Maserati Grecale, o novo SUV da marca do Tridente

Maserati Grecale, o novo SUV da marca do Tridente

23/03/2022 0 Por Autoblogue
0 0
Read Time:17 Minute, 0 Second

O Maserati Grecale vai estar disponível no segundo semestre de 2022 com versões a gasolina com sistema híbrido suave. O motor V6 de 530 CV e um modelo 100% elétrico também fazem parte da gama.

O Grecale incorpora os conceitos de inovação, versatilidade e luxo: é o melhor SUV da sua classe em termos de espaço e conforto.O novo SUV da Maserati está disponível na versão GT, equipado com um motor de quatro cilindros mild hybrid capaz de disponibilizar 300 cv; na versão Modena, com um motor de quatro cilindros mild hybrid de 330 cv; e na versão Trofeo de alta performance, com um V6 de 530 cv.

Maserati Grecale

Futuramente, a gama Grecale será completada com a versão Full-Electric, o primeiro SUV totalmente eletrificado da história da Maserati, previsto no mercado um ano depois do modelo a gasolina, e fazendo uso de tecnologia de 400 V.

Desempenho de nível superior em termos de facilidade de condução e comportamento. Velocidade máxima: 285 km/h. Aceleração 0-100 km/h em 3,8 segundos (dados referentes à versão Trofeo).

No lançamento, o Grecale está também disponível na série limitada PrimaSerie Launch Edition, dotada de um conteúdo exclusivo.

Especificações técnicas inovadoras, incluindo o sistema multimédia Maserati Intelligent Assistant (MIA), o sistema de infoentretenimento de última geração, o ecrã de ajustes de conforto, o relógio digital e o opcional head-up display.

Uma experiência acústica envolvente é garantida pela emblemática sonoridade caraterística do motor Maserati, conjugada com o imersivo sistema de som multidimensional Sonus faber.

Maserati Grecale

Maserati Grecale tem mais uma vez o nome de um vento

O gregal (grecale em italiano) é um vento de nordeste do Mediterrâneo, e, agora, também um SUV que se espera desempenhe um papel decisivo na gama da Maserati.

Batizar os seus automóveis com os nomes dos mais famosos ventos é uma tradição para a marca.

Tudo começou em 1963, com o lendário Mistral. Seguir-se-iam o Ghibli, o Bora e o Khamsin. E, em 2016, o Levante, o primeiro SUV da história da casa do Tridente.

O Grecale está disponível em três versões: GT, animada por um motor de quatro cilindros mild hybrid capaz de disponibilizar 300 cv; Modena, com um motor de quatro cilindros mild hybrid de 330 cv; e Trofeo, propulsionado por um V6 a gasolina de alta performance de 530 cv, baseado no motor Nettuno do MC20. 

A gama Grecale será completada com a chegada da futura versão Full-Electric, 100% eléctrica, que fará uso de tecnologia de 400 V.

No lançamento, o Grecale também estará disponível na série limitada PrimaSerie Launch Edition, que contará com interiores e um conteúdo tecnológico exclusivos.

O próprio nome – PrimaSerie – indica o privilégio de ser-se um dos proprietários de um modelo totalmente novo, e faz da exclusividade um atributo notório.

O novo Grecale é produzido na fábrica de Cassino, em Itália, e está destinado a desempenhar um papel de protagonista na Maserati.

Um SUV com dimensões generosas: o GT mede 4846 mm de comprimento, para uma distância entre eixos de 2901 mm, uma altura de 1670 mm e uma altura de 2163 mm (incluindo os retrovisores exteriores). Com uma largura da via traseira de 1948 mm (que é ainda maior no Trofeo), possui uma aparência marcadamente desportiva, sem sacrificar o conforto, que alcança níveis dignos de registo em termos do espaço disponível atrás. O Grecale acomoda o percentil 99 tanto nos bancos dianteiros como nos traseiros. 

Tudo no Grecale está ao serviço da funcionalidade: começando nos pilares caraterísticos da marca, e nos seus temas dominantes – um luxuoso, o outro desportivo, o visual interior é inspirado pelo conceito de um design puro, moderno e emotivo, com espaço para a nova tecnologia.

A inspiração no seu legado não é um fim em si mesmo, antes visa dar um enorme salto para diante.

Maserati Grecale

Como tal, a referência a modelos da década de 1970, como o Ghibli, e a sua estrutura em forma de “T”, é reduzida a um design simples e linear, quase arquitetónico, destacando os materiais.

Abrir as suas portas é como entrar num mundo de conforto e estilo: materiais de prestígio realçam as superfícies, juntamente com a busca por imagens e cores únicas, inspiradas pelas raízes da marca e suas origens, reinterpretando os processos únicos do “Made in Italy”. A reinterpretação da manufatura italiana é inovadora, fascinante e aberta, para captar os estímulos da beleza contemporânea, filtrada através do estilo caraterístico da Maserati.

A sensação de modernidade é enfatizada pelas avançadas especificações técnicas e pela pureza do design: o veículo conta com não menos do que quatro ecrãs – o clássico painel de instrumentos e o monitor central de 12,3”, um ecrã de conforto mais pequeno de 8,8”, com comandos adicionais, e o novo relógio digital.

O recurso à tecnologia permite apurar o design e eliminar os botões do ecrã central, libertando mais espaço para o amplo apoio de braços, para o grande compartimento porta-objetos com duplas portas tipo asa de borboleta, e para a zona de carregamento do telemóvel.

A pureza estética é sublinhada nos materiais e acabamentos: as costuras no painel frontal são duplas, dando continuidade ao conhecido do Levante, o outro SUV da gama da Maserati. Por seu turno, o painel central e as portas contam com verdadeiros elementos materiais, resultando numa sensação de total harmonia em todo o habitáculo.

Enorme atenção foi dedicada aos elementos estilísticos: veja-se o detalhe das grelhas metálicas cortadas a laser dos tweeters e das unidades de médios do novo sistema de som Sonus Faber, ou o acabamento cromado do smartwatch digital, das saídas de ventilação centrais e do seletor de modos de condução.

Outro elemento de design é representado pela luz emanada por detrás do ecrã central, que produz um efeito de “sala de estar” por via de uma iluminação suave e difusa, pela primeira vez possível de encontrar num automóvel. Tudo está centrado na simplificação, para oferecer um espaço em que os ocupantes se sintam à vontade, e onde a mais avançada tecnologia só intervém quando necessário.

Grecale, um sinónimo de inovação

O estilo Maserati é enriquecido pelas suas caraterísticas técnicas: ao entrar no habitáculo do Grecale, o condutor é saudado por um relógio digital, o primeiro na história da marca do Tridente, o qual se torna numa autêntica interface entre condutor e veículo. Já não se limita a indicar as horas: também pode emitir um sinal de resposta sempre que recebe um comando vocal. Assume uma forma clássica, mas oferece uma visão futurista, sendo praticamente um elemento estilístico dominante do Grecale, informando se o contacto com o veículo está ativo, e se o veículo “escuta o condutor quando este fala com ele”. Não se trata de um simples ecrã digital, que muda de estética em função dos gostos de cada qual. Ao invés, é algo mais, e até pode tornar-se numa bússola, ou num medidor de forças G, caso seja necessário.

A filosofia aplicada no Grecale tende para o minimalismo nos comandos. Agora, praticamente tudo é controlado por comandos táteis. Tudo o que é preciso é um mero roçar de um dedo para aceder às funções técnicas e aos atalhos, pelo que já não é necessário perder tempo a procurar os comandos de que se necessita.

São incluídos dois ecrãs, o monitor central de maiores dimensões e 12,3”, e um painel de 8,8” para comandos adicionais, ambos colocados em posição ergonómica para o condutor: fáceis de visualizar, contudo, não invasivos. 

Os passageiros também podem regular o ar acondicionado de três zonas a seu gosto, através de um ecrã tátil nos bancos traseiros.

A suspensão pneumática é de série no Grecale Trofeo, e uma opção nas versões Mild Hybrid. A altura das molas pneumáticos está diretamente dependente do modo de condução escolhido. Seis níveis de ajustes da suspensão podem ser selecionados pelo utilizador, e estão relacionados com os distintos modos de condução. O curso total da suspensão pneumática é de 65 mm. A partir do modo normal, a suspensão oscila entre um mínimo de -35 mm, no modo de estacionamento, e um máximo de +30 mm no modo OFF-ROAD. Por último, mas não menos importante, quando o veículo está no modo PARKING, a altura é ajustada para facilitar a saída do veículo.

A generosa distância entre eixos de 2901 mm do Grecale tornou possível alcançar um notável espaço habitável na traseira, a que há que adicionar o volume da bagageira, com uma plataforma de carga plana, e um compartimento de carga sob o piso, podendo os bancos traseiros ser rebatidos pressionando um botão existente na mala.

Investigação específica foi, também, levada a cabo no domínio do design acústico interior do veículo, tendo sido adicionados diversos sons de boas-vindas que diferem dos de outros modelos da Maserati. Agora, inclui sons de alerta especiais para os cintos de segurança e para a luz interior, assim como para os sistemas ADAS. Este obedecem à lógica de incrementar a qualidade percebida, por via de uma suavização de todos os sons de alerta recebidos pelos utilizadores enquanto conduzem.

Como opção, está disponível um avançado sistema Head-up Display, que se encontra entre os melhores atualmente disponíveis no mercado em termos de brilho, contraste e ângulos de visão.

Sistema de propulsão e experiência de condução

O motor Twin Turbo de seis cilindros e 3000 cc do Grecale gira em torna da tecnologia Maserati Twin Combustion (MTC), que fez a sua primeira aparição no motor Nettuno, a força propulsora do MC20 com tecnologia herdada da Fórmula 1 e baseada numa arquitetura de pré-câmara de combustão. 
Mais do que uma evolução tecnológica, os motores do Grecale – que serão construídos e montados nas fábricas plantas de Termoli – são os verdadeiros precursores do Nettuno e desta nova família de unidades motrizes. 

Por comparação com o Nettuno do MC20, o Grecale de seis cilindros incorpora um cárter húmido, em vez de um seco. Mas, mais importante, é um motor equipado com um sistema de desativação de cilindros, com uma tecnologia completamente reformulada e otimizada. Em determinadas condições de funcionamento, a bancada de cilindros direita pode ser desativada, com todo o seu sistema de distribuição a ser mantido inativo através de um sistema de touches colapsáveis: um resultado alcançado por intermédio um circuito de óleo distinto e da utilização de componentes de última geração. Um conceito totalmente reformulado, devido à inclusão de uma dupla câmara e, por conseguinte, de novas dimensões na cabeça do motor do Grecale.

O motor MTC utilizado no Grecale mostra como a tecnologia criada para a Fórmula 1, e, depois, instalada num superdesportivo com uma performance tão extraordinária como o MC20, também pode ser explorada para melhorar a performance e a eficiência de um SUV. 

Pese embora proporcione uma notável performance, a tecnologia utilizada baixa o consumo para os níveis de um veículo subcompacto, e reduz significativamente as emissões de CO2.

A destaque deste novo motor V6 é o sistema de combustão previamente revelado no MC20, uma solução tornada possível pelo sistema de pré-câmara passiva, que inflama o combustível numa câmara separada.

À medida que as chamas de propagam, a combustão transfere-se da pré-câmara para a câmara de combustão tradicional, mediante uma série de perfurações especialmente dimensionadas. O resultado é uma combustão mais rápida, padronizada e eficiente. A verdadeira inovação radica na utilização deste componente juntamente com uma segunda vela de ignição. Em conjunto com o sistema de injeção dupla, esta solução justapõe dois sistemas de combustão operacionais no interior de um mesmo motor.

Na prática, um sistema de pré-câmara de combustão foi combinado com o tradicional sistema de combustão.  Esta solução técnica otimiza a performance (potência, binário e consumo) em todas as condições de utilização, graças à possibilidade de ser escolhido o modo de combustão mais adequado.

Estes dois sistemas devem, deste modo, ser ativados individual ou simultaneamente, em função da exigência de binário, sem que o condutor note qualquer descontinuidade em termos de performance, sonoridade e conforto de condução. 

