Elétricos

Toyota vai investir 14 mil milhões de dólares no desenvolvimento de baterias até 2030

O gigante japonês anunciou um colossal investimento no desenvolvimento de baterias e baterias de estado sólido até 2030.

A Toyota acredita que conseguirá cortar metade do preço das baterias na segunda metade da década, graças a este investimento.

Será a forma de acelerar o processo de eletrificação da casa japonesa, com baterias de iões de lítio de nova geração e as tão aguardadas baterias de estado sólido.

Desta forma, a Toyota oferecerá uma vida extra aos híbridos que durante décadas defendeu, alimentará a gama 100% elétrica e acaba com as críticas sobre o seu atraso na mobilidade elétrica.

A Toyota acredita que até 2025 terá pronta a primeira bateria de estado sólido para utilização em modelos de produção, tendo Masahiko Maeda, responsável pela divisão de tecnologia da Toyota, confessado que já há modelos a testar o conceito desde o ano passado.

Com este avanço, os híbridos vão ganhar fôlego com a diminuição sensível das emissões e a Toyota tentará cortar metade do preço das baterias, logo aumentará a competitividade dos modelos 100% elétricos.

Obviamente que as baterias de estado sólido para serem usadas nos híbridos terão de passar por um processo diferente, pois terá de haver maior controlo da potência e da estabilidade da mesma.

Seja como for, a Toyota não deixa de lado as baterias de iões de lítio e continua a desenvolver a segunda geração destas baterias que, acredita a Toyota, até 2030 vão dar significativo passo em frente no que toca a custos e, sobretudo, performance.

“Estamos focados na segurança, alongada duração de utilização e elevados níveis de qualidade para que seja possível construir baterias de preço baixo com elevadas performances” resumiu Maeda, acrescentando que “o que a Toyota mais valoriza é o desenvolvimento de baterias que os consumidores possam usar sem terem preocupações.”

A Toyota quer assegurar massivos 200 gigawatts hora de fornecimento de baterias até ao final desta década. É um sensível crescimento face ao que a Toyota tinha anunciado (180 gWh), mas indispensável depois da casa japonesa ter revisto em alta as vendas dos modelos elétricos.

Contas feitas, a Toyota espera vender 8 milhões de modelos eletrificados em 2030, incluindo 2 milhões de carros 100% elétricos a bateria ou a hidrogénio. Para já a maioria será alimentado a bateria, mas a Toyota não revela quanto será a percentagem dos modelos a hidrogénio, sendo certo que a marca japonesa continua a investir nessa área.