Elétricos

Stellantis vai transformar Turim num centro de mobilidade elétrica

A cidade de Turim e o Lingotto são icónicos na história da Fiat, numa primeira fase, para a FCA, depois. Agora, a Stellantis quer transformar tudo num centro de mobilidade elétrica.

Assim sendo, a fábrica de Mirafiori (que deu nome ao Fiat 131 Mirafiori) passará a produzir a plataforma eletrificada da Stellantis e também os Maserati Ghibli e Quattroporte entre 2022 e 2024. Lembrar que o Fiat 500 elétrico já é produzido em Mirafiori juntamente com o Maserati Levante.

Quer isto dizer que o Ghibli e o Quattroporte saem de Grugliasco para Mirafiori e com eles seguem os 1.100 colaboradores. Ou seja, não haverá impacto social na área já que ambas as fábricas ficam em Turim.

Fica é marcado o fim de produção noutro local mítico do Grupo Fiat, a fábrica de Grugliasco, que tinha recebido há menos de uma década a produção da Maserati.

Esta decisão está ligada a uma reorganização imposta pelo CEO da Stellantis, Carlos Tavares.

O português reuniu com os sindicatos e explicou que o custo de produção das fábricas da Fiat era 4 vezes maior que nas fábricas da PSA em França e Espanha. Por isso, o acordo foi feito para reorganizar Turim e a fábrica de Melfi, mais a sul de Itália, que vai fundir duas linhas numa só. 

E a Stellantis já se comprometeu a construir em Itália uma das três fábricas europeias previstas pelo grupo, a 300 km de Roma.