O desenvolvimento de uma estratégia de gestão e de um hardware de motor específicos são elementos-chave para garantir e confirmar a validade e a eficiência do novo sistema de combustão em veículos de estrada. O resultado é um motor altamente fluído na sua entrega de binário, combinando um caráter dócil com altas prestações, dependendo das condições de utilização.

Maserati Grecale híbrido 

Na sua versão híbrida, o Grecale combina um motor de combustão interna de quatro cilindros com um sistema mild hybrid de 48 V. A Maserati escolheu uma solução híbrida que visa, acima de tudo, melhorar a performance, simultaneamente reduzindo o consumo. O resultado alcançado garante uma melhor performance e consumos mais baixos. São mantidas as mesmas excelência e performance do motor de todos os Maserati, embora o consumo seja reduzido, tornando o Grecale ainda mais eficiente do que os seus homólogos equipados com o motor V6.

O sistema híbrido da Maserati consiste em quatro componentes: um gerador/motor de arranque acionado por correia (BSG), uma bateria de 48 V, um e-Booster e um conversor CC/CC. O BSG atua como alternador, carregando a bateria colocada na mala, que, por sua vez, alimenta o e-Booster montado no motor. O motor conta com dois turbocompressores, onde o componente de combustão interna se combina com o e-Booster, alimentado tanto pelo BSG como pela bateria. Foi incluído um compressor elétrico para compensar a ausência de um turbocompressor convencional nos ciclos iniciais do motor, quando o motor elétrico entra em ação.

Na classe do Grecale, um SUV híbrido com BSG e e-booster é algo único, tendo em conta que, por norma, o motor híbrido é utilizado apenas para reduzir o consumo. Inversamente, esta solução proporciona um impulso adicional mesmo quando o motor opera a plena capacidade no modo Sport, quando todos os benefícios em termos de performance podem ser explorados. No modo Normal, é utilizado para equilibrar o consumo e a performance.

Mesmo nas versões equipadas com um motor híbrido, o Grecale continuará a ser um Maserati para todos os efeitos, incluindo no que à sua sonoridade diz respeito, que conserva as caraterísticas habituais em qualquer outro automóvel da marca do Tridente, não obstante ser um híbrido. A partir do momento em que se entra num Maserati híbrido, ainda se continua a ouvir a inconfundível sonoridade de um motor Maserati.

O primeiro SUV 100% elétrico da Maserati: Grecale Folgore 

O Grecale será o primeiro SUV 100% elétrico da história da marca. Proporcionará uma experiência “excecional todos os dias”, incluindo aos clientes que são adeptos das zero emissões, mas não pretendem sacrificar a performance ao mais puro estilo Maserati.

Como tal, completará uma autêntica gama de 360º, a mais completa de sempre, com motores de combustão interna/híbridos ou um motor totalmente elétrico. 
A futura versão 100% eléctrica do Grecale chamar-se-á Folgore, o nome distintivo e identificador dos modelos elétricos a bateria (BEV) da Maserati, e acenderá o rastilho de uma nova energia.

O Grecale Folgore chegará ao mercado um ano depois dos modelos híbridos e a gasolina. Será 100% Made in Italy, e estará equipado com uma bateria de 105 kWh com tecnologia de 400V. 

O novo SUV elétrico da Maserati será capaz de disponibilizar até 800 Nm de binário, garantindo um nível de performance típico da marca.  

Também será reconhecível pela sua exclusiva cor Rame Folgore (cobre). 

O conceito chave que dá forma a fundação para a abordagem da Maserati ao mundo dos elétricos é a metamorfose.
A cor exterior Rame Folgore baseia-se numa extensiva investigação sobre como a pintura pode interagir com a luz, evoluindo até tornar-se num ser vivo em constante interação com aquilo que o rodeia.

A inspiração provém da arquitetura contemporânea, especificamente da do museu Guggenheim de Bilbau, onde os cálidos tons de cobre das secções ao sol coexistem com tons mais frios de cinzento azulado existentes nas zonas à sombra. Estas cores foram tornadas possíveis através da utilização de pigmentos iridescentes.

O conceito de metamorfose também pode ser encontrado no design, inspirado pelos movimentos de uma bailarina. Imortalizados numa fotografia, falam de uma “performance controlada”, um movimento tornado eterno, um dinamismo natural que inspira a evolução do estilo gráfico, incluindo no interior do veículo. 

Esta evolução está refletida na utilização de materiais inovadores, como o Econyl, um novo elemento com uma estética única, um nylon reciclado obtido a partir da utilização de redes recuperadas dos mares, dando nova vida aos resíduos.

Comportamento e modos de condução

Cada viagem a bordo do Maserati Grecale constitui uma extraordinária experiência de condução e garante um conforto dinâmico sem compromissos, em parte graças ao novo sistema VDCM (Vehicle Dynamic Control Module), e ao controlo absoluto do veículo que este proporciona.

Uma evolução direta do sistema de controlo do chassi CDCM (Chassis Domain Control Module) encontrado no Maserati MC20, o VDCM eleva o seu potencial através do aumento do seu campo de influência a todo o veículo. Esta é a primeira vez que os sistemas foram combinados, para garantir níveis de performance e integração que não poderiam ter sido alcançados na anterior arquitetura. 
O VDCM é um projeto 100% Maserati, inteiramente concebido, implementado e calibrado internamente. 
O sistema controla toda a dinâmica do veículo (vertical, longitudinal e lateral), e é o centro da nova plataforma E&E MASAH, empregue pela primeira vez no Grecale.
Pode ser comparado a um diretor de orquestra de topo, que pode estabelecer objetivos e tempos precisos para todos os principais elementos que atuam sobre o veículo, garantindo que todos estão alinhados, reduzindo os tempos de intervenção e incrementando a performance, o prazer de condução e a segurança do veículo. 

Poder dispor de controlo absoluto ao nível do veículo (agora preditivo, ao invés de reativo) proporciona a oportunidade de definir a dinâmica do Grecale, criando uma clara distinção entre os vários MODOS DE CONDUÇÃO, ao mesmo tempo mantendo o ADN da Maserati.

O VDCM tem por base um hardware modular totalmente novo, especificamente concebido para o efeito e disponível em três variantes, que serão encontradas em todos os futuros Maserati. 

Para tornar a experiência de condução ainda mais imediata, e permitir ao condutor configurar o veículo de acordo com as suas necessidades, o Grecale inclui cinco diferentes modos de condução: COMFORT, GT, SPORT, CORSA e OFF-ROAD.

Modo COMFORT: este é o modo de condução ideal para um uso quotidiano, garantindo uma facilidade de utilização e um conforto máximos. A resposta do motor e a função kickdown estão limitadas e incrementam a máxima eficiência, ao passo que as trocas de mudança são graduais. A rigidez da suspensão é reduzida; e a direção de assistência elétrica é definida para garantir o máximo prazer de condução sem esforço.

Modo GT: o mapeamento do acelerador permite uma aceleração estruturada sem comprometer a eficiência. As passagens de caixa são uniformes e suaves. A resposta do motor é normal. A função kickdwon e a sensibilidade do pedal do acelerador são moderadas.

Modo SPORT: a sensibilidade do pedal do acelerador e as trocas de mudança são ajustadas para a máxima performance. As válvulas do escape ativas estão sempre abertas. Máxima resposta do motor. 

A posição de condução é rebaixada em 15 mm no “Modo Aero”, e a direção é mais firme e reativa quando é definido o modo Sport do veículo.

Modo CORSA (apenas no Trofeo): oferece ao condutor a experiência mais extrema e a opção de usufruir da genuína personificação do Grecale sem concessões. Os pedais são altamente sensíveis e reativos. As passagens de caixa são mais rápidas do que nunca. A função kickdown é suficientemente poderosa para o máximo desfrute. O controlo de tração é muito menos ativo, e é acionado o controlo dos arranques Launch Control.

Modo OFF-ROAD: para melhorar o desempenho fora de estrada e o controlo, a eficiência é ligeiramente reduzida por comparação com os modos Comfort e GT. As trocas de mudança são graduais. O limitador de rotações é ativado, e a altura de condução é ajustada para a posição mais levada “High”: +20 mm.

O Grecale destaca-se, assim, pelo seu prazer de condução e pela sua performance, ao mesmo tempo que garante facilidade de condução, conforto e segurança. A performance é excecional, combinada com capacidade off-road e um comportamento sem compromissos.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %