Primeiro ensaio Peugeot 308 SW: tentadora!

Primeiro ensaio Peugeot 308 SW: tentadora!

30/04/2022 1 Por Jose Manuel Costa
0 0
Read Time:5 Minute, 39 Second

Ser carrinha num mundo de SUV não é tarefa fácil. Este primeiro ensaio ao Peugeot 308 SW mostra, porém, que esta carrinha daquele que é, hoje, o Carro do Ano em Portugal, é uma proposta muito tentadora.

Quando uma marca aposta fortíssimo numa gama SUV e recolhe dividendos – o 2008 é um enorme sucesso e a dupla 3008/5008 continua em alta – não é fácil argumentar com a necessidade de uma carrinha.

Primeiro ensaio Peugeot

Recuando à carrinha do 308 da geração anterior, o sucesso acabou por ser significativo. Porém, já estava a ficar atrasada em termos de estilo, mas, sobretudo, tecnologicamente. Ora, foi exatamente sobre esse sucesso, que a Peugeot alicerçou a sua decisão de insistir em oferecer à nova gama 308 uma carrinha.

Como, atualmente, a Peugeot parece ter sido tocada por Midas, o 308 SW chega numa altura excelente e com inúmeros argumentos. O estilo dinâmico – bonito ou feio, cada um decidirá – cujo tamanho majorado face à berlina não prejudica. 

Porém, o maior argumento em favor da 308 SW reside no começo do fenómeno de saturação dos SUV. Sendo encontrados a cada esquina, os SUV começam a mostrar alguma cedência e, nesse sentido, as carrinhas são as favoritas para os consumidores.

Primeiro ensaio Peugeot

Peugeot 308 SW com dimensões majoradas

Contas feitas a este primeiro ensaio Peugeot 308 SW, a distância entre eixos aumentou 55 mm, a traseira cresceu 270 mm, o comprimento avançou 60 mm e a altura reduziu-se 20 mm, face ao carro de cinco portas. O que resulta disto?

Uma carrinha longilínea com alargamentos das cavas das rodas que dão uma aparência musculada, diferente da anterior versão do 308 SW. A frente é um “deja vu” da gama Peugeot e, confesso, não é a minha taça de chá. Ainda assim, gosto mais da carrinha que da berlina 308.

Primeiro ensaio Peugeot

Interior acolhedor no Peugeot 308 SW

Curiosamente, no interior, tudo é igualzinho ao carro de cinco portas. Do tabliê aos bancos, do espaço à arrumação, enfim, tudo é igual.

Quer isto dizer que o 308 SW conta com o sistema de info entretenimento i-Connect em parceria com o i-Cockpit 3D. O carro que ensaiei tinha a versão 3D e confesso que me senti um bocadinho confuso com tanta informação em camadas.

Neste primeiro ensaio Peugeot 308 SW, posso tranquilizá-lo: há Andoid Auto e Apple CarPlay sem fios. Os bancos são os alemães AGR tornado famosos pela Opel. Espaço não falta e apenas tenho de criticar as bases dos bancos dianteiros algo estreitos e curtos. A escolha dos materiais – pelo menos nesta definição GT – é excelente e apesar da minha incapacidade de perceber alguma da muita informação dada, reputo o interior como acolhedor, simpático e espaçoso. Ah! uma última nota: as peças em preto Piano são muito bonitas, mas agarram pó e dedadas de forma impressionante.

Primeiro ensaio Peugeot

Primeiro ensaio Peugeot 308 SW mostra bagageira generosa

Nesta altura já deve estar a pensar “mas este tipo não fala da bagageira?!” Obviamente que numa carrinha, o essencial reside na praticabilidade e na capacidade da mala. O tempo das carrinhas estilosas com bagageira mais pequena que utilitários já passou.

Ora bem, a Peugeot 308 SW tem um portão traseiro que pode ter abertura elétrica. Uma boa medida, mas poderia ser oferecida de série. Seria uma mais-valia.

Depois, a Peugeot oferece um banco traseiro com rebatimento 40-20-40, ou seja, máxima flexibilidade. Quer isto dizer que pode levar objetos longos sem ter de mandar ninguém de transportes para casa.

Para rebater as costas do banco de dentro da bagageira, basta aceder aos ganchos previstos fáceis de utilizar. Depois, temos o FlexFloor. Não é nada de especial, apenas a possibilidade de ter o fundo em duas posições. Na mais elevada, pode “esconder” algumas coisas.

E, afinal, qual é o tamanho da mala?! Se o carro tiver motor de combustão 9nterna sem híbrido, são 608 litros que podem chegar aos 1634 litros com o rebatimento do banco. Se optar pela versão híbrida, como a deste ensaio, a bateria está debaixo da mala e rouba 60 litros. Quer isto dizer que passa, respetivamente, para 548 e 1574 litros.

Quer saber de uma coisa? Psiu, não diga nada a ninguém, mas tem aqui mais mala que no 3008 e fica a 100 litros do 5008! Ah pois é…

Primeiro ensaio Peugeot

Como é em utilização neste primeiro ensaio Peugeot 308 SW?

Felizmente que a Peugeot me colocou nas mãos, em primeiro lugar, um 308 de cinco portas. Carro que ainda não tinha conduzido. Porém, não seria difícil perceber que com maior distância entre eixos (57 mm) e com uma traseira mais comprida, a carrinha não pode ser tão ágil como o carro.

Por outro lado, sente-se maior estabilidade em linha reta. E com um chassis equilibrado, suspensões pensadas para conseguirem combinar desempenho com conforto, não tenho dúvidas em dizer que a carrinha 308 SW é rolador apto para grandes viagens. Ainda por cima com o conforto dos bancos AGR e a contribuição do motor híbrido que, no caso deste primeiro ensaio, era o mais potente com 225 CV.

Recordo que o 308 SW tem 4,67 metros de comprimento e nesta variante um peso de 1762 quilogramas. Já percebeu? Não? Os 225 CV não são passaporte para ter uma carrinha desportiva. 

Porém, a carrinha do 308 surpreende pela suavidade com que ganha velocidade e galga quilómetros. Por outro lado, em cidade, essa suavidade permite que seja agradável usar o 308 SW. Até porque, aqui, entra em ação o modo 100% elétrico e com uma autonomia acima dos 60 km, é um regalo andar em cidade.

Além disso, se for responsável- por favor seja responsável! – e carregar a bateria do 308 SW, pode andar dias e dias sem que o motor de combustão interna entre em ação.

Enfim, gostei do 308 SW e também gostei do 308 e espero, brevemente, conseguir fazer o ensaio mais detalhado a ambos os modelos.

Primeiro ensaio Peugeot

O que é que eu penso deste 308 SW Hybrid 225?

Olhem, uma das coisas que não gostei neste primeiro ensaio Peugeot 308 SW foi do preço. Este modelo que ensaiei custa 46.750 euros! Mas, calma! Pode ter um 308 SW com motor a gasolina por 27 mil euros e um a gasóleo por 34.400 euros. Ou o híbrido com 180 CV por 39.150 euros. Tirando isso, gostei do 308 SW e acredito que é modelo para vingar. Em primeiro lugar pela oferta para empresas que é atraente. Depois, porque o estilo diferente e agressivo satisfará o ego de muitos. Finalmente, porque é um bom produto, bem construído, bem pensado e com uma generosa bagageira. Para já fica a nota muito positiva neste primeiro ensaio Peugeot 308 SW, que terá de ser confirmada com o ensaio completo. Estará à venda daqui a dias.

Happy
Happy
100 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %