Elétricos

Peugeot e-208 e Peugeot e-2008 líderes de segmento e agora com autonomia alargada em 25 km

As novidades dos e-208 e e-2008 estarão disponíveis a partir de 2022, oferecendo mais 8% de autonomia o que significa mais 25 km para ambos os modelos.

Lançados no final de 2019, os 100% elétricos e-208 e e-2008 têm tido sucesso nos mercados em que são comercializados, acumulando mais de 90 mil veículos já produzidos. 

Em Portugal, e no acumulado de 2021, os dois modelos lideram o seu segmento, com o e-208 na posição de berlina 100% elétrica mais vendida do segmento B, com uma quota de 34,6% (580 unidades), e com o e-2008 a repetir o feito entre os SUV 100% elétricos do segmento B, com uma quota de 14,2% (567 unidades).

A Peugeot ocupa o primeiro lugar na venda de carros elétricos em Portugal, com 1.161 unidades vendidas e uma quota de mercado de 12,3%.

Construídos sobre a plataforma eCMP (Common Modular Platform) e equipados com uma bateria de 50 kWh e dotados de um motor elétrico de 100 kW (136 cv) e 260 Nm de binário, estes dois modelos passam, agora, a contar com os mais recentes avanços tecnológicos, de modo a oferecer uma autonomia ampliada aos seus utilizadores.

No seu conjunto, estes desenvolvimentos irão assegurar um aumento da autonomia de acordo com o ciclo de homologação WLTP. 

Assim, o Peugeot e-208 irá disponibilizar uma autonomia máxima de 362 km (WLTP), representando um incremento de 22 km. o Peugeot e-2008 irá disponibilizar uma autonomia máxima de 345 km (WLTP), representando um incremento de 25 km.

Mas para além dos aumentos de autonomia no ciclo WLTP, registam-se, também, aumentos significativos na utilização real, na ordem dos 40 km, no tráfego urbano a temperaturas próximas de 0°C.

Os pneus foram otimizados com uma mudança para a classe ‘A+’, proporcionando uma maior eficiência, graças a uma menor resistência ao rolamento. Isto aplica-se às rodas de 16 polegadas do e-208 e às rodas de 17 polegadas do e-2008.

Em complemento, houve um desenvolvimento ao nível mecânico, através de uma nova relação da caixa de velocidades que otimiza a autonomia em viagens, por estrada e autoestrada.

Por último, uma nova bomba de calor acoplada a um sensor de humidade instalado na parte superior do para-brisas otimiza a eficiência energética do aquecimento e do ar condicionado. A informação comunicada por este sensor permite controlar, com maior precisão, a recirculação de ar no compartimento de passageiros e, em última análise, proteger a quantidade de energia contida na bateria ao aquecer e manter a temperatura no interior do veículo. Esta última evolução é particularmente percetível em situações de baixas temperaturas exteriores.