Elétricos

Saiba (realmente!) tudo sobre o Renault Megane E-Tech Electric que chega a Portugal em março de 2022

Já pode fazer a pré-encomenda do carro, mas as encomendas só abrem em fevereiro de 2022, com a comercialização a ser feita em março. Antecipamos no sábado a revelação do carro, agora fique a saber, realmente, tudo sobre o Megane E-Tech Electric.

O novo Mégane E-TECH Elétrico é o primeiro dos automóveis elétricos da Geração 2.0 da Renault e marca o começo de um novo capítulo da revolução elétrica iniciada há cerca de 10 anos. Ligado e integrado no ecossistema de automóveis elétricos e no mundo digital dos seus utilizadores, o novo Mégane E-TECH Elétrico simboliza o início da história de liderança Renault no mercado dos veículos compactos (segmento C). O Mégane do futuro já chegou!

O novíssimo Mégane E-TECH Elétrico é um ícone de um novo mundo, o novo mundo dos automóveis elétricos. Como tal, faz parte de um ecossistema onde o automóvel representa uma plataforma de hardware que acolhe software de última geração e uma conectividade otimizada para proporcionar novas experiências. Bem-vindo à era do ‘VaaS’ (Vehicle as a Service) – O Automóvel como um Serviço.

Assim, o novo Mégane E-TECH Elétrico não é apenas uma peça individual de um ecossistema maior de automóveis elétricos. Pelo contrário, a sua integração, profundamente enraizada, assenta em experiências levadas a cabo nos últimos anos: estando dotado de capacidades de carregamento inteligentes e, em última análise, será até, quando necessário, capaz de alimentar a rede energética, graças à tecnologia V2G (veículo-para-rede). A Renault e a nova marca do Grupo, a Mobilize, desenvolveram competências na gestão de baterias (por exemplo numa segunda vida útil para as mesmas e na reciclagem) que cobrem todo o ciclo de vida e cadeia de valor.

Tal como um moderno smartphone, o novíssimo Mégane E-TECH Elétrico integra-se, na perfeição, com o ecossistema digital do seu utilizador. É um automóvel de alta tecnologia, sempre pronto a servi-lo, graças ao novo ecrã OpenR e ao novo sistema multimédia OpenR Link, que foi desenvolvido com a Google e é baseado no Android Automotive OS. Por isso, integra o Google Assistant, o Google Maps e o Google Play, garantindo uma experiência de condução conveniente, personalizada e perfeitamente integrada. O perfil de cada utilizador pode, assim, ser ligado à sua conta pessoal no Google, para uma experiência ainda mais aprofundada. Além disso, as várias características da aplicação My Renault tornam a utilização do automóvel ainda mais interativa e pró-ativa.

A Renault fez a escolha estratégica de fabricar o novo Mégane E-TECH Elétrico em França, na fábrica de Douai, que está localizada no coração da ElectriCity, o principal centro dedicado aos automóveis elétricos da Europa. Com o objetivo de produzir 400.000 automóveis por ano, a Renault ElectriCity será, em breve, o maior e mais competitivo centro de produção de automóveis elétricos da Europa. Localizado no norte de França, está idealmente localizado no coração da procura do mercado.

O novo Mégane E-TECH Elétrico vai ainda mais além para proteger o ambiente. Todos os estofos são feitos de materiais 100% reciclados. Dependendo da versão, isso pode corresponder a até 2,2kg! Um total de 27,2 kg de peças visíveis (zona inferior do habitáculo) e invisíveis (estrutura interna do tablier) são feitas de plásticos reciclados. Mais, 95% do Mégane E-TECH Elétrico será reciclado no final do seu ciclo de vida.

O novo Mégane E-TECH Elétrico é o primeiro modelo da gama Renault a beneficiar de todas as vantagens que a plataforma CMF-EV da Aliança tem para oferecer. Esta nova plataforma de referência é dedicada aos automóveis totalmente elétricos e facilita o fabrico, o desenvolvimento e a otimização do desempenho das novas gerações de modelos, de cada uma das marcas do Grupo. O seu design e as vantagens que proporciona ajudam a ultrapassar as anteriores limitações para ajudar a criar automóveis com um novo design, com novas características e que são sempre um prazer de conduzir.

Dado que os motores nos automóveis elétricos são consideravelmente mais compactos do que nos seus congéneres de combustão, esta plataforma tem um compartimento de motor mais reduzido. Esta solução, combinada com a distância entre eixos estendida e, a colocação das rodas nos quatro extremos, permitiu libertar espaço adicional que foi devidamente aproveitado para criar um design exterior único, aumentar o espaço habitável e dar origem a um design interior inovador.

Graças à disruptiva tecnologia e a baterias com maior capacidade, a plataforma CMF-EV oferece a possibilidade de aumentar a eficiência energética e a autonomia de um automóvel elétrico, ao mesmo tempo que reduz os tempos de carregamento. A potência e o conforto ao volante também são ampliados, graças às melhorias no chassis e na direção e a um centro de gravidade ainda mais baixo, um atributo tornado possível pela colocação das baterias sob o piso.

Até à data, já foram registadas mais de 300 patentes para a plataforma CMF-EV e para o novo Mégane E-TECH Elétrico. Estas patentes protegem a inovação que foi aplicada ao motor, ao sistema de carregamento, às baterias, à gestão do calor, à arquitetura da plataforma e à acústica. Este é o resultado da experiência partilhada entre o Grupo Renault e os seus parceiros da Aliança, Nissan e Mitsubishi, num esforço para manter e assegurar a liderança tecnológica, face aos concorrentes.

Tal como a própria marca, o design da Renault está a mudar e a tornar-se mais “tecnológico”. Embora mantendo todas as características sensuais que estão por detrás do recente sucesso dos seus automóveis, este Mégane E-TECH Elétrico também incorpora alguns elementos tecnológicos (luzes traseiras micro-ópticas LED e o ecrã OpenR), bem como outros que são fortemente inspirados no mundo da alta tecnologia e do design de sistemas de alta-fidelidade (grelhas de ventilação, gravação a laser em decorações nas soleiras protetoras das portas).

Em geral, formas sensuais como a linha de cintura arredondada, as asas recortadas à volta das luzes dianteiras, e o capot curvo, fundem-se com uma precisão subtilmente estruturada e detalhada. Isto é exemplificado pelo acabamento da lâmina nos para-choques dianteiro e traseiro e pelas aberturas laterais de refrigeração no para-choques dianteiro. Os puxadores das portas que se destacam, automaticamente, quando desbloqueados e a grelha fechada, transmitem uma sensação de continuidade nas linhas e tornam o perfil mais esguio e elegante. Por último, todo este conjunto “sensual-tech” gera uma sensação de elevada qualidade percebida.

A iluminação integralmente em LED, tanto à frente como atrás, do novo Mégane E-TECH Elétrico, foi “cirurgicamente” cortada a laser para melhor expressar a sua modernidade. O automóvel apresenta uma assinatura luminosa inovadora, com padrões ‘eletrificantes’ que se cruzam com o logótipo central, para maior impacto visual. Na frente, as luzes de dia parecem estender-se para além dos projetores e continuar o seu caminho até às aberturas de ar laterais no escudo. Na parte posterior, numerosas fibras micro-ópticas cortadas a laser, colocadas em linhas cruzadas, criam um intrigante efeito de brilho em 3D: linhas sobrepostas parecem vibrar como se estivessem vivas. Para além dos piscas muito elegantes, as luzes de travagem são exibidas em duas linhas distintas, muito parecidas com o sinal de “pausa”.

Cada versão do novíssimo Mégane E-TECH Elétrico incorpora puxadores de portas embutidos e escamoteáveis. Quando o condutor ou o passageiro da frente se aproximam para abrir uma porta, ou quando o automóvel está destrancado, os puxadores escondidos na carroçaria são empurrados automática e eletronicamente para fora. Estes voltam ao lugar após dois minutos de imobilização, quando o automóvel começa a deslocar-se ou quando as portas estão trancadas.

O efeito inicial quando se acede a bordo é impressionante: que espaço! As dimensões interiores do novo Mégane E-TECH Elétrico são semelhantes às de um Mégane alimentado por motor de combustão interna (tanto no comprimento como na distância entre os passageiros), se não mesmo maiores (21cm de espaço para os joelhos dos passageiros traseiros). Mas, acima de tudo, a plataforma CMF-EV serve para aumentar a sensação de espaço e a versatilidade do automóvel: distância entre eixos alargada, compartimento do motor mais pequeno, com os componentes de ar condicionado já incorporados, tablier minimalista, etc.. Desta forma, os passageiros podem usufruir de espaço extra na consola central e sob o tablier. Além disso, o espaço interior e o conforto foram aumentados, graças à ausência de um túnel de transmissão (permite dispor de um piso plano), de uma manete da caixa de velocidades e dos comandos de controlo normalmente integrados na consola central.

O ecrã OpenR é construído usando vidro reforçado, para garantir um acabamento mais robusto, que resulta agradável ao toque e ao olhar. O brilho do ecrã e a refletividade da luz foram otimizados para assegurar uma boa visibilidade, mesmo sob luz solar intensa; melhorada ainda pelo revestimento antirreflexo. Assim sendo, a tradicional pala protetora do painel de instrumentos foi removida, já não sendo necessária, poupando espaço e tornando o aspeto final ainda mais “limpo” e moderno.

O ecrã OpenR oferece uma área de visualização inigualável: 321 cm² para o ecrã de 12,3 polegadas (1920 x 720 pixels, em modo paisagem) e 453 cm² para o ecrã multimédia de 12 polegadas (1250 x 1562 pixels, em modo retrato). Isto garante que o conjunto da interface digital, a bordo, meça um total de 774 cm², sem paralelo em qualquer outro automóvel deste segmento e mais alinhado com uma muito maior berlina topo-de-gama. Mesmo o modelo de nível de entrada apresenta um ecrã multimédia de 9 polegadas (1250 x 834 pixéis, em modo paisagem).

O ecrã OpenR incorpora tecnologia de ponta, para assegurar uma experiência suave e imersiva. Em particular, o processador Snapdragon da Qualcomm, de última geração, com diferentes configurações, conectividade avançada com portas USB-C e tecnologia essencial para a segurança a bordo, assim como sistemas avançados de auxílio à condução – ADAS, (como por exemplo as câmaras 360° do sistema 3D Around View Monitor). Quanto ao software instalado, o novo sistema OpenR Link com o Google incorporado, assegura uma experiência de ligação intuitiva e otimizada.

A secção de “instrumentação” do ecrã OpenR permite quatro diferentes modos de visualização, de acordo com as prioridades do condutor:

  • Modo Condução (instrumentação de controlo)
  • Modo Navegação (mapas)
  • Modo ZEN (minimalista)
  • Modo Bateria (estado da carga e do carregamento)

Claro que a visualização do painel de instrumentos também pode ser totalmente personalizada. Apresenta cinco widgets (utilização do “combustível”, pressão dos pneus, distância, eco-monitor e música) e oito (8) esquemas de cores.

Ao colocar a alavanca de seleção da caixa atrás da coluna de direção e ao posicionar o botão MULTI-SENSE no volante, a Renault libertou mais espaço entre os dois bancos da frente, que, agora, pode albergar um compartimento de arrumação com 7 litros de capacidade, um valor sem precedentes. Este é suficientemente grande para guardar uma mala de mão, ou outros artigos de maior dimensão, que precisem de estar facilmente acessíveis, mas também pode ser utilizado para guardar diferentes acessórios que todos os passageiros a bordo podem utilizar e aceder facilmente. Há ainda dois litros adicionais de capacidade para os porta-copos e mais um espaço com 3 litros localizado sob o apoio de braços central, que pode deslizar, longitudinalmente 55 mm, para uma melhor ergonomia. Ao todo, o novo Mégane E-TECH Elétrico oferece 30 litros de espaços de arrumação, o melhor valor da classe. 

A mala tem um volume total de 440 litros, capacidade que é inteiramente utilizável, dado que o espaço é retangular e os cabos de carregamento têm a sua própria área de armazenamento especial, com 22 dm3 de capacidade, e que é acessível através de um painel amovível no piso do espaço de carga. A capacidade da bagageira pode ainda ser aumentada com os bancos traseiros rebatidos numa proporção 2/3 – 1/3 e o banco do passageiro da frente dobrado para cima.

Conhecido mais especificamente como sendo um motor síncrono excitado eletricamente (EESM), tem sido utilizado de forma consistente pelo Grupo Renault e pela Aliança nos últimos dez anos e continuará a servir a marca no futuro. Tem melhor potência em comparação com os motores de ímanes permanentes e não requer metais de terras raras, reduzindo assim o impacto ambiental e os custos de produção em grande escala.

Graças a uma conceção otimizada, o motor é compacto e pesa apenas 145 kg (com embraiagem incluída), ou seja 10% menos do que a unidade utilizada atualmente no ZOE, apesar do acentuado aumento da potência e do binário. Cada novo Mégane E-TECH Elétrico será equipado com um dos seguintes motores:

– 96 kW (130 cv) e 250 Nm

– 160 kW (218 hp) e 300 Nm

Este oferece todo o entusiasmo de conduzir um automóvel elétrico, em especial a aceleração instantânea, que é tão dinâmica como progressiva (sem interrupções). E leva o Novo Mégane E-TECH Elétrico a acelerar de 0 a 100 km/h, em apenas 7,4 segundos.

O novo Mégane E-TECH Elétrico potencia ainda mais os atributos da travagem regenerativa, ao incluir quatro patamares distintos, que podem ser selecionados através das patilhas localizadas atrás do volante: Do Nível 0 (sem travagem regenerativa), até ao Nível 3 (regeneração máxima e efeito travão-motor otimizado para uma condução totalmente intuitiva na cidade).

O novo Mégane E-TECH Elétrico permite optar por duas capacidades de bateria:

– 40 kWh para um alcance de 300 km (no ciclo WLTP)

– 60 kWh para um alcance de até 470 km (no ciclo WLTP, dependendo da versão) 

A bateria de 40-kWh é composta por 8 módulos de 24 células cada um, distribuídos por uma única camada. A bateria de 60-kWh é constituída por 12 módulos de 24 células cada um, distribuídos por duas camadas. Em ambos os casos, as dimensões da bateria permanecem inalteradas, incluindo a altura recorde de 110 mm. Vêm com uma garantia de 8 anos e, neste intervalo de tempo, serão substituídas gratuitamente, se se deteriorarem para menos de 70% da sua capacidade nominal. 

O novo Mégane E-TECH Elétrico é compatível com todas as infraestruturas de carregamento AC:

  • Tomada doméstica 10A/2.3 kW (monofásica)
  • Tomada Green’up 16A/3.7 kW (monofásica)
  • Wallbox 32A/7.4 kW (monofásica)
  • Estação de carregamento pública 16A/11 kW (monofásica)
  • Estação de carregamento pública 32A/22 kW (trifásica)

Dependendo na versão, também pode ser compatível com infraestruturas de carregamento de DC de até 130 kW (tomadas combinadas), tais como com as estações de carregamento rápido em autoestradas. 

Os tempos de carregamento estão entre os mais rápidos do mercado:

  • Até 400 km de condução mista, recuperados durante a noite (8 horas), com uma wallbox de 7,4 kW
  • Até 160 km de condução urbana, recuperados em 1 hora, numa estação de carregamento pública de 22 kW 
  • Até 200 km de autoestrada, recuperados em 30 minutos, com um posto de carregamento rápido de 130 kW
  • Até 300 km WLPT, recuperados em 30 minutos, com uma estação de carga rápida de 130 kW

Os 26 sistemas de apoio e auxílio à condução (ADAS) no novo Mégane E-TECH Elétrico estão divididas em três categorias: condução, estacionamento e segurança. Juntos, colocam o novo Mégane E-TECH Elétrico no topo do segmento no que diz respeito ao conforto e segurança do condutor e dos ocupantes e até dos restantes utilizadores das vias.