Ensaio Volvo XC40 P8 Recharge: provavelmente o melhor Volvo de sempre!

Ensaio Volvo XC40 P8 Recharge: provavelmente o melhor Volvo de sempre!

20/09/2021 0 Por Jose Manuel Costa
0 0
Read Time:9 Minute, 43 Second

Sim, é uma afirmação arriscada, mas na minha opinião, se o XC40 Plug In Hybrid era o melhor da gama XC40, este P8 Recharge é, provavelmente, o melhor Volvo de sempre! E se a mobilidade elétrica for assim… que venha ela!

Rating: 4.5 out of 5.
  • A Favor – Comportamento, Performance, Qualidade de construção
  • Contra – Preço, alguns materiais

O primeiro rascunho de um carro 100% elétrico nunca é simples ou fácil de fazer e, na maior parte das vezes, é necessária segunda geração para recompor as coisas. Ora, a Volvo quer liderar a transição para a mobilidade 100% elétrica – não é original, parece que todos querem fazer o mesmo apesar de isso configurar um mortal abraço de urso – e não quis errar à primeira.

O que é curioso para quem é militante de crachá, bandeira e cartão da mobilidade 100% elétrica, é a tardia chegada ao segmento dos modelos elétricos alimentados a bateria, os BEV (Battery Electric Veihcle).

Pronto, já cá está e para causar impacto a casa sueca deu um nome ao carro que leva mais tempo a dizer que a carregar a bateria: Volvo XC40 Recharge P8. Como rivais tem o Jaguar i-Pace e Tesla Model Y, Volkswagen ID.4 e BMW iX, Ford Mustang Mach-E. 

E a Volvo não deixou créditos por mãos alheias e como disse acima, caprichou no XC40 – não é inocente a escolha do excelente SUV – e como a Polestar já não faz parte deste filme e segue um caminho paralelo, mas longe da Volvo, foi criada a Recharge. Feliz a escolha do nome, pois serve para os eletrificados.

AFINAL QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS PARA UM XC40 NORMAL?

Uma das coisas boas do XC40 Recharge P8 reside no estilo. É… igualzinho ao do XC40 com motores térmicos. Enfim, a Volvo não foi no canto da sereia e fez um carro absolutamente igual aos outros. 

A exceção está na, agora, obrigatória placa no lugar da grelha convencional, aqui pintada na cor da carroçaria e o nome “Recharge” nos pilares C. Obviamente que há uma porta para tapar a ficha dupla de carregamento lento ou rápido, as jantes têm um desenho diferente e há algumas cores novas. 

Por baixo do manto desenhado por Ian Kettle, agora na Tesla, está a plataforma CMA que tem a enorme vantagem de ter sido pensada para receber uma motorização elétrica. Assim, a funcionalidade do XC40 não foi tocada. Perfeito!

VAMOS LÁ Á TÉCNICA E AOS NÚMEROS

O XC40 Recharge é um festim! Dois motores elétricos oferecem… 408 CV! Tadabum! Pois é, 204 CV cada um que oferecem, ainda, 330 Nm de binário cada para um total de 660 Nm. Tadabum!

Com um motor à frente e outro atrás, o XC40 tem tração integral e chega dos 0-100 km/h em 4,9 segundos, Tadabum!

A velocidade máxima está limitada aos 180 km/h, a bateria tem uma capacidade de 78 kWh e a autonomia oficial encosta-se aos 400 km. Tadabum!

Pode carregar o XC40 num carregador de 150 kW que recuperará 80% da carga em 40 minutos. Na “wallbox” que vai querer instalar na sua garagem, entre 7 e 11 kWh, o XC40 Recharge fica pronto em oito horas. Tadabum!

ESTÁ BEM SÃO IMPRESSIONANTES OS NÚMEROS. E O INTERIOR COMO É?

A Volvo quer, mesmo, que os carros com motorização 100% elétrica se diferenciem dos outros e por isso este XC40 Recharge tem ligeiras diferenças. Desde logo um novo ecrã de alta resolução de 12,3 polegadas com grafismos mais desenvolvidos para o painel de instrumentos que agora pode ter a navegação como dominante ou então entre os dois instrumentos principais, velocímetro e conta rotações.

O que não estava à espera era de ver o indicador da bateria ter, apenas, o valor da carga da bateria e não a autonomia que faltava. Percebo a ideia: controlar a ansiedade da autonomia, um bocadinho como se faz agora nos smartphones. 

Por seu turno, o ecrã principal disposto na vertical é mais fácil de utilizar, mesmo que vez por outra parece que tudo volta ao passado. O XC40 Recharge é, também, o primeiro Volvo a usar o sistema de info entretenimento a partir do sistema Androide r desenvolvido pela Google.

Naturalmente, inclui o Google Maps, Google Play e o assistente de voz que funciona bem. Assim sendo, pode fazer do XC40 o seu escritório, pois pode aceder à sua conta Google para personalizar tudo, escutar as músicas do Spotify, usar o Waze para navegar e ainda tem a Volvo On Call que lhe permite aquecer ou arrefecer o interior remotamente e fazer a navegação mostra os pontos de recarga disponíveis. Em suma: excelente!

Dizer que a posição de condução é elevada, mesmo com a afinação em altura do banco, a habitabilidade é generosa para quem viaja no banco traseiro. Há muitos espaços de arrumação, carregador sem fios para o telemóvel e tomadas USB. Estranho foi encontrar num habitáculo com muita qualidade de construção e materiais de topo, alguns plásticos frágeis e ásperos ao toque. 

Depois há alguns revestimentos feitos de material reciclado. Desconheço o material reciclado, tenha sido o marfim dos cornos dos capacetes dos Vikings ou restos de barba de alguns deles. 

E porque a motorização elétrica libertou espaço, o XC40 Recharge tem uma bagageira que perde 47 litros nesta versão, para os 413 litros de capacidade. Mas compensa com um “frunk” ou porta bagagens à frente com 31 litros. Ou seja, a perda é de apenas 16 litros.

Dizer que em termos de segurança a Volvo não transige e por isso há de tudo dentro do XC40, adicionando uma travagem autónoma que deteta se o carro está prestes a ser abalroado. Se isso vier a acontecer, trava a fundo e impede que o acidente acabe na traseira do carro á frente. O Pilot Assist foi melhorado recorrendo aos mapas da Google para descortinar os limites de velocidade e os melhores percursos.

E EM UTILIZAÇÃO, É MESMO O MELHOR VOLVO?

Desde logo é um carro muito simples de utilizar. O conceito Jantelagen surge aqui no seu esplendor com a Volvo a mostrar como as coisas simples são bem melhores que as complicações modernaças de outros.

Como esta coisa da eletrificação é complicada, a Volvo descomplicou: não é preciso chaves para nada… o carro destranca-se quando nos aproximamos com a chave no bolso, entramos e assim que estamos prontos com o cinto apertado, deslizar o curto comando da caixa para a posição D e… lá vamos nós. Quando paramos, basta sair e afastar-se do carro. Desliga-se tudo e as portas trancam-se.

Também não há modos de condução diferentes, apenas pode alterar a firmeza da direção – sensação mais ou menos filtrada – e usar uma espécie de “e-pedal” com regulação da intensidade de regeneração. A quantidade de travagem admitida varia e é possível com alguma atenção e algum cuidado conduzir sem tocar no pedal de travão.

Infelizmente, as baterias e o sistema de controlo fazem do mais pequeno SUV da Volvo e o mais pesado da gama XC. São 2220 quilogramas e aqui fica exposto um dos maiores problemas da eletrificação. Andamos anos a pregar que os carros tinham de ser leves para combater a poluição e agora andamos ao volante de gigantescos pisa papéis. O XC40 Recharge pesa mais de meia tonelada a mais que um XC40 convencional.

Porém… err… o XC40 100% elétrico é o XC40 que tem o melhor comportamento!!! E não estou a brincar!!

Em primeiro lugar os 408 CV e os 660 Nm de binário, ajudam a dar uma vida inesperada ao XC40. Mas… de que serve a potência sem controlo? É que quando aceleramos a fundo, levamos um pontapé nas costas e o Volvo sai disparado mais depressa que dizer “fosga-se!” 

Obviamente que não é surpresa este pontapé nas costas… lembram-se do 850R ou o T5? Era parecido, mas com uma enorme diferença… o XC40 sai disparado e continua veloz, os seus antepassados jurássicos primeiro derretiam os pneus da frente e depois atirava-nos para diante como uma catapulta. Saudades!!!!!

Ou seja, o Volvo XC40 Recharge é fabulosamente rápido, mas não é um carro rápido descontrolado. O trabalho feito pela Volvo nas suspensões é absolutamente brilhante.

O XC40 é desconcertante à saída das curvas, nas rotundas, enfim, é um carro absolutamente delicioso de conduzir. 

Sim, é preciso ter um pouco de atenção em piso molhado e em curvas mais escorregadias, com a frente a ceder um pouco. Enfim, um carro brilhante que gere de forma impressionante o peso e a tração. 

Confesso que dei por mim a escolher caminhos alternativos com curvas e a sorrir como um menino com um brinquedo novo.

Mas há ainda mais surpresa. Se quiser ser bem-comportado ao volante como deve ser um condutor que quer ajudar a lidar com as alterações climáticas, o Volvo XC40 Recharge é soberbo. Amortecimento perfeito que oferece um conforto interessante, repara os buracos com uma altivez impressionante e o sistema McPherson à frente e eixo multibraços atrás faz aquilo que muitos alemães topo de gama não conseguem. 

Lembro-me de ter ido à primeira apresentação da nova Volvo, quando nos deixaram de boca aberta ao dizer que só iam oferecer motores de 4 cilindros e que iriam seguir o seu caminho sem ter sobre o pescoço a obrigação de rivalizar com os alemães.

Tantos anos depois, lembro, escrevi que a Volvo poderia se transformar num caso sério. Parece que tinha razão e a casa sueca está madura e seguindo o seu caminho oferece-nos este XC40 que é, digo sem hesitação, brilhante.

Ah! e quanto à autonomia, a Volvo reclama mais de 400 km. Dependerá, sempre, da utilização em auto estrada e do peso do seu pé direito, mas eu consegui quase 370 km… andei uma semana com ele e não carreguei! E andei em auto estrada e a testar as capacidades insanas dos propulsores elétricos!

O QUE É QUE EU PENSO DO XC40 RECHARGE ELECTRIC?

O XC40 é um SUV muito bem desenhado e a plataforma sempre se mostrou excelente. Eu sempre gostei do XC40 e se pudesse tinha um. Mas se os motores usados nem sempre rimavam com o SUV, a versão Plug In veio acabar com isso. Mas a Volvo tinha reservado este Recharge e mantendo o estilo delicioso e sedutor, a qualidade de sempre, elevado nível de segurança e a motorização elétrica, o Volvo XC40 tornou-se irresistível. Neste momento, o XC40 Recharge P8 é um caso sério de atração à mobilidade 100% elétrica. É brilhante na utilização, brilhante no comportamento, brilhante no ambiente a bordo, enfim, é brilhante! Sim, é caro, mas há coisas que valem o que custam e este XC40 Recharge vale cada cêntimo que custa! E sim, volto a dizer… provavelmente, este é o melhor Volvo de sempre!

Ficha técnica Motor: 2 motores elétricos de íman permanente; Potência máxima (CV): 204 x 2; Binário máximo (Nm):330 x 2; Potência máxima total (CV): 408; Binário máximo total (Nm): 660; Transmissão: às quatro rodas com transmissão com relação única; Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente; Suspensão (ft/tr): independente tipo McPherson/Independente multibraços; Travões (fr/tr): Discos ventilados; Prestações e consumos Aceleração 0-100 km/h (s): 4,9; Velocidade máxima (km/h): 180; Consumo (kWh/100 km): 19,4; Autonomia (km) >400; Dimensões e pesos Comp./Lar./Alt. (mm): 4425/1863/1652; Distância entre eixos (mm): 2702; Largura de vias (fr/tr mm): 1601/1626; Peso (kg): 2250; Capacidade da bagageira (l): 413 + 31/1342; Bateria (kWh): 78; Pneus (fr/tr): 225/45 R18; Preço base (euros): 57.150; Preço da versão ensaiada (Euros): 64.348

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %