Ensaio Mazda MX-5 1.5: continua fantástico

Ensaio Mazda MX-5 1.5: continua fantástico

09/06/2022 0 Por Jose Manuel Costa
0 0
Read Time:4 Minute, 31 Second

O Mazda MX-5 1.5 debita “apenas” 132 CV e, dito assim, parece pouco, claro. Mas quando me sentei, uma vez mais, no MX-5 e dei à chave, vieram-me à memória umas palavras. De Jeff Guyton, o americano que já foi o CEO da Mazda. Entrevistei-o há alguns anos e na despedida disse-me “se estiver no lançamento do MX-5, faça-me um favor: experimente o 1.5 litros…” Foi em 2015 e, até hoje, a paixão por este Mazda permanece.

Rating: 4 out of 5.
  • A Favor – Comportamento, imagem
  • Contra – Direção

Acreditar que um roadster desportivo pode ser estimulante com um motor de 1.5 litros, atmosférico, com apenas 131 CV, é quase como acreditar no Pai Natal. Eu não acredito no senhor das barbas que vive lá não sei onde. Porém, sei que o MX-5 com este motor é excelente. 

Não vale a pena insultarem-me por possível parcialidade, pois a verdade é que gosto mesmo do MX-5 e a Mazda merece o elogio ao fazer um carro para um segmento cada vez mais anónimo com um conceito simples e eficaz que qualquer um poderia ter tentado, mas nunca foi feito. Curiosamente, a Fiat tentou aproveitar o MX-5 para recriar o 124 Abarth. O Fiat 124 ficou-se pela tentativa, o 124 Abarth era uma boa ideia, mas, vá lá saber-se porquê, não resultou. E o Mazda MX-5 ficou novamente sozinho.

Mazda MX-5 1.5 é excelente

Como sempre acontece quando me sento ao volante do MX-5 com este motor, penso sempre que estou dentro do modelo com bloco de 2.0 litros. Só por aqui se percebe a qualidade do MX-5.

Depois, no trânsito e com o sistema stop/start “básico” da Mazda, o bloco impressiona. Neste ambiente percebe-se que a embraiagem é leve, tem um curso curto – os pedais estão um nadinha desviados para a direita, mas nada desconfortável – tal como curto é o curso da excelente caixa de seis velocidade. Tudo parece leve ou não pesasse este MX-5 1.5 menos de uma tonelada. 

Um motor ladino

A sonoridade do motor entusiasma logo quando o colocamos a trabalhar, pois sem necessidade, aparente, o motor sobe cerca de 500 rpm a mais para nos deixar entusiasmados com o seu barulho rouco. E convirá recordar que este motor SkyActive é a gasolina e atmosférico, ou seja, não há aqui a ajuda da sobrealimentação.

Naturalmente que sendo um motor atmosférico, o bloco de quatro cilindros e 1.5 litros sente-se mais à vontade quando usamos a gama média de rotação, acima das 2000 rpm. Para nos ajudar nas reduções, por exemplo, os pedais estão muito bem instalados e permitem fazer o “ponta tacão” na perfeição, mantendo sempre vivo o quatro cilindros.

Mazda MX-5 1.5

Não é um desportivo alucinante!

Naturalmente que se está à espera de velocidades alucinantes, pode tirar o cavalinho da chuva, pois o MX-5 não tem nada a ver com isso e até o 0-100 km/h é lento para os pergaminhos de um desportivo. Porém, qual é o desportivo que consegue aproveitar a 100% todas as suas qualidades, seja na performance, seja no comportamento? Atualmente não conheço nenhum e em mais de três décadas de jornalista foram poucos os que me passaram pelas mãos. E este MX-5 torna uma estrada banal numa parodia sem limites!

Mazda MX-5 1.5

O Mazda MX-5 1.5 tem defeitos… não são só virtudes!

Estará você a perguntar… mas o carro não tem defeitos?  Tem, claro que tem! Um dos maiores reside no movimento da carroçaria e alguma flutuação quando passamos por zonas mais onduladas, sentindo-se a movimentação da (leve) massa, algo que no 2.0 litros está mais controlado. A direção poderia ser mais precisa em auto estrada. E… mais nada!

O que é que eu penso do Mazda MX-5 1.5?

Desde logo gosto do preço abaixo dos 30 mil euros e acho que é um disparate gastar quase 10 mil euros mais para ter um MX-5 com 184 CV. O MX-5 com o motor 1.5 litros, é verdade, que fica um nadinha abaixo em termos de performance, mas oferece a mesma diversão, a mesma vontade de unir dois pontos pelo caminho mais sinuoso e mantém-se assim seja qual for a estrada. Depois, gasta bem menos – consegui ficar abaixo dos 7,3 l/100 km! – e, como disse, custa muito menos. Por isso, não tenho dúvidas nenhumas em lhe dizer, cheio de inveja!, que se gosta tanto do MX-5 como eu, compre o 1.5 litros com o equipamento Evolve e verá que compra um bilhete para diversão contínua!

Ficha técnica Motor: 4 cilindros em linha com injeção direta; Cilindrada (cc): 1496; Potência máxima (CV/rpm): 132/7000; Binário máximo (Nm/rpm): 152/4500; Transmissão: traseira, caixa manual de 6 velocidades; Direção: Pinhão e cremalheira assistida eletricamente; Suspensão (ft/tr): independente duplo triângulo/independente multibraços; Travões (fr/tr): Discos ventilados/discos; Prestações e consumosAceleração 0-100 km/h (s): 8,3; Velocidade máxima (km/h): 204; Consumos (l/100 km): 6,3; Emissões CO2 (gr/km): 142; Dimensões e pesos Comp./Lar./Alt. (mm): 3915/1735/1225; Distância entre eixos (mm): 2310; Largura de vias (fr/tr mm): 1495/1505; Peso (kg): 1000; Capacidade da bagageira (l): 130; Deposito de combustível (l): 45; Pneus (fr/tr): 195/50 R16; Preço (Euros): 32.182

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %