mm.

Sabe-se que o EQE terá uma gama AMG Line com para choques diferentes, jantes maiores, bancos mais desportivos. Há pele sintética e vários ambientes disponíveis.

O “Energizing Comfort”, o sistema de relaxamento da Mercedes que inclui a massagem nos bancos, está disponível no EQE.

O habitáculo destaca, ainda, o MBUX (Olá Mercedes!) Hyperscreen oferecido como opcional. Sim, o mesmo que é oferecido no EQS! 

Aliás, a tecnologia toma conta deste Mercedes com autenticação biométrica e navegação com realidade aumentada.

O carro terá suspensão adaptativa pneumática e quatro rodas direcionais como no EQS. Porém, se no EQS é de série, aqui serão opcionais. Sem estas opções, o EQE terá molas metálicas e direção convencional.

No que toca à motorização, o EQE tem uma bateria de 90,6 nkWh, tração traseira e um motor com 290 CV e 530 Nm de binário. O sistema 4Matic de tração integral é um opcional, adicionando um segundo motor elétrico no eixo da frente.

A Mercedes reclama uma autonomia de 660 km segundo o protocolo WLTP com um tempo de carregamento, numa estação rápida, entre os 10 e os 80%, em 31 minutos.

A produção começara no segundo semestre de 2022 na fábrica de Bremen para abastecer o mercado europeu